Vale a pena estudar para concurso público? 7 Verdades sobre eles

1
65

O concurso público é uma ótima forma de ingressar no mercado de trabalho para diferentes níveis de ensino. Além disso, os ótimos salários fazem com que as pessoas tenham ambição por essas oportunidades ao invés das vagas oferecidas pelas instituições privadas. Outra comparação entre as instituições é quanto ao horário, o funcionário público, muito raramente, precisa cumprir horas extras.

Isso ainda sem contar o fator “estabilidade” que, segundo o Artigo 41 da Constituição Federal, garante ao funcionário a demissão apenas em casos extremos de falha, após ele cumprir o estágio probatório, que é de exercer as atividades do cargo durante 3 anos. E o vale-alimentação, vale-refeição, vale-transporte… Também contam.

Em números, isso significa uma alta taxa de inscritos nos 5 concursos mais concorridos nos últimos anos. Segundo o Guia de Carreira, ao todo foram mais de 1,2 milhões de inscrições nos concursos do Senado Federal (642 candidatos por vaga), Receita Federal (138 candidatos por vaga), Tribunal de Contas da União (158 candidatos por vaga de ensino superior), Ministério Público da União (mais de 1,2 mil candidatos por vaga) e Polícia Federal (200 candidatos por vaga).

Quer Saber Como ser Aprovado no Concurso Público da Polícia Federal? Leia!

O lado ruim dos concursos públicos, que é criticado por muitas pessoas é o fato de exigir muito tempo para a preparação. São raros os casos de candidatos que conseguem chegar ao êxito logo nos primeiros meses de estudos, mesmo que isso esteja interligado com cursos preparatórios e uma rotina de estudo muito rígida. Afinal, quanto mais concorrentes, mais estudo é preciso ter, e apenas como informação, no último ano foram mais de 12 milhões de pessoas que participaram de algum concurso público no Brasil.

Reprodução: Google

Normalmente, os concursos públicos são processos de seleção realizados para preencherem vagas em cargos públicos. A prova é de seleção impessoal e baseada nos resultados obtidos nas provas ou em outras avaliações previstas em edital.

Por que as pessoas não conseguem ser aprovadas em concursos públicos no Brasil?

Então, se é de caráter classificatório, será mesmo que é preciso escolher pelo caminho que inibe o candidato de ter uma boa vida pessoal, sem lazer e cultura, focando apenas nos estudos e na preparação da prova final? A maior reclamação, sem dúvidas, é essa: “É um caminho longo, árduo e, muitas vezes, sem bons resultados”.

Para responder à essas perguntas e saber se vale a pena (ou não) prestar um concurso público existem alguns pontos que devem ser observados!

7 Verdades sobre os Concursos Públicos

1 – O momento é favorável

2017 promete ser um ano que vai alavancar o Brasil para longe da crise. Pelo menos é o que se imagina, na opinião dos analistas mais otimistas. Mesmo, é impossível não ver os péssimos resultados dos últimos anos, no que diz respeito à demissões e endividamentos. Isso resulta em uma ótima oportunidade para aqueles que têm cargos públicos e, assim, conseguem se manter um pouco mais seguro.

2 – Burocratização Menor

Para os especialistas, o trabalho público é menos exigente, em termos de documentação e leis, quanto à serviço de empresas privadas. Isso vale para benefícios como Aposentadoria, Licenças, Férias e mesmo referente ao Ritmo do Trabalho. “Embora não gostem de ouvir isso, as empresas privadas tem maior grau de exigência do que o emprego público”, comenta Lílian Graziano, coordenadora de MBA Gestão de Pessoas da Trevisan Escola de Negócios.

3 – Carreira Ascendente

Apesar de ser o maior atrativo, algumas pessoas têm dificuldade em se adequar aos parâmetros e cotidiano da vida pública. Isso acontece principalmente com aquelas pessoas que são empreendedoras e não toleram às ordens de chefes. “Agora, se a pessoa é regrada e extremamente preocupada com o futuro, geralmente ela se dá bem nesses cargos”, comenta Lílian.

Reprodução: Google

Para outras, que buscam ascensão na carreira, essas oportunidades também não são indicadas. Segundo a Catho, um consultor de contas de empresa privada pode ganhar até 22 mil reais por mês, enquanto que um fiscal da Receita Federal tem um salário equivalente à 10 mil reais.

4 – Estudo Árduo

É fato que quem quer passar em algum concurso público precisa estudar muito. Mas assim, não exageradamente, afinal, qualidade é sempre melhor do que quantidade. Existem técnicas que ajudam a otimizar o tempo e a deixar os candidatos menos estressados. Entre elas, está o do Treino da Memória. É uma técnica muito bem apresentada pelo Renato Alves, considerado uma das pessoas que melhor memória tem, vencendo, inclusive o Guiness Book Brasileiro.

Incrível Técnica para Otimizar seu Estudo: Conheça um pouco mais sobre o Renato Alves e essa técnica que pode alavancar os seus estudos e as suas chances de passar no concurso público. Assim, a memória envolve um complexo mecanismo, que embora exista dentro de nós, não é consciente, e que abrange o arquivo e a recuperação de experiências, portanto, está intimamente associada à aprendizagem. Veja o vídeo abaixo:

5 – Exceções de Candidatos

Com a técnica de memorização citada no tópico anterior é possível notar que existem alguns mitos acerca do Concurso Público. Um deles é referente ao fato de que “quem trabalha não consegue passar em concursos” e o outro é “quem não tem dinheiro também não passa em concursos”. Ambas as afirmações são falsas.

Uma pesquisa feita pelo Grancursosonline mostrou que 65% dos candidatos que foram aprovados em concursos públicos trabalham e estudam ao mesmo tempo. Além disso, havia relatos de pessoas que estudaram apenas com material emprestado e usando boas técnicas de aprendizagem, ou seja, não precisaram investir muito dinheiro. Por isso, não é a falta de tempo ou dinheiro que deve ser um empecilho para você não ser um servidor público.

Apenas para fins informativos: é bom saber também que nos últimos 10 anos, cerca de 40% dos que foram empossados em cargos públicos tinham mais de 50 anos de idade e outra pesquisa, agora do ENAP (Escola Nacional de Administração Pública) mostrou que 40% dos empossados tinham menos de 30 anos. Inclusive, aposentados também podem prestar o concurso, não há essa exceção.

Ou seja, a sua idade também não deve ser um fator de desculpas pelo fracasso, se ele existir.

Outro ponto: Se sua dúvida é quanto à tatuagens, pode ficar tranquilo, também. Exceto para alguns cargos como da Força Militar, a premissa dos concursos é a equalidade de oportunidades para todos. Isso evita a discriminação por questões de aparências ou outras características de foro particular.

6 – Qualidade de Vida

A maioria das pessoas que estudam para os concursos deixa de ter uma boa qualidade de vida. Essa é uma notícia verdadeira, no entanto, não deveria ser. Com as técnicas de memorização, entre outras, o candidato passar a ter mais tempo hábil para outras atividades, como a física, o lazer e a cultura. Então, estudar para concursos e deixar de sair com os amigos ou praticar esportes não precisam se relacionar dessa forma. É possível fazer ambos.

7 – Fim das Contratações

Já ouvimos boatos sobre o fim das contratações para cargos públicos e o motivo seria “a máquina pública brasileira está inchada”. Isso não vai acontecer. É claro que, se pensarmos com carinho, vamos notar que existem algumas funções públicas que tem profissionais demais, no entanto, o quadro de novos talentos servem para fortalecer a base politica.

Agora, se analisarmos friamente, o Brasil possui menos servidores públicos do que outros países menores, tais como Alemanha e França. Então, em algum momento, as vagas terão que ser ainda aumentadas através de concursos e nomeações.

Entenda a PEC 241

Nós já estamos produzindo um texto que vai falar exatamente tudo sobre a PEC 241 e a relação dela com o Concurso Público. No entanto, para adiantar algumas informações, vamos desmistificar algumas informações.

Reprodução: Google

Com a PEC 241, que tem a ver com corte de gastos do setor público, pode haver alguma suspensão de concurso público prevista para esse e para os próximos anos. Caso exista realmente, ele deve acontecer no poder executivo federal, consideram os especialistas. E, com isso, os outros órgãos – estaduais e municipais – devem continuar lançando editais normalmente.

Além disso, existem grandes concursos públicos que são para vagas em empresas privadas, tais como a Caixa Econômica Federal, Petrobras, Correios, IBGE, entre outros, que vão continuar, sem duvidas, lançando editais de abertura de concursos.

A dica então é: ficar atento às informações sobre concursos. Aqui no Blog mesmo nós noticiamos, semanalmente, textos com informações atuais, inclusive, falando sobre a abertura de concursos.

4 Erros Para Evitar na Hora de Estudar para Concurso

Mostramos alguns mitos e algumas verdades sobre os concursos públicos. Com eles, é possível saber se é o melhor caminho (ou não) a tomar. E, caso você opte pelo sim, temos aqui algumas dicas do que não evitar fazer na hora de estudar. São poucas dicas, mas valiosíssimas. Se você se enquadra em algumas delas, deve mudar a postura o quanto antes. Analise!

1 – Muitos Concursos Ao Mesmo Tempo

Fazer muitos concursos ao mesmo tempo não é o mais indicado pelos especialistas, isso porque o resultado dessa corrida desenfreada será realizar provas e mais provas, mas deixando de lado o objetivo central: dedicar-se com profundidade à algum tema especifico. Nesses casos, os desempenhos costumam ser medianos e baixos, ou seja, insuficientes para alcançar o sucesso.

O melhor a fazer é juntar esforços e não desperdiçar energia com vários concursos, então, escolha uma área específica para fazer concursos afins. Por exemplo, Concursos Bancários e Concursos Administrativos cobram áreas parecidas, salvas exceções, então, vale a pena estudar para ambas. Aliás, você pode sim estudar para mais do que um concurso, mas não precisa prestar 20 provas de assuntos não correlacionados.

2 – Acumulo de Materiais Desnecessários

O que não falta na internet são materiais de estudos gratuitos e prontinhos para fazer o download. Porém, sair baixando tudo quanto é arquivo, sem se atentar ao interesse e qualidade do assunto, não vai te fazer um bom concorrente. “Comprar” vários arquivos e matérias não significa que você esteja se dedicando ao concurso. É importante não se enganar com você mesmo. Muitos desses conteúdos nem serão utilizados.

Reprodução: Google

Entenda que quando o assunto é concurso, como já foi dito muitas vezes, mais vale a qualidade do que a quantidade. Respeite a sua individualidade o seu conhecimento, busque aquilo que lhe apresentará maior ensinamento.

3 – O que importa é a Produtividade

É preciso saber também que produtividade não está atrelada ao tempo. É óbvio que se você estuda muito tempo por dia, tem mais chances de gabaritar a prova, mas tem que fazer isso de forma eficaz. Os últimos dados mostram que não é aconselhável estudar mais do que 5 horas por dia. O importante mesmo é ter uma vida equilibrada, entre estudo, lazer e outras formas de aguçar a imaginação.

A ideia é estudar por metas e não por tempo, considere o que deve aprender em um dia e não quanto tempo vai passar lendo aquela apostila de 1 mil páginas.

4 – Material Adequado: é Preciso Investir 

Se falamos que não é interessante acumular materiais desnecessários, por outro lado, é super importante ter aqueles que são necessários. Nem sempre comprar vai ser sinônimo de obter um material proveitoso, mas, as vezes, sim. Consulte os preços e leia as resenhas, invista no seu estudo, quando for necessário.

Com informações do Guia da Carreira, NovaConcursos e ConcureseiroPaulista

 

Vale a pena estudar para concurso público? 7 Verdades sobre eles
5 (100%) 1 vote