Hipnose para Memorizar Conteúdos? O Passo a Passo para Fazer em Casa

0
38

Os estudantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) assim como aqueles que vão prestar concursos públicos costumam ter muitas dificuldades em memorizar conteúdos das disciplinas que vão cair nas provas.

Este artigo é para falar sobre uma das técnicas usadas para facilitar essa conexão entre a aprendizagem e a fixação do conteúdo – será que ela realmente funciona?

“Eu percebi que a maior parte das pessoas justificam seu fracasso dizendo que concurso público é sorte, que não tem muito tempo para estudar ou que não conseguem ficar muito tempo sentadas estudando”, disse, Guilherme Canellas, que é hipnoterapeuta.

“Então, resolvi mostrar para elas que da forma correta e com as técnicas certas é possível potencializar os resultados e chegar a tão sonhada aprovação de forma muito mais rápida e sem ter que se sacrificar”, ele diz.

Mas, o que é a Hipnose?

A hipnose é um estado de concentração autoimposto, como se fosse uma condição de transe induzida externamente por médicos. Nela, mente e percepção da realidade fica completamente alheias, levando a concentração a um ponto específico.

A hipnose acontece quando você está concentrado em uma tarefa que sequer percebe o mundo ao seu redor, por exemplo. Isso inclui atividades simples, como ler livros, dirigir, cozinhar ou outro exercício que te deixa imerso.

Porém, nestes casos, a pessoa deve querer se concentrar, o que é fundamental.

A hipnose como processo clínico surgiu no século XVIII, quando foi desenvolvida por Anton Mesmer – que fez um processo que envolveu também o magnetismo.

O estudioso dizia que a manipulação correta dos fluídos magnéticos presentes no corpo seriam capazes de restabelecer a saúde.

Sigmund Freud também estudou o assunto e o tornou mais específico – como terapia psicoanalitica.

Assim sendo, não se sabe com exatidão a origem real da hipnose – sendo que existem apenas relatos de processos similares, associados ao misticismo, que acontecia desde a civilização maia, asteca, egípcias e gregas.

Para Relaxar e Aprender: 34 Filmes para Assistir antes do ENEM

O que a Hipnose Pode Fazer

Anestesiar Pessoas – Em 1845, antes da anestesia se popularizar, o médico James Esdaile usou a hipnose em cirurgias e amputações.

Curar Vícios – O tratamento é terapêutico e é preciso que seja feito com periódicas sessões hipnóticas.

Implantar Memórias – Existem casos de falsas memórias que acabaram na Justiça e começaram na atuação desastrada de hipnoterapeutas.

Sugestões Pós-Hipnóticas – É possível condicionar uma pessoa para que ela reaja a certos sinais, como pular toda vez que ouvir determinado som.

Hipnotizar a Força – Existem algumas técnicas que permitem isso sem que se perceba, porém, só dá certo se você dedicar atenção ao hipnotizador.

Reprodução: Google

O que a Hipnose Não Pode Fazer

Apagar Memórias – As pessoas podem se esquecer de acontecimentos, mas acabam se lembrando após algum tempo.

Acessar Memórias Reprimidas – As supostas lembranças são contaminadas pela imaginação.

Hipnotizar Bichos – É um fenômeno da parte mais moderna do cérebro humano e o que acontece com animais é catatonia (ou seja, paralisia).

Controle da Mente – Mesmo as pessoas hipnotizáveis não se tornam zumbis. A hipnose acaba quando a sessão termina ou alguns minutos após isso.

Regressão à Vidas Passadas – A ciência não acredita em reencarnação.

“O estado hipnótico é uma condição mental em que o cérebro apresenta alta atividade psíquica. É uma arma terapêutica poderosa porque a pessoa pode se desligar da realidade a té ver imagens que não existem”, garante o hipnoterapeuta Odair José Comin.

Breve História da Hipnose

No início do Século 18, Mesmer defendeu sua tese de doutorado na Universidade de Viena propondo uma ideia que anos depois se transformou na teoria da hipnose.

Em 1778, Mesmer foi expulso de Viena por não conseguir curar uma paciente e foi para Paris.

Em 1784, o rei Luis 16 formou uma comissão de cientistas notáveis, incluindo ele.

As técnicas de Mesmer foram proibidas e a hipnose transformou-se em show circense.

James Braid, em 1843, resolveu trocar o nome de mesmeirzação para hipnose, vias de fato, que vem de Hypnos, a deusa grega do sono.

A abordagem cientifica passou a ser estudada.

A técnica começou a ser aceita apenas em 1997, quando Henry Szechtman fez uma experiência com voluntários.

Como Funciona a Hipnose

O processo atual é feito como tratamento de quadros graves clínicos. A aplicação, que tem que ser feita por hipnoterapeuta, envolve técnicas como a intenção do paciente em ser levado ao estado de concentração.

De maneira geral, o terapeuta pedirá ao paciente que se concentre em um ponto especifico, o que inclui o conhecido pêndulo – mas que pode ser também outro ponto.

Quando está em transe, o terapeuta começa a aplicar mecanismos na mente do paciente, que são detectadas com antecedência, criando gatilhos que o façam superar problemas recentes – tudo vai depender do quadro do paciente.

De forma geral, a hipnose trabalha a relação do paciente com o inconsciente.

“Ocorre um aumento na produção de neurotransmissores como a Serotonina, que libera estímulos de bem-estar, combatendo a depressão e a noradrenalina, que ajuda na cura de doenças ao fortalecer o sistema imunológico”, diz a psicóloga Kátia Maria Takeuti.

A Hipnose como Capacidade de Concentração

Todas as pessoas que tem problemas como déficits de atenção ou que ficam muito ansiosas podem ter a ajuda dos gatilhos mentais na busca de uma melhor qualidade de vida.

Assim, os pacientes são incentivados a buscar a concentração por conta própria.

De forma cientifica, o uso correto do transe hipnótico libera neurotransmissores importantes para o relaxamento cerebral, como a Serotonina e a Noradrenalina. A aplicação não vem com riscos, mas é preciso cuidado.

Alguns especialistas, como os profissionais da Rede Clínica da Hipnose, afirmam que a hipnoterapia pode fazer com que a pessoa passe por um “destravamento mental” e evita que o “branco” apareça durante as provas.

Isso é possível a partir do momento que a concentração fica mais aguçada e as informações de grande importância sejam acessadas sem maiores problemas.

A Hipnose Vale a Pena para os Estudos

A regulamentação da Hipnose foi feita, inicialmente, pelo Conselho Federal de Psicologia, 013/00. Sendo “recurso auxiliar do tratamento psicológico”. Essa aprovação considerou que a hipnose é capaz de contribuir para a resolução de tratamentos físicos e psicológicos.

Depois, ela foi reconhecida pela Comunidade Científica Internacional e Nacional como campo de formação de psicólogos, tornando-se um braço da profissão e que é aplicada em diversas áreas da medicina.

Mais tarde, o Conselho Federal de Odontologia e o Conselho Federal de Medicina também definiram a adoção da hipnose, sendo “uma prática dotada de métodos e técnicas que propiciam aumento da eficácia terapêutica em todas as especialidades”.

Rafael Baltresca é um hipnólogo reconhecido no Brasil e diz que a hipnose é um instrumento para beneficiar a vida das pessoas – contando com o oferecimento de técnicas aplicadas para dormir melhor, praticar atividades físicas, emagrecer e também concentrar-se nos estudos e passar no concurso público.

Os 3 Principais Benefícios da Hipnose para o Estudo

A hipnose é um estado representado pela alta atividade cerebral, onde o individuo sobre um relaxamento físico.

Quando você está disposto a aprender algo, é preciso que certos fatores estejam a seu favor. No caso de estudos, você vai precisar de livros, por exemplo. Para entender como otimizar o tempo de estudo, separamos alguns pontos positivos da hipnose nessa atuação.

1 – Concentração Elevada

A concentração é um dos pontos mais importantes porque faz toda a diferença na hora do estudo. Nesse ponto, a hipnose trabalha a respiração e a inspiração, sendo que retira da mente todos os pensamentos negativos, focando no objetivo de estudar.

Na hipnose é possível adquirir a capacidade de recordar e de interpretar informações diversas, facilitando o aprendizado. Com a mente vazia, o nível de concentração aumenta, o conhecimento é mais facilmente absorvido.

2 – Redução do Estresse

O estresse também é um fator determinante para o estudante conseguir os resultados conforme os objetivos traçados. Se o estresse está alto, o resultado não vem porque isso atrapalha a produtividade do trabalho.

O estresse tem a ver, inclusive, com o cansaço mental e outros sintomas psíquicos, que chegam ao corpo, inclusive.

Nesse caso, as técnicas de hipnose trazem o relaxamento total para que o estudante aprenda a estudar melhor e com mais objetividade.

3 – Melhora a Autoestima

Medos e Inseguranças podem impedir o estudante de conseguir a melhor nota possível em determinadas provas.

Um dos benefícios da hipnose é trazer a alta estima de volta ao estudando, já que passa a considerar todos os tipos de desafios.

Reprodução: Google

Guia Rápido para Fazer em Casa

Se você gostou do artigo e acha também que a hipnose pode te ajudar a ter melhoras de resultados com os estudos, fique a vontade para aprender como fazer por conta própria e sem riscos para a sua saúde.

O ideal é que as primeiras vezes sejam auxiliadas por profissionais da área, no entanto, como diz Baltresca, “o exercício constante da auto-hipnose pode ser uma ferramenta valiosa não apenas de um ponto de vista pessoal, mas de evolução profissional”, afirma.

O método abaixo foi descrito por ele e deve ser feito em um lugar tranquilo, antes de você iniciar os seus estudos. Confira o passo a passo.

Esvaziar a Mente

A dica é anotar tudo o que está pendente no dia de estudo.

Inclusive as contas para pagar, os afazeres domésticos, e-mails…

Ao estabelecer a hora do estudo, deixe tudo isso para depois, para outro momento. Mas não se esqueça de deixar tudo anotado no papel – isso te ajuda a liberar a mente para os problemas que estavam preenchendo-a.

Prepare o Ambiente de Estudo

Depois de escrever as tarefas, organize o local de estudo, tirando tudo que for distração, como revistas, livros, tablets, televisão, alimentos, entre outros.

Além disso, aconselha-se usar páginas de internet que realmente sejam úteis – as outras páginas podem ser bloqueadas, começando pelas redes sociais.

Defina um Tempo Inicial e Final

Se você está prestes a começar o estudo, defina uma hora para terminar.

Veja o Futuro

Os três passos citados acima são apenas pré-requisitos para esse último.

A auto hipnose tem a ver com a evidência de que só é eficaz quando é feito com atenção.

Com os olhos fechados, respire fundo e solte o ar lentamente, imaginando o seu futuro.

Sim, você tem que se imaginar lá na frente, quando já tiver conseguido realizar seus objetivos – que pode ser um cargo melhor, um salário mais alto, a estabilidade profissional.

Apenas quando estiver muito relaxado e confiante, abra os olhos.

Vale considerar também que existem algumas portas para a percepção da hipnose, confira!

#Vídeo – Como Se Concentrar Nos Estudos

Bom, concentração ela é um estado da mente humana.

Concentração sendo um estado ela é necessária para a existência da vida, não existe pessoas que não tenham concentração, todos nós temos concentração é errado dizer “eu não tenho concentração”.

O correto é “eu estou concentrado“ nessa tarefa ou eu não estou concentrado nessa leitura ou nessa tarefa, então concentração é estado da mente que todos nós temos, o que varia de pessoa pra pessoa é o grau de concentração que ela consegue atingir, tem pessoas que conseguem atingir um grau maior de concentração.

Ai existem alguns fatores que influenciam nisto, e tem pessoa que não conseguem atingir grau nenhum de concentração, porque as vezes tem fatores que pedem que elas se concentrem.

Você pode dizer que uma pessoa tem pouca concentração, ou tem média concentraçãoou tem alta concentração, mesmo pessoas com déficit de atenção pessoas com (DDA).

Observou-se que nessas pessoas, momentos de hiper concentração, ou seja, elas tinham mais concentração do que a média, então concentração todos nós temos e é preciso descobrir como aumentar o grau de concentração dessas pessoas.

Portas de Percepção da Hipnose

Fixação de Olhos – é o clássico método do reloginho que foi criado por Braid. O hipnotizador pede ao paciente que se concentre fixamente em algum ponto.

Narrativa – o paciente tem que relaxar, membro a membro. Após isso, em tom calmante, o hipnólogo o leva a imaginar uma história.

Confusão – foi criado para lidar com pessoas resistentes e consiste na ilusão das pessoas com atos incomuns, como um aperto de mão que se prolonga e vira uma espécie de massagem.

Desequilíbrio – o hipnotizador diz ao paciente que fique em uma posição difícil de manter de pé. Ao mesmo tempo, pede que ele se concentre em seus membros.

Choque – consiste em simular uma hipnose comum, passando as mãos na cabeça da pessoa – mas de repente fazer um gesto brusco, jogando a cabeça para trás enquanto grita “durma”.

Todo Mundo é Hipnotizável

A hipnose é mais comum do que se imagina. “O estado hipnótico é parecido com o que acontece quando você fica absorto, lendo um livro”, diz David Spiegel, que é psiquiatra e especialista em hipnose.

Pesquisas feitas na Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos, revelaram que o cérebro das pessoas é hipnotizável com características marcantes.

Os cientistas especulam que a superconexão das informações é fluída dentro do neocórtex,  por isso, o cérebro tem maior facilidade em suprimir ou ignorar a atuação do sistema límbico.

Técnicas de Memorização para Passar em Concursos Públicos

As técnicas de memorização existem para que o estudante consiga otimizar o tempo de estudo e tenha facilidade em fixar o conteúdo importante para a prova e os outros testes que compõe o concurso público.

Um dos especialistas nesse assunto é Renato Alves, que foi o primeiro brasileiro a conseguir entrar para o Guiness Book do Brasil em uma prova de memorização. Ele atualmente trabalhando dando palestras e ensinando pessoas a otimizar seus tempos, suas produtividades e seus dia a dia.

Ele gravou um vídeo falando dos 4 erros mais comuns dos estudantes ao estudar para concursos públicos. Confira abaixo:

Quantas Horas Estudar por dia para Passar no Concurso Público?

Para um candidato que tem o objetivo de passar em um concurso público muito concorrido e que tenha na prova itens como leis, o tempo mais recomendável para o estudo é de 8 horas por dia. Ou seja, 1/3 do dia.

Já para quem saiu dos estudos recentemente e teve continuação para concursos “mais fácil”, imagina-se que estudar 4 horas por dia seja suficiente.

Note que ter um cronograma estudantil de horários é importante, mas quanto mais você estudar, melhor será o resultado.

A grande dica é conseguir aproveitar ao máximo o seu tempo. Por exemplo, vamos à um exemplo simples: suponhamos que você trabalhe o dia todo e tenha apenas o período noturno para estudar. Então, certifique de que estudará das 7 às 23 horas todos os dias.

Então, é um tempo considerável, mas nada que vá muito além disso.

O que você pode fazer? Pode optar por otimizar o seu tempo de estudo. Existem dicas e técnicas de memorização, por exemplo, que podem te ajudar a entender um texto mais rapidamente ou compreender fórmulas de maneira ágil. Isso seria importante, não é?

Portanto, invista nessas técnicas.

Muitas pessoas pensam que o relaxamento, como acupuntura, ioga ou alongamentos são perca de tempo, na verdade, tem efeito contrário. Quanto mais relaxado você está, mais o estudo vai fluir positivamente no quesito qualidade.

Lembra-se do que falamos no início? Não importante muito quanto tempo você estudará por dia e sim quanto aprendeu naquelas horas.

Além disso, há de se optar por incluir nos momentos de descanso atividades que apoiem a cognição, memorização, raciocino lógico ou que contribuam para o aumento de conhecimento, como assistir filmes históricos ou ler livros recomendados.

Para resumir a história e nas palavras de William Douglas: “O número ideal de horas a estudar é o maior possível de horas que você puder, mantida a qualidade de vida e do estudo”.

Como Aproveitar os Feriados para Estudar? 7 Dicas Rápidas

Sendo assim, estudo o tempo que for, mas com aproveitamento. Pode ser 2 horas ou 4 horas ou horas ou 12 horas, desde que não tire o conforto da sua vida ou fique desgastante demais. O recomendável é apenas não estudar apenas 10 minutos por dia ou 10 horas por dia e não ter uma vida equilibrada.

Reprodução: Google

Ser Persistente Sempre

Diante de tudo isso, temos uma notícia ruim: o processo de estudar para concurso público é longo e dificilmente você conseguirá passar na primeira tentativa ou nos primeiros meses de estudo. O estudo requer paciência, sabedoria e persistência.

Você não pode e não deve ficar noites sem dormir para estudar. Isso prejudica em vários aspectos: a sua saúde e o seu conhecimento, já que cansado você conseguirá reter apenas o mínimo de conhecimento aprendido.

O sono é importantíssimo, assim como o relaxamento do qual já falamos.

Você tem que terminar a leitura deste artigo entendendo que mais do que o tempo de estudo, o importante é a qualidade dele.

O seu estudo tem relação direta com o seu estudo, mas o tempo não. Afinal, existem pessoas que estudam 1 ano para concurso público e passa, já outros que ficam há décadas, não tem o mesmo resultado.

Isso se explica pela qualidade do estudo.

Corpo e Mente – Como Atividades Físicas Melhoram a Memória?

Um estudo publicado pela revista Acta Psychologica avaliou os efeitos dos exercícios físicos para a memória e o resultado foi grandiosamente positivo – manter o hábito dessas atividades pode ser mais benéfico do que você imagina e vai além do fortalecimento muscular, já que influencia também na melhora da memória a longo prazo.

Para a pesquisa foram recrutadas 46 pessoas, sendo 29 mulheres e 17 homens. Eles foram distribuídos entre os ativos e os sedentários. No teste, era necessário memorizar 90 imagens, que eram classificadas como positivas, negativas e neutras. Depois, os grupos realizaram exercícios em uma academia.

Nesses exercícios físicos, a frequência cardíaca foi monitorada e coletas de salivas eram colhidas para detectar certos níveis de neurotransmissores vinculados ao estresse.

Ao voltar ao laboratório da pesquisa, os voluntários tiveram que visualizar 180 imagens, das quais 90 eram as originais. O grupo sedentário recordou apenas 50% das fotos e os praticantes de esportes conseguiram aproveitamento melhor – de 60%.

Lisa Weinberg é uma das principais autoras do estudo e avalia o exercício físico para a memória como “a investigação indica que as pessoas não precisam dedicar grandes quantidades de tempo para dar um impulso ao cérebro”.

Audrey Duarte também se envolveu no estudo e diz que “os resultados nos dão uma ideia de que áreas do cérebro podem apoiar benefícios da memória induzidos pelo exercício”.

Leia Mais!!

Com informações do Correio24Horas, Biosom, RedeClinicadaHipnose

Hipnose para Memorizar Conteúdos? O Passo a Passo para Fazer em Casa
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA