As Forças Armadas vão atuar no ENEM 2017 – Confira Todas as Mudanças

Na 2ª metade deste ano, o ministro da defesa, Raul Jungmann, autorizou a participação das Forças Armadas na logística e armazenagem das provas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), que devem acontecer em dois domingos consecutivos – 5 e 12 de novembro.

O pedido havia sido em fevereiro pelo Ministro da Educação.

A preocupação desse ministério era quanto a capacidade dos Correios de conseguir distribuir as provas nos estados e também tinha o objetivo de prevenir vazamentos de questões do teste.

Haverá mudanças também na correção das provas, já que o Centro ligado à UnB (Universidade de Brasília) não será mais o responsável.

O Centro Brasileiro de Pesquisas em Avaliação, Seleção e Promoção de Eventos (Cebraspe), antigo Cespe, que é da UnB, não vai mais ser responsável por aplicar e corrigir as provas objetivas e a redação do Enem.

PROPAGANDA

A informação é da presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Mari Inês Fini. Ela diz que a decisão foi tomada após serem contestadas algumas “inconsistências jurídicas” do Cebraspe, que é uma OS – Organização Social.

O Inep explicou que o contrato administrativo com as instituições vale por um ano e pode ser ou não renovado.

“O Cebraspe não respondeu as nossas solicitações e apresentaram condições jurídicas vulneráveis. Por isso, ele não será convidado para fazer parte do consórcio neste ano”, apontou Maria Inês.

Em nota, o Cebraspe disse ter recebido o comunicado oficial do Inep. O Centro reconhece a autonomia do Inep para escolher seus parceiros para realizar o exame, mas alertou que a execução do exame é complexa e exige expertise.

“No que concerne ao Cebraspe, a expertise adquirida em mais de dez anos participando da organização do Enem continuará à disposição da sociedade, para os desafios que as avaliações de grande escala exigem. Foram, inclusive, o know how e a capacidade técnica deste Centro que justificaram, durante os últimos anos, a contratação do Cebraspe para a execução do Enem”, informou o órgão.

13 Livros para Gostar de Ler – e Se Preparar para o ENEM

E acrescentou: “O Centro reconhece que as instituições oficiais responsáveis pela organização o Enem têm a prerrogativa de escolher seus parceiros para a realização dos exames, mas alerta que a execução do Enem, principalmente, foge aos padrões de qualquer outra seleção no país pelas suas peculiaridades e dimensões”.

Sobre os possíveis substitutos, o Inep não divulgou nomes, mas disse que está elaborando um novo contrato administrativo.

Salientando que o Inep tem autorização do Tribunal de Contas da União (TCU) para dispensar licitações. Logo, as empresas recebem um convite para organizar diferentes funções no exame.

O Cebraspe e a Cesgranrio assumiram, como consórcio, a função de aplicação e correção das provas do Enem, depois que o primeiro modelo do exame, feito pelo consórcio Connasel, teve sigilo violado.

Mudanças no Enem conforme Edital

O Enem teve sua temporada aberta após a abertura do edital, em abril deste ano. A partir daí é possível ver, de forma geral, as novas mudanças que devem ocorrer – que não são poucas.

Como já se sabe, a prova será em dois domingos consecutivos e, como vimos acima, as Forças Armadas juntamente com os Correios é que vão participar da distribuição dos cadernos.

Outra novidade foi o aumento em mais de 20% sobre o valor da inscrição, que passou de 68 para 82 reais e fez com que fosse motivo para muitos estudantes deixar de prestar a prova – esse ano teve um recorde negativo no número de inscritos.

O aumento no preço é justificado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), conforme informações do Inep. E estão isentos alunos de escolas públicas concluintes do ensino médio em 2017; participantes carentes que estejam no CadÚnico; estudantes que se enquadram na Lei 12.799/2013.

Vamos falar mais sobre a isenção em tópicos seguintes.

Também vale dizer que a redução do número de candidatos deve-se ao fato de que o Enem não será mais o responsável por certificar os alunos do ensino médio, tarefa que voltará a ser do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Enem não Certificará Alunos do Ensino Médio: Conheça o Encceja

Tem mudança também na redação, que normalmente era aplicada no segundo dia de prova e agora será no primeiro.

Os cadernos vão continuar tendo cores diferentes, porém não será necessário assinalar a cor no cartão resposta. Já os cadernos de questões terão nome e número de inscrição do participante, com o objetivo de facilitar a identificação de possíveis fraudes.

Há ainda a inclusão de um novo recursos de acessibilidade, que será oferecido em caráter experimental para os participantes surdos ou deficientes auditivos, que vão poder participar da aplicação com um dispositivo em vídeo contendo as questões traduzidas em Libras – Língua Brasileira de Sinais.

Com a mudança, como controlar o tempo de prova do Enem 2017?

Toda mudança gera, no mínimo, adaptações e com essas do Enem não será diferente. Mesmo porque muitos candidatos têm dificuldades em fazer as contas, o que pode tornar a matemática como um agravante.

Porém, para especialistas, o grande segredo é saber como administrar o tempo da resolução de cada questão. “Assim, os alunos poderão fazer toda a prova com tranquilidade sem ficar contando os minutos para o tempo acabar”.

Levando em conta que a prova tem 90 questões e um tempo de 4 horas e meia, então, é possível dizer que serão 270 minutos de provas para solucionar todas as questões. O tempo médio é de 3 minutos para cada questão.

Mas, recomenda-se que estudantes usem apenas 2 minutos e 30 segundos para cada uma, sendo que é preciso deixar um tempo livre para preencher o gabarito.

Mais do que isso, a recomendação mais comum é treinar esse tempo de prova com simulados. Isso tem que fazer parte da rotina do candidato e é uma das melhores ferramentas para atingir os objetivos.

O melhor cronograma para treinar o tempo de prova

Especialistas recomendam estudar, ao menos, 3 horas por dia, mesmo que seja ume estudo seguido ou separado em partes. Por exemplo, mesmo que o estudante não tenha 3 horas corridas, poderá estudar 30 minutos no ônibus no caminho até algum lugar ou 30 minutos antes de dormir, por exemplo. E assim por diante.

O ideal é começar pelas matérias que são consideradas mais difíceis pelo candidato. “Já que é nesse momento que o aluno terá mais energia e disposição para conseguir compreender o que é considerado complicado por ele”.

Após cada período de estudo, é aconselhável fazer os exercícios, levando em conta que a revisão é uma boa técnica para colaborar com a memorização do conteúdo.

A leitura também é parte importante, tanto nas matérias de linguagens quanto em matemática. “O aluno precisa entender o que está sendo pedido”. Comece lendo livros de gêneros que você goste, passe pelo noticiário local e nacional e aposte também em revistas.

A leitura de jornais e revistas é essencial porque o Enem aposta muito em temas atuais, como os relacionados aos direitos humanos, cultura social e religião.

Além da revisão, é preciso fazer também um resumo de cada tema ou de cada assunto que foi lido e estudado. Isso também colabora muito com a memorização de palavras e fórmulas. Portanto, é simples: leu um livro, faça um resumo citando os principais personagens e sem perder o enredo da história.

Outra dica sustentável é fazer post it com fórmulas ou palavras-chaves importantes e colar em lugares onde é possível visualizar de maneira frequente. Essa é outra técnica de memorização que pode ajudar o candidato durante o estudo.

Por fim, vale ressaltar que o melhor cronograma é aquele que leva em conta o tempo de descanso. O estudante usa muito da parte emocional e dormir, ao menos 8 horas, é sumamente importante, além de levar em conta o lazer e a cultura, o que dará mais energia para a rotina de estudos.

Muitas Críticas sobre a Divisão da Prova

O Enem deixará de ser aplicado em dias seguidos – sábado e domingo. Mas, o principal alvo de críticas é quanto as provas – sendo que no primeiro dia será de ciências humanas e no segundo, matemática e natureza.

Erik Horner é coordenador pedagógico do ensino médio do Colégio Humboldt e diz que acha que a estratégia do MEC é positiva para não sobrecarregar o aluno com um único estio de prova no mesmo dia.

“Aqui no colégio não fazemos duas grandes avaliações das ciências da natureza no mesmo dia para não esgotar o mesmo lado do cérebro digamos assim”. Para ele, esse novo arranjo de cobrança das disciplinas pode diminuir o benefício da divisão do exame em dois finais de semana.

Edmilson Motta é coordenador geral do Etapa e também critica a divisão.

“Antes já falta tempo para as 45 questões de matemática e agora junto com ciências da natureza que também exige cálculo. Quatros horas e meia vai ser pouco tempo, vai ser muito desafiante para o aluno”.

Hélcio Alvim é outro coordenador pedagógico, só que do Colégio do Ensino Médio Mopi. Ele diz que o segundo dia do Enem será bem mais pesado.

“Acredito que essa nova distribuição é mais pesada para os alunos, principalmente, aos de humanas que, no segundo domingo, terão de responder a muitas questões complicadas em apenas quatro horas e meia. Sendo assim, gosto mais da divisão anterior”.

Descoberta a Regra Número 1 para Conseguir uma Boa Pontuação no Enem

Na contramão dessas opiniões, Viviane Paiva Direito, que é coordenadora pedagógica do Colégio Franciscano Pio XII, a nova distribuição será positiva.

“No modelo antigo os alunos ficavam muito desgastados e não dava para fazer toda a prova, principalmente no segundo dia. Com as matérias mais pesadas separadas, os alunos têm mais chance de concluir”.

Enem 2018 focará em 2 temas: Português e Matemática – 20 Sites para Estudar

Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) tem que dialogar com o Novo Ensino Médio, onde as disciplinas obrigatórias para os três anos são: Português e Matemática, diz Maria Inês Fini, que é presidente do Inep – órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem.

A Reforma do Novo Ensino Médio já foi sancionada e lançada pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio e será composta – além das matérias citadas acima – pela escolha do aluno, que deve variar entre:

  • Linguagens e suas tecnologias,
  • Matemática e suas tecnologias,
  • Ciência da natureza,
  • Ciências humanas e sócias e a
  • Formação técnica e profissional.

Logo, essa divisão terá vários reflexos diretos, como no Formato do Enem 2018.

“Mas não faremos uma prova para cada um desses itinerários. O que vamos cobrar das áreas é a parte comum que está na base”, garantiu Fini.

A presidente do Inep é uma grande crítica do Ensino Médio Tradicional e diz que vai fazer de tudo para redirecionar o foco.

“Nós vamos inaugurar um novo ciclo do Enem olhando para o Ensino Médio, e não apenas para o acesso ao Ensino Superior, que foi esse monstro que ele se transformou. O Exame, hoje, não avalia competências e habilidades. Ele avalia uma lista de conteúdos à escolha de uma comissão de professores da Universidade, absolutamente aleatória”, frisou.

Na mesma oportunidade, Fini acatou a oportunidade para falar dos motivos pelos quais o Enem vai deixar de “ranquear” as escolas por desempenho: a partir de agora, isso ficará a cargo do Saeb – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica.

Sendo assim, o Saeb, que era responsável por avaliar alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, passará a avaliar também todos os alunos do ensino médio de todas as escolas que tenham, no mínimo, 10 alunos.

As escolas particulares que optarem por fazer a prova de avaliação, vai precisar pagar uma taxa que varia entre 400 e 4 mil reais, conforme a quantidade de aluno. Assim, o Inep espera atingir 7 milhões de alunos e 155 mil escolas em todo país.

Reprodução: Google

O Simulado do Saeb vai acontecer entre os dias 23 de outubro e 3 de novembro. “O Saeb vai ser o simulado do Enem para os estudantes do Ensino Médio”.

Além desse Simulado, os estudantes que vão prestar o Enem podem fazer outros testes antes da Prova Final. Selecionamos mais 20 Opções Gratuitas para Estudar para o Enem, confira no fim deste artigo!

Antes de citar todos os 20 Sites Gratuitos para Estudar para o Enem, vamos trazer informações importantes e rápidas. Você sabe, por exemplo, como Funciona a Nota do Enem para Entrar em Faculdades de Renome, como a Unesp e a USP?

Então, entenda como é feito esse cálculo e note a grande importância de ir bem nas provas do Enem, inclusive, na Redação, onde muitos alunos costumam zerar e ser eliminados na disputa educacional.

Ranking por Escola não existirá mais

Para alguns especialistas, o ranking de escolas não mais existirá devido ao fato de que algumas instituições educacionais usavam tal poder para fazer chantagens e marketing sobre seus cursos, acabando, por vezes, a selecionar apenas os melhores candidatos para fazer a prova.

A informação sobre a exclusão do ranking veio por meio do Ministério da Educação. Para especialistas da educação, “as empresas chegavam a montar salas com alunos de elite para obter bom desempenho no Enem e usar dados como propaganda”.

“O Enem não avalia a escola, avalia o estudante e isso é só um dos muitos indicadores para poder avaliar uma escola”, disse Maria Inês, do Inep.

“O Ranking das escolas é muito usado como propaganda e não é missão Estado Brasileiro estabelecer esse ranking, produzia um desserviço e uma desinformação”, disse Mendonça Filho, que é o ministro da educação.

Assim sendo, todas as escolas que tiverem interesse ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), precisará recorrer justamente à esse indicador de qualidade, que será o único disponível.

O Ideb é um indicador criado com dados no censo escolar.

Rigor na Isenção das Taxas

O processo de inscrição para o Enem se tornou mais difícil para as pessoas que precisaram pedir a isenção. Conforme as mudanças já previstas, os estudantes precisaram ser cadastrados no CadÚnico, que é um sistema de benefícios sociais do Governo Federal.

“A comprovação, a partir do Enem 2017, será mais completa. Vamos combater a fraude, o uso indevido por parte de pessoas que, a rigor, têm renda elevada e não deveria se utilizar desse mecanismo, destinado aos mais pobres. Teremos mais controle contra informações falsas, que pressupõem até o cometimento de crime”, disse Mendonça Filho.

Ele ainda disse que no ano passado, 77% dos inscritos no Enem não precisaram pagar a taxa de inscrição para fazer o exame.

Agora, os que conseguiram a isenção precisaram pertencer a alguns dos itens:

Estar no 3º ano do ensino médio na Rede Pública

Em nota divulgada, o ministério disse que “seguirá concedendo a gratuidade para concluintes do ensino médio de escolas públicas”.

Candidatos da Lei 12.79/2013

É uma lei obrigada as instituições federais do ensino superior a conceder a isenção de pagamento de taxas de inscrição em vestibulares para as pessoas que cumpram dois requisitos:

  1. Ser de Família com Renda per capita de até um salário mínimo e meio,
  2. Ter estudado em escola pública durante todo o ensino médio.

Inscritos no CadÚnico

Conforme o MEC, o candidatos inscritos no CadÚnico precisariam apenas informar o número de inscrição para conseguir o benefício.

Medicina da USP vai adotar Cotas Raciais e ENEM para o Vestibular 2018

De um total de 175 vagas da graduação que serão disponibilizadas em 2018, 125 delas serão oferecidas pela Fuvest e 50 serão selecionadas pelo Enem via Sisu – Sistema de Seleção Unificada. Deles, 15 serão para alunos de escola pública pretos, pardos e indígenas.

Essa notícia é histórica porque vai acontecer pela primeira vez em 100 anos. A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo vai aplicar uma política de cotas raciais para os ingressantes no curso de graduação em Medicina.

A Congregação da Faculdade aprovou a adesão parcial do Sistema de Seleção Unificada(Sisu), que usa a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para selecionar os estudantes.

Na opinião do professor e diretor da FMUSP, José Otávio Costa Auler Júnior, “quem trouxe a proposta foi o Conselho de Graduação”.

“É uma proposta bem completa. Foi aprovada sem modificação. Foi uma votação bem expressiva”, ele disse, ao comentar ainda que outros cursos da faculdade – como fonoaudiologia, fisioterapia e terapia ocupacional – também deverão ter uma parte das vagas destinadas ao Sisu.

Conforme uma nota que foi publicada posteriormente no Centro Acadêmico Oswaldo Cruz (Caoc), a maior parte dos membros presentes na reunião aprovou a seguinte divisão:

Fuvest – serão 125 vagas (ou seja, 71,4% do total) que serão destinadas ao vestibular tradicional da Fuvest, que já aplica uma política de bônus progressiva aos estudantes de escolas públicas, incluindo bônus adicional a estudantes que se autodeclarem pretos, pardos e indígenas.

Reprodução: Google

Sisu – serão 50 vagas (28,6%) oferecidas pelo Sisu 2018 aos estudantes inscritos no Enem 2017. Dessa parte, 10 serão reservadas para candidatos de ampla concorrência, enquanto que 25 serão para candidatos que tenham feito ensino médio em escola pública e 15 para candidatos de rede pública que são pretos, pardos ou indígenas.

Na Parte Inferior do Texto Leia – FGV, Cesgranrio e Vunesp vão Corrigir a Prova do Enem

No Curso de Fisioterapia, 22 vagas seguirão na Fuvest e 3 serão destinadas pelo Sisu aos estudantes de Escola Pública. Em Fonoaudiologia, 25 vagas, sendo que 5 são destinadas ao Sisu. No Curso de Terapia Ocupacional, que tem 25 vagas, 3 serão selecionadas ao Sisu.

Leia Mais!

Sobre a Importância do Enem

Citamos apenas esses dois Vestibulares para que se note a importância do Enem nos dias atuais. Se antes ele foi criado apenas para avaliar o desempenho dos estudantes do Ensino Médio, hoje ele atua como forma de ingresso no Ensino Superior, inclusive, apoiado em programas sociais do Governo – como Prouni, Fies e SISU.

Logo, o Enem pode ser o 1º passo para a entrada em Universidades Públicas ou Privadas.

Para 2017 houve várias mudanças.

Por exemplo: o resultado do Enem não mais servirá como Certificado de Conclusão de Curso do Ensino Médio. Além disso, as provas serão realizadas em 2 domingos consecutivos e não mais em sábados, respeitando os alunos sabatistas. O valor da inscrição aumentou. Entre outras mudanças.

Já o tempo de prova continuará sendo o mesmo, sendo que no dia que tem Redação, haverá o acréscimo de 1 hora se comparado ao outro dia de prova.

É por essas mudanças e pela importância do Enem, que ter um Cronograma de Estudos é tão importante. Confira alguns sites que podem te auxiliar nessa missão.

Com informações da Globo e Em

PROPAGANDA