Enem não Certificará Alunos do Ensino Médio: Conheça o Encceja

0
54

Até o ano passado, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) tinha outra funcionalidade além da de medir o desempenho dos alunos do Ensino Médio e auxiliá-los na entrada para a Universidade: o de proporcionar a Certificação do Ensino Médio para alunos, conforme a pontuação alcançada.

Porém, com as Novas Mudanças do Enem para este ano, essa função não mais valerá.

Se você ficou preocupado por que vai ter dificuldades em conseguir a Sua Certificação do Ensino Médio, fique calmo. Neste artigo, vamos explicar exatamente como tudo vai funcionar a partir de agora, inclusive, vamos falar sobre o Encceja – Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, que foi criado há algum tempo é quem vai assumir esse papel.

Como funciona a Certificação do Ensino Médio

De forma geral, existem duas formas de conseguir uma Certificação do Ensino Médio na atualidade:

  1. Cumprindo a Grade Curricular Comum – com a Idade Regular ou com o EJA (Educação para Jovens e Adultos),
  2. Declarando Nível de Proficiência – um documento que é capaz de aprovar o aluno a partir de uma nota mínima em uma disciplina do Ensino Médio.

O Enem, até então, atuava nesse 2º ponto. Logo, o aluno que conseguia tal pontuação poderia fazer o pedido do seu certificado. Agora, isso não vai mais acontecer.

O que é o Encceja

Ele foi criado em 2002 pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) com o objetivo de certificar os conhecimentos de jovens e adultos que não conseguiram concluir os graus de escolaridade na idade adequada.

Ele é um exame responsável por avaliar não apenas as competências aprendidas na escola, mas também os conhecimentos externos, como aqueles relacionados ao Trabalho, Vida Familiar, Movimentos Sociais e as Manifestações Culturais.

Em 7 anos – até 2009 – o Encceja foi aplicado com esse propósito: de facilitar o acesso ao Certificado de Conclusão do Ensino Médio. Com a Reformulação do Enem, a prova passou a ser aplicada apenas para os Brasileiros do Exterior e logo foi substituída pelo Enem.

Reprodução: Google

Entre os anos 2009 e 2016, o Exame passou a ser usado apenas para Certificar Pessoas quanto ao Ensino Fundamental, sem ter valia para o Ensino Médio.

Agora, em 2017, o Encceja voltou a ser importante para esse grau de educação, já que vai voltar a ser usado para Certificação do Ensino Médio, novamente.

Você deve estar se perguntando: “Por que houve essa mudança”?

A resposta é simples e curta: para cortar gastos. Isso porque com essa nova formulação, mais de 1 milhão de participantes devem deixar de requisitar o Certificado.

Já se sabia, porém, que conseguir esse diploma era bastante complicado, conforme dados do MEC (Ministério da Educação e Cultura). Em 2016, por exemplo, dos 1.076.092 candidatos que declararam a intenção de pegar o diploma, apenas 7,7% alcançaram o objetivo.

Edital para o Encceja 2017

Se você se encaixa no grupo das pessoas que vão tentar o Certificado do Ensino Médio pelo Exame, saiba que o INEP informou que até o final deste mês – Julho – haverá a publicação do edital, um documento que vai informar tudo sobre a prova e é aberto ao público.

O edital, de forma geral, reúne os principais questionamentos:

  • Prazo de Inscrição,
  • Estrutura do Exame,
  • Local de Aplicação,
  • Correção de Provas,
  • Publicação de Resultados.

A última informação de que se tem notícia é que no dia 28 de abril, vários representantes das Secretarias Estaduais de Educação de todo Brasil se reuniram em Brasília para tratar do tema, buscando acertar os detalhes do Encceja 2017.

Quando as inscrições forem abertas, o candidato vai precisar informar o Número de Passaporte, RG, CPF e um e-mail válido.

Aí, todo certificado poderá se inscrever em Programas Sociais, como o SISU – Sistema de Seleção Unificada e o Sisutec – Sistema de Seleção da Educação Profissional e Tecnológica.

Leia Também: Saiba tudo sobre as inscrições do Sisu 2017 

Os candidatos podem se inscrever em até 2 opções de cursos em universidades ou institutos públicos, tais como federais e estaduais. Para 2017, o número de vagas aumentou: são mais de 218 mil oportunidades.

Fora isso, 5 instituições públicas aderiram ao sistema, totalizando 131. Até as 13 horas de ontem (24), o Sisu havia confirmado mais de 773 mil inscritos.

Os interessados devem acessar ao site do Sisu e com o número de inscrição do Enem 2016, escolher, por ordem de preferencia, as 2 opções ofertadas pelas instituições. A nota de corte para cada curso é feita diariamente, dependendo das vagas disponíveis e também das notas dos candidatos inscritos. A atualização é feita uma vez por dia, sempre de madrugada.

Quanto às instituições, cada uma adota uma postura e, por isso, os pesos são diferentes. Isso sem contar que algumas optam por exigir uma nota mínima para a inscrição em determinados cursos. E, ao escolher a vaga, o candidato é avisado se a nota é suficiente ou não para tal curso. Se ele não tiver êxito, poderá optar por outro curso ou outra instituição.

Referente às cotas, algumas instituições disponibilizam suas vagas para essas políticas e quem optar por concorrer nelas, concorrerá apenas com os candidatos da mesma opção.

A responsabilidade em certificar os requisitos dessas cotas é inteiramente do candidato e os documentos de comprovação devem ser exigidos no momento da matrícula. As cotas também são válidas para os alunos do ensino público, conforme a Lei de Cotas.

Reprodução: Google

Os alunos que já foram matriculados em outras instituições de ensino superior, mas que fizeram o Enem 2016, também podem participar do Sisu. NO ENTANTO, ele não poderá ser matriculado em 2 instituições, assim, terá que escolher entre uma ou outra, conforme Lei 12.089 de 2009.

E, caso haja empate entre os estudantes que estão concorrendo à uma mesma vaga de uma mesma instituição, o critério usado é o seguinte e na seguinte ordem:

  1. Nota da Redação
  2. Nota da Prova de Linguagens
  3. Nota da Prova de Matemática
  4. Nota da Prova de Ciências
  5. Nota da Prova de Ciências Humanas

Ainda ontem (24) durante a abertura das inscrições alguns candidatos enfrentaram problemas com o servidor do Sisu. E, em nota oficial, o MEC (Ministério da Educação) informou que os problemas enfrentados por alguns candidatos ao acessar o sistema com a mensagem “Inscrição Inválida” já estão sendo solucionados.

O MEC também informou que o sistema está aberto apenas para os candidatos que já concluíram o ensino médio e prestaram o Enem 2016 e, além disso, tiveram nota maior que zero na redação. “Dos mais de 6 milhões que fizeram as provas, aproximadamente 880 mil foram considerados “treineiros” e usaram a prova apenas para auto avaliação. Outra parte, mais de 140 mil candidatos, zeraram a redação e, por isso, não foram incluídos na base”.

Já as inscrições para o ProUni acontecerão na semana que vem, a partir do dia 30 de janeiro. E o Fies terá data de abertura para inscrições em 6 de fevereiro. (Leia TambémProUni ou Fies – Saiba a diferença entre os dois)

Como Deve Ser a Prova do Encceja 2017

Mas, mesmo sem o edital, dá para saber de uma coisa: pode presar o Encceja, os alunos que tenham, no mínimo, 18 anos no dia da prova. Também há outros requisitos, mas eles só serão disponibilizados no Edital.

A prova, no entanto, já está marcada: 8 de outubro de 2017. Ela é totalmente gratuita, ou seja, os interessados não precisam se preocupar com o pagamento de taxas e nem de buscar isenções durante o período do edital.

Já as inscrições devem acontecer no período que vai entre o dia 7 e 18 e agosto.

Pode ser que tenha alterações, porém, historicamente, a aplicação do exame é feita com 120 questões objetivas de múltipla escolha em cada prova, que avalia 30 habilidades diferentes, sendo englobada por cada área do conhecimento – Ciências Naturais, História, Geografia, Língua Portuguesa, Língua Estrangeira e Matemática. Como é de costume, também deve haver a redação.

Quanto à nota, o candidato precisa tirar uma nota mínima de 100 pontos em cada disciplina. Já a Redação exige uma nota mínima de 5, em uma escala que vai de 0 a 10.

Se você está com medo da prova, fique tranquilo. No Final do Artigo vamos dar As Melhores Dicas para você Ir Bem na prova do Encceja e conseguir Seu Certificado de Conclusão do Ensino Médio. 

O Exame é aplicado tanto no Brasil quanto no Exterior e todos podem participar, inclusive, as pessoas privadas de liberdade.

Inclusive, alguns dados mostram que praticamente metade das pessoas que estão em penitenciárias do Brasil não concluiu nem mesmo o Ensino Fundamental.

Cronograma Oficial do Encceja 2017

  • Publicação do Edital: 24 de julho de 2017
  • Prazo de Inscrição: de 7 a 18 de agosto de 2017
  • Aplicação da Prova: 8 de outubro de 2017

Encceja 2017 para Pessoas que Estejam no Exterior

O Exame também pode ser feito para alunos que estejam no exterior e precisem se certificar com a conclusão do Ensino Fundamental ou Médio.

Para estes casos, o nome é Encceja Exterior 2017. E Neste ano a prova vai acontecer no dia 10 de setembro, em período integral. Portanto, ele não segue as regras e o cronograma citado acima.

Inclusive, as provas são aplicadas em vários cantos do mundo, mas não em todos. Confira os pontos que aceitam a prova:

  • Nova York, Miami e Boston (Estados Unidos),
  • Bruxelas (Bélgica),
  • Lisboa (Portugal),
  • Genebra (Suíça),
  • Londres (Reino Unido/Inglaterra),
  • Madri (Espanha),
  • Paris (França),
  • Caiena (Guiana Francesa),
  • Amsterdã (Holanda),
  • Nagóia, Ota e Hamamsu (Japão).

Os brasileiros que estão no exterior, mas que estão presos, também podem realizar a prova do Encceja, desde que seja em uma dessas unidades prisionais: Tóquio ou Caiena. Para este caso, a prova será realizada em 11 e 12 de setembro.

O formato da prova, assim como a nota, são os mesmos do Encceja normal, que acontece no Brasil.

Reprodução: Google

A questão é que a emissão dos certificados é feitas pelo Colégio Pedro II e pelo Instituto Federal de Brasília.

Nota Importante: Quem mora no exterior deveria ter feito a inscrição até ontem – 17 de julho, no site oficial da prova, onde deveria ser realizado o preenchimento do formulário online, sem que fosse necessário pagar alguma taxa de inscrição.

Gestão Dinâmica da Administração Escolar – GDAE

Existe um Serviço Online que permite fazer a emissão do Certificado de Conclusão do Ensino Médio para o caso de pessoas que estudaram na Rede Pública de Ensino do Estado de São Paulo.

Esse sistema foi criado porque muitos paulistanos perdem ou esquecem-se de onde guardam seus diplomas do ensino médio. No site, é possível solicitar a 2ª via.

Funciona de maneira simples: todos os alunos que perderam seus diplomas podem comparecer às suas escolas para solicitar o novo documento. Em São Paulo, para os alunos concluintes a partir de 2001, podem contar com um serviço online de emissão, o GDAE.

Esse Certificado de Conclusão do Ensino Médio é um documento que comprova que o aluno conclui a escolaridade básica e, portanto, está apto para ingressar em uma graduação, do nível superior.

O documento reúne várias informações sobre a vida escolar do aluno, como Nome Completo, Diretoria de Ensino, Nome da Escola, Município, Modalidade e o Ano de Conclusão. Também consta nele o Número de Registro da Publicação, que comprova a autenticidade do certificado.

Para emitir esse documento, basta seguir o passo a passo:

  • Acessar o site do GDAE,
  • Clicar no item “Concluintes”,
  • Informar o Número do RG, RNE ou RA,
  • Selecionar o Estado,
  • Clicar em Pesquisar,
  • O Certificado será Emitido para Consulta, basta imprimir.

Logo, o GDAE é um banco de dados com informações de todas unidades escolares do Estado e tem sido muito usado como ferramenta de apoio para atividades administrativas das instituições.

Como Estudar para o Encceja

Nenhuma prova deve ser feita sem que haja um estudo antes. Se você já tem conhecimento sobre alguns assuntos, mas não se lembra de com exatidão sobre eles, precisa encontrar formas de reviver esses aprendizados e resolver velhos problemas.

A grande questão é levar a sério o seu estudo, mesmo que o Encceja seja uma prova considerada mais fácil do que o ENEM.

No dia da prova, vale as boas e velhas recomendações: leve uma garrafa de água e algum alimento de fácil consumo, como um biscoito ou lanche pequeno. Mantenha a calma e use todo o tempo disponível. Antes de terminar a prova, revise o conteúdo, releia aquelas questões mais complexas.

A participação no Encceja é voluntária e gratuita. Destinada aos jovens e adultos do Brasil e do Exterior que não conseguiram concluir seus estudos em idade própria. Para quem vai prestar o de Ensino Fundamental, é preciso ter 15 anos ou manos. Para os de Ensino Médio, a regra é ter 18 anos ou mais.

  • Isso tudo você já havia notado, mas o que se deve estudar?

Conforme o site do Inep, o exame se constitui de provas estruturadas. Confira os temas:

Para o Ensino Fundamental

Ao todo são 4 Provas Objetivas, contendo 30 questões de múltipla escolha cada uma, sendo descriminadas nas seguintes áreas de conhecimento:

  1. Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física, Proposta de Redação;
  2. Matemática;
  3. Historia e Geografia;
  4. Ciências Naturais.

Para o Ensino Médio

Vale a mesma regra acima:

  1. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Proposta de Redação; Artes, Educação Física, Língua Estrangeira Moderna e Língua Portuguesa;
  2. Matemática e suas Tecnologias;
  3. Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  4. Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Toda a área de conhecimento foi estabelecida conforme o Currículo da Base Nacional Comum, que é baseada nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs).

Como Acessar o Resultado do Exame

Depois de realizar o Exame, o candidato poderá acompanhar o resultado no portal do Encceja, usando apenas o seu CPF e a senha cadastrada no ato da inscrição.

O que Estudar para o Encceja 2017

O Encceja disponibiliza alguns materiais para estudo, que podem ser baixados gratuitamente dos sites que vamos linkar aqui. Confira cada um deles.

1 – Material para Estudo

É composto por um volume introdutório, quatro volumes de orientações aos professores e oito volumes de orientações aos estudantes, sendo quatro para o Ensino Fundamental e quatro para o Médio.

Baixe o material nesse link.

2 – Materiais Didáticos

A Coleção Cadernos de EJA foi elaborada para o ensino fundamental de jovens e adultos, da alfabetização até a 8ª série. Ela poderá também ser utilizada, integralmente ou em parte, em outras situações de ensino, como nas experiências de educação não formal, apesar de seu foco ser o ensino fundamental de jovens e adultos ofertado pelas escolas públicas.

A coleção segue as orientações curriculares do CNE, organizando os componentes e conteúdos em torno de eixos temáticos e tem o trabalho como eixo geral integrador desses temas.

A palavra-chave dessa coleção é flexibilidade. Ela é uma verdadeira ferramenta do trabalho pedagógico, pois dá liberdade ao professor para decidir o que quer ou não utilizar, em que ordem, com que finalidade.

Essa flexibilidade permite que o professor, ao elaborar seu planejamento, possa inserir textos e atividades livremente enriquecendo seu dia a dia na sala de aula e a organização do processo ensino-aprendizagem.

Ela é parte de um convênio estabelecido, por meio do FNDE, entre a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade e a Fundação Unitrabalho. Além da coleção impressa, o projeto criou o portal EJA que apresenta e disponibiliza os Cadernos de EJA.

Ele tem como objetivo criar um canal de diálogo com os professores da educação de jovens e adultos do país, apoiando o processo de ensino-aprendizagem desenvolvido por eles no cotidiano da escola.

Baixe o material no link. 

3 – Matrizes de Referência

O termo matriz de referência é utilizado especificamente no contexto das avaliações em larga escala, para indicar habilidades a serem avaliadas em cada etapa da escolarização e orientar a elaboração de itens de testes e provas.

Além disso, também indica a construção de escalas de proficiência que definem o que e o quanto o aluno realiza no contexto da avaliação.

A matriz de competências e habilidades que estrutura o Encceja considera, simultaneamente, as competências relativas às áreas de conhecimento e as que expressam as possibilidades cognitivas de jovens e adultos de compreender e realizar tarefas relacionadas a essas áreas (competências do sujeito).

As competências do sujeito são eixos cognitivos que, associados às competências apresentadas nas disciplinas e áreas do conhecimento do Ensino Fundamental e Médio, referem-se ao domínio de linguagens, compreensão de fenômenos, enfrentamento e resolução de situações-problema, capacidade de argumentação e elaboração de propostas.

Dessas interações resultam, em cada área, habilidades que serão avaliadas por meio de questões objetivas (múltipla escolha) e pela produção de um texto (redação).

Confira o material no link.

Com informações do ViaCarreira e Inep

Enem não Certificará Alunos do Ensino Médio: Conheça o Encceja
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA