Os 5 erros de português que mais acontecem nos concursos. (Bônus: Os 10 erros mais cometidos na internet)

1
335

A língua portuguesa é o 5º idioma mais falado do mundo e está presente como língua oficial de países como Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. E, mesmo que seja considerada difícil quando comparada ao idioma mais falado do mundo (inglês), ela cai com muita frequência nos vestibulares, concursos e quase todos os outros tipos de provas. Além do mais que, se comparadas com países como Arábia, Japão e Coréia, a língua portuguesa não é tão complicada assim.

Saiba quais são os Concursos Públicos Previstos para 2017 e os que já estão com inscrições abertas – Quanto ao concurso para Polícia Federal, a solicitação para as vagas de Agente, Escrivão, Perito e Delegado estava sob análise, para mais de 1,7 mil vagas. Em recente notícia, o Diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello, autorizou e encaminhou o processo para a realização. Leia Mais!

Para aumentar o seu conhecimento sobre a língua portuguesa e te deixar afiado para as provas, separamos os 5 erros mais comuns em concursos públicos. Veja!

1 – Para eu e Para mim

“Mim” é um pronome oblíquo e não pode exercer a função de um sujeito de uma oração. Em poucas palavras, ele não pode conjugar verbos. Em uma canção, Raul Seixas diz: “A empregada não sabe o que vai dá pra mim comer”. Claro que temos a licença poética do cantor, no entanto, a frase correta seria “A empregada não sabe o que dar para eu comer”. Assim, na frase correta o sujeito é o pronome pessoa do caso reto eu.

Reprodução: Google

O “mim” é usado quando for exercer a função de complemento. Com isso, na mesma frase, o emprego correto seria: “A emprega falou para mim que não sabe o que vai cozinhar hoje”. Para mim, torna-se objeto indireto, e aí, a frase está de acordo com a língua portuguesa.

Se o assunto é estudar e refazer provas passadas, segue uma questão de 2013, do IBFC/ILSL: “O garoto pediu para ________ ler a história. Para ________, ler é sempre um prazer”. Qual o correto? É o uso do Eu e do Mim, respectivamente.

2 – Meio e Meia

O “Meio” é usado como advérbio, o que o torna invariável, e, PARA NUNCA ERRAR, basta trocá-lo por “Muito”, se a frase continuar com sentido, o uso está correto. A dica é que, mesmo sendo uma pessoa do sexo feminino, o advérbio deve continuar no masculino. Veja na frase o que é correto: “A garota estava muito triste porque não havia passado na prova”.

Já a palavra “Meia” é usada como adjetivo no sentido numeral, o que o torna variável. Assim sendo, é correto dizer: “João tomou meia taça de vinho” ou “Já são meio-dia e meia”, nesse último a palavra refere-se à meia-hora.

Na Vunesp, de 2011, caiu a seguinte frase: “Antes de examinar a calçada _________ estavam os sacos de lixo, a policial entrou no prédio ________ nervosa”. A opção correta é aquela que tem as alternativas “em que” e “meio”.

3 – Perda e Perca

Estudar é uma perca de tempo? Não! Mesmo porque o correto seria Perda! “Perda” é um substantivo e não um verbo. Quando existe a conjugação do verbo, usa-se, então, “Perca”. Para tal, as frases corretas seriam: “Estudar não é uma grande perda de tempo” ou “Não perca tempo, comece a estudar agora!”.

Em 2011, a Funiversa, no Distrito Federal, selecionou a seguinte as seguintes afirmações.

  1. “Seja” por “é”.
  2. “A princípio” por “em princípio”.
  3. “Perdas” por “Percas”.
  4. “Ligada a” por “ligada às”.
  5. “Vai ao encontro do óvulo” por “vai de encontro ao óvulo”.

Com referente à correção gramatical de um texto original. Eles pediam para assinalar a questão correta. E qual era a correta? A alternativa C.

4 – Onde e Aonde

“Aonde” é um advérbio que exprime ideia de movimento.

Há 2 anos, a Vunesp divulgou a seguinte frase: “Dona Pichuca, de ‘Doce de Mãe‘, é aquela senhora fofa que todos queriam ter por perto, engraçada, ela apronta em casa, no asilo, na casa dos filhos ________ quer que vá. Esse tipo de mãe topa qualquer parada, é adepta _____ diversão e fã de música. Está sempre pronta para resolver os problemas da família”.

De acordo com a norma-padrão e para acertar a questão, o concorrente precisaria assinalar a alternativa que tinha as palavras “Aonde” e “De”, respectivamente.

5 – Mas e Mais

“Mas” expressa conjunção adversativa, de ideia de oposição. Já “Mais” é advérbio de intensidade. Assim, sendo 2 frases corretas seriam: “Ele estudou muito mas não passou” e “O Candidato acertou a questão mais difícil de todas!”.

Reprodução: Google

“Doutor, estou com dengue, mas quero muito ir ao baile funk”. Essa frase caiu no vestibular da Funcab, em Rondônia, em 2015. E o texto pedia para o aluno informar qual a classificação da conjunção “Mas”. A questão correta era a que tinha a opção “Coordenada Sindética Adversativa”.

Vale a pena estudar para concurso público? 7 Verdades sobre eles! 1 – O momento é favorável: 2017 promete ser um ano que vai alavancar o Brasil para longe da crise. Pelo menos é o que se imagina, na opinião dos analistas mais otimistas. Mesmo, é impossível não ver os péssimos resultados dos últimos anos, no que diz respeito à demissões e endividamentos. Isso resulta em uma ótima oportunidade para aqueles que têm cargos públicos e, assim, conseguem se manter um pouco mais seguro. Leia Mais e descubra as outras 6 verdades.

10 Erros da língua portuguesa que mais acontecem na internet

A internet apareceu e disseminou as informações. Mas, não apenas isso. Ela também apareceu para colocar à tona a grande deficiência dos brasileiros em escrever corretamente, seja pela falta de educação escolar ou pela flexibilidade de estar presente nas redes sociais, sem ter que se preocupar com a norma-padrão da língua.

Segundo uma pesquisa feita em 2015, pelo Instituto Paulo Montenegro e pela Organização Não Governamental Ação Educativa, mais de 90% dos brasileiros não dominam de fato as disciplinas de português e matéria. Pior que isso: mais de 25% deles são analfabetos funcionais, ou seja, não compreendem e interpretam o que leem.

Para constatar isso, é preciso observar alguns dos concursos mais concorridos do país e analisar os números: Enem 2014 – Mais de 529 mil estudantes zeraram a redação; e Exame da OAB – Apenas 16% são aprovados, segundo a Fundação Getúlio Vargas.

Os 5 erros mais comuns do Enem e as 10 melhores dicas para tirar nota máxima na redação

Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, as redes sociais prejudicam o desempenho acadêmica dos alunos. “Quando os alunos assistiam às aulas totalmente focados e sem distrações, eles acionavam o hipocampo, região do cérebro responsável pela memória de longo prazo.

Sobre o Estudo da Memória, Renato Alves é especialista. Ele foi considerado um dos brasileiros com melhor memória após conseguir memorizar várias palavras e alguns números. Depois, ele criou algumas aulas explicativas sobre o tema, o que tem ajudado muitas pessoas à conseguirem boas notas nos concursos públicos. Aliás, com tantas leis e tantos requisitos, se a sua memória não tiver boa, com certeza, pode dar o famoso “branco” na hora H. Saiba Mais sobre o Curso do Estudo da Memorização.

Voltando ao assunto da internet, sabemos que gírias, abreviações e manias acontecem constantemente, principalmente nas conversas informais. No entanto, escrever uma palavra errada pode ser tornar um verdadeiro “mico”. Então, pensando nisso, selecionamos algumas mensagens que devem deixar de serem escritas, ou seja, esses são os erros mais comuns escritos pelos internautas.

Ah, e se você achar muito complicado entender e decorar essas palavras, faça o Curso de Memorização do Renato Alves e não erre mais.

  1. “A gente” substitui “Nós”, enquanto que “Agente” é um profissional, tal como um agente federal.
  2. “Fasso” não existe em nenhum lugar do mundo. O correto é “Faço”, uma flexão do verbo “Fazer”.
  3. “Abençoe” é o certo. Assim mesmo, sem o til, mesmo que seja uma derivação de “Benção”.
  4. “Concerteza” está incorreto e não existe. O correto é “Com certeza”.
  5. “Em baixo” está correto, mas é usado quando a palavra “baixo” tem sentido adjetivo, ou seja, o contrário de alto. Já “Embaixo”, que também existe, é usado como advérbio de lugar.
  6. “As veses” não existe! É “As Vezes” e, as vezes, pode ter crase também, ficando: “Às vezes”.
  7. “Excessão”. Nem pensar, apesar de ser tão comum. O correto é “Exceção”.
  8. “Afim” é ter afinidade por alguém. E “A fim” é estar interessado por alguém.
  9. “Derrepente”… Também não! É “De repente”.
  10. “Porisso” está errado. O Certo é “Por isso”.

Os 10 erros de português que acabam com qualquer entrevista de emprego

E, para mais saber, não é apenas nos concorridos concursos que a língua portuguesa é exigida. Em muitas entrevistas de emprego, seja por escrito ou linguagem oral, os entrevistadores observam o conhecimento sobre tal idioma. Selecionamos os 10 principais e, claro, a forma correta de se comunicar. Leia!

Reprodução: Google

1 – Houve

  • Errado: Deixei meu emprego porque houveram algumas dificuldades na empresa em que eu trabalhava.
  • Correto: Deixei meu emprego porque houve algumas dificuldades na empresa em que eu trabalhava.

2 – Meio e Meia (Já falamos disso nesse artigo)

  • Errado: Ela estava meia ameaçada de falência.
  • Correto: Ela estava meio ameaçada de falência.

3 – Reter

  • Errado: Inclusive, o chefe reteu meu último pagamento.
  • Correto: Inclusive, o chefe reteve meu último pagamento.

4 – Anexo

  • Errado: Segue anexo aqui, com meu currículo, dois trabalhos que fiz.
  • Correto: Seguem anexos aqui, com meu currículo, dois trabalhos que fiz.

5 – Onde (Também já falamos aqui nesse artigo)

  • Errado: Aliás, estudei na mesma faculdade aonde o senhor deu aula.
  • Correto: Aliás, estudei na mesma faculdade aonde o senhor deu aula.

Por Que as Pessoas não Conseguem ser Aprovadas em Concursos Públicos? 4 Lições de Pessoas Bem Sucedidas para Mandar Bem: Para além de ser perseverante e estar bem preparado, será que existem alguma característica especifica que pode fazer as pessoas passarem mais rapidamente nos concursos públicos? A resposta é sim. E essa resposta nós buscamos, além de outras fontes, com o Roniere Miranda, autor do livro “Finalmente Concursado”, da editora Método.

6 – Faz

  • Errado: Agora, já fazem cinco anos que trabalho nessa área.
  • Correto: Agora, já faz cinco anos que trabalho nessa área.

7 – Porque

  • Errado: Mas não terminei o curso por causa que decidi seguir outra carreira.
  • Correto: Mas não terminei o curso porque decidi seguir outra carreira.

8 – Ser

  • Errado: Espero que eu seje aprovado. Preciso de trabalhar.
  • Correto: Espero que eu seja aprovado. Preciso trabalhar.

9 – Dispor

  • Errado: Tenho certeza de que, se eu dispor de uma boa equipe, poderei trazer mais clientes para a companhia.
  • Correto: Tenho certeza de que se eu dispuser de uma boa equipe, poderei trazer mais clientes para a companhia.

10 – Mim (Falamos no texto acima)

  • Errado: Qualquer coisa que passem para mim fazer, eu entrego no prazo.
  • Correto: Qualquer coisa que passem para eu fazer, eu entrego no prazo.

Com informações do PortalConcursos e TodaTeen

Os 5 erros de português que mais acontecem nos concursos. (Bônus: Os 10 erros mais cometidos na internet)
5 (100%) 1 vote

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.