10 Formas de Começar Bem uma Redação no Enem

0
37

Todo mundo que vai prestar o Enem sabe que uma das grandes dificuldades é conseguir tirar nota 1.000 na redação. Para alguns, o fato de não zerar a proposta já é admirável, afinal, existem muitos casos onde isso acontece.

O caminho para uma redação perfeito é árduo e vai exigir muito talento e dedicação.

Vários pontos precisam ser observados nessa hora – manter a calma é o ponto número 1. Depois disso, é preciso atentar-se ao fato de que a banca cobra coesão, embasamento, articulação, além das peculiaridades da norma culta da língua.

“Entende-se que o momento da prova é uma fase de muito nervosismo, mas são necessárias concentração e muita prática para o sucesso”, diz a professora Talita Aguiar, do Curso Progressão Autêntico.

A leitura também é essencial.

“O aprendizado se dá ao longo do tempo, com o convívio com a língua padrão. E onde está a língua culta? Nos livros”.

Selecionamos alguns números das últimas provas do Enem, muitas dicas e algumas recomendações para começar bem uma redação nota 1.000.

Resultados de 2016

Em 2016, a maior parte dos participantes do Enem obteve nota que ficou entre 500 e 600 pontos e apenas 77 candidatos tiveram nota 1.000. Além disso, mais de 290 mil zeraram a redação ou tiveram anulação dela.

O que impressiona são os motivos da anulação, que são vários e foram listados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão que é responsável pela aplicação do Exame em todo país.

Some à isso ainda o fato de que nos dois últimos anos os temas abordados foram: violência contra a mulher e os caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil. No ano passado, os estudantes fizeram um texto sobre o combate do racismo no Brasil.

Entre essas pouquíssimas pessoas que conseguiram nota 1.000 nos últimos anos, selecionamos algumas que conseguira o êxito e dão dicas para as próximas provas.

Caroline Marson Dal Más – 2016

Ela diz que é importante ter domínio da norma culta da língua portuguesa, levando em conta a gramática para a construção de um texto de destaque.

“Procure escrever de forma concisa e objetiva, com uma linguagem simples e acessível. O importante em uma redação não é utilizar palavras rebuscadas, mas sim a capacidade de defender o seu ponto de vista”, ela diz.

Caroline também recomenda estudar os temas da atualidade mundial para não ser surpreendido por um assunto que você não tem domínio.

Por fim, defenda o seu ponto de vista de forma convincente – é na redação que o aluno tem a chance de mostrar o seu domínio e impressionar o corretor. Tenha argumentos embasados em alguma área das Ciências Humanas ou da Natureza – e seja criativo.

“Treine, treine e treine. Esse é o segredo. Quanto mais redações você escrever, melhor seu texto vai ficar com o passar do tempo”, finaliza.

Stéfani Inouye de Paula – 2015

Stéfani diz que para criar uma boa tese, o estudante tem que ter um norte, que vai direcionar toda a linha argumentativa do seu texto – a dica dela é resumir seu posicionamento em uma só frase e elaborar a introdução.

Depois, ela recomenda planejar o texto. “Essa etapa é como se fosse a construção de um esqueleto do texto, onde, a partir dele, o corpo argumentativo será moldado”, ela recomenda.

Após esse panorama, o estudante precisa “costurar” o texto, como ela diz. A ideia é ter uma linha argumentativa coerente, mas sempre interligada entre os parágrafos. Stéfani aconselha fazer uso de palavras como “no entanto, “mas” e “além disso”.

O próximo passo é explicar a proposta de intervenção.

Ela também explica com exemplos, ao dizer que se não se deve usar expressões como “é preciso medidas de conscientização popular para resolver esse problema” – isso empobreceria o texto.

“O que deve ser feito e quem fará”? Essas perguntas precisam ser respondidas antes de o texto chegar ao fim, ela diz.

Para finalizar as dicas, Stéfani diz que a leitura é muito importante para ter uma redação nota 1.000.

“Procure manter-se informado sobre o mundo que te rodeia e busque saber um pouco de tudo. Ter uma bagagem conteudista é o que vai fazer o seu texto ser mais rico do que o dos concorrentes”.

Bruno Henrique Batista Valcácer – 2016

Bruno diz que nunca se deve desprezar a redação, ainda mais se o seu objetivo for passar em um curso concorrido. “Você vai precisar de um texto muito bom”.

Aumentar o senso crítico, conversar com várias pessoas diariamente, treinar o relacionamento com os temas da redação, buscar conhecimentos em todas as áreas… Tudo isso vale muito a pena, diz Bruno.

“Treine muito. Com os treinos, você percebe onde erra mais. Ao reescrever os textos sendo guiado por uma profissional, você consegue aumentar a qualidade”, afirma o estudante.

Para ele, a regra é saber a norma culta padrão – que vale 200 pontos na redação.

Desirée Maccarroni Abbade – 2016

Diseréé recomenda aos alunos do Enem que leia todas as matérias de atualidades, procure fazer intertextualidades, tirar dúvidas sobre a estrutura da redação e praticar, em média, duas vezes na semana.

“Não desista nunca. Por mais que parece que não esteja havendo evolução, saiba que ela existe. Eu fiz 18 redações e tive a mesma nota até conseguir uma pontuação maior. Se você tem professores ou monitores, aproveite ao máximo”.

Sofia Dolabela Cunha Saúde Belém – 2015

Sofia cita um ponto importante para quem vai escrever redações: fazer um rascunho de todas as ideias que vierem à sua mente quando você pensar no assunto – “um brainstorm inicial”.

Ela diz que depois disso, é preciso separar as ideias e selecionar as melhores, para a partir daí começar a montar as ligações entre os argumentos. “Use e abuse os conectivos, como dessa forma, assim sendo, haja vista, entretanto, contudo”.

Por fim, evite propostas de intervenção clichês.

“Seja mais específico possível e busque conhecer os diversos Ministérios e as funções de cada esfera do poder para ter mais propriedade nas suas sugestões”.

Reprodução: Google

10 Formas de Começar uma Redação Dissertativa – para o Enem

Por mais que tenhamos conhecimento do assunto e facilidade em escrever, alguns fatores psicossociais também influenciam na hora de escrever uma redação, ainda mais se existir a pressão para conseguir uma boa pontuação final.

Portanto, ainda que seja possível evitar, muitas pessoas têm sofrem como famoso branco e o nervosismo na hora de começar a escrever um texto.

Se você é dessas pessoas que têm dificuldade para escrever as primeiras linhas da sua redação, confira alguns exemplos que foram selecionados pela professora Suzana Luz dá as dicas de como você pode escrever o primeiro parágrafo.

1 – Apresentação Direta do Argumento

A convivência com um dependente de álcool ou drogas, além de todos os seus reveses, também pode se tornar um vício poderoso, uma doença.

Mães, mulheres e irmãos de dependentes costumam assumir para si a tarefa de consertar a ovelha negra da família.

Quando dão por si, passaram a viver em função do problema alheio. Ora se comportam como salvadores, ora assumem o papel da vítima, ora cooperam e alimentam ainda mais o vício.

2 – Indagação do Tema

Será que existem fatos (não preconceitos) a confirmarem a inépcia ou mesmo a inferioridade de certas raças, estacionadas durante o processo evolutivo, a meio caminho entre o animal e o homem?

São perguntas, não afirmações.

Mas, por que admitiríamos, no plano individual, a existência de gênios e retardados e tememos fazê-lo no plano racial?

Por Emir Calluf, da Gazeta do Povo.

3 – Definição do Tema

A gíria é um patrimônio comum, é um instrumento de comunicação que parece imprescindível, sobretudo para a juventude. Até mesmo as gerações que a condenavam acabaram por assimilar algumas expressões de maior ocorrência.

Por Thaís Montenegro Chinellato

4 – Análise do Tema

O espírito humano é por natureza curioso, reflexivo. O mundo que o instiga deve também instiga-lo a desafiar, criticar e questionar as ideias que a coletividade e a sua cultura oferecem. Trabalhamos ideias quando escrevemos.

Por Wendel Johnson.

5 – Dados Históricos

Desde que aprendeu a manejar o fogo e a roda, o homem passou a gerar uma força produtiva, a qual desencadeou as invenções, as conquistas e o progresso.

Mas essa produtividade prejudicou o relacionamento entre os povos, assim como entre patrão e empregado, no domínio pela tecnologia e na exploração da mão de obra.

6 – Citação Ratificada

Navegar é preciso, viver não é preciso. Com leve estremecimento de susto aplica-se o antigo verso do poeta Fernando Pessoa ao sistema de informação, pesquisa e correspondência por computador, a comunicação online, a internet.

7 – Exposição do Ponto de Vista

Na medida em que a caça é proibida no Brasil, não se pode admitir a existência de uma Associação Brasileira de Caça nem de lojas de caça e pesca. Um novo capítulo da Constituição Brasileira proíbe essas atividades.

Caça não é esporte porque esporte pressupõe igualdade de condições entre os contendores, um conhecimento prévio, de ambas as partes, das regras do jogo e a existência de um juiz que faça cumprir essas regras.

Por Cacilda Lanuza.

8 – Com Dados Estatísticos

A cada ano que passa, mil crianças morrem por dia debaixo do céu brasileiro. Morrem de doenças para as quais a medicina criou uma infinidade de nomes, todos sinônimos de um só mal: fome, subnutrição.

Por Eric Nepomuceno.

9 – Fatos Representativos

Que países em guerra ou vítimas de catástrofes tenham conhecido e ainda conheçam a fome, é compreensível, ainda que não se explique. Que países vítimas de clima ingrato e solo ainda mais ingrato tenham que dosar a ração alimentar, entende-se.

Por Marilda Prates.

10 – Pequena Narrativa

Dentro de uma ambulância, um paciente está em estado grave. Perto dele, um médico jovem, com pouca experiência nesse tipo de atendimento, tenta dar os primeiros socorros.

Mas a situação se complica.

Neste momento, muito longe daquele local, entra na operação de socorro um outro médico, profissional bem mais experiente, capaz de comandar com tranquilidade uma situação como essa.

Ele está no hospital para onde o paciente está sendo levado. Esse médico também vê, por uma tela de televisão, o próprio paciente.

É como se ele estivesse lá.

Situações como essa, que a princípio parecem ser privilégio do futuro, poderão ocorrer mais breve do que se imagina.

Por Cilene Pereira, IstoÉ.

Reprodução: Google

Possíveis Temas da Redação do Enem 2017

O dia do Enem está chegando… E os especialistas já começaram a cogitar alguns temas que podem ser base do tema cobrada na redação.

Fizemos a seleção, confira.

Mobilidade Urbana

A mobilidade urbana é um grande problema no país e um grande desafio de diversas metrópoles mundiais – grandes centros ainda buscam soluções para melhorar as dificuldades do transporte público e transformá-lo em algo sustentável.

Se esse tema cair na redação, o que você precisa saber? Soluções para melhorar o transporte público no país – pesquisa casos de sucesso, inclusive, em Curitiba. Lembre-se de trabalhar com a questão da sustentabilidade, sempre!

Homofobia

O casamento entre pessoas do mesmo sexo já é permitido no Brasil – e isso acontece desde 2013, conforme a resolução 175, aprovada durante a 169ª sessão Plenária do Conselho Nacional da Justiça.

Porém, o assunto ainda figura no Brasil de forma a fazer do país um dos mais agressivos quanto à crimes devido à orientação sexual.

Na hora de estudar esse tema, vale a pena também pesquisar sobre o Projeto de Lei 122, que tentava criminalizar a homofobia, mas que foi arquivado.

Esporte como Inclusão Social

O Brasil sediou os Jogos Pan-Americanos de 2007, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas em 2016. Portanto, o tema relacionado ao esporte pode ter chance de ser cobrado em dias futuros.

Como o esporte pode ser uma ferramenta de inclusão social?

Estude programas sociais disponibilizados pelo governo ou pelas ONG (Organizações Não-Governamentais) que beneficiam muitos esportistas brasileiros.

Depressão Entre Jovens

O Enem sempre cobra assuntos do aspecto social e o aumento da depressão é um deles – que vem ganhando destaque no noticiário, a se lembrar da famosa brincadeira da Baleia Azul.

Conforme o estudo do Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos estima que 11% dos adolescentes manifestam sintomas claros de depressão.

O que você poderia estudar sobre isso?

A depressão, e consequentemente o suicídio, ainda são temas considerados tabus na atual sociedade, assim, a falta de informação de grande parte da população em relação à doença.

Estudo a Campanha Setembro Amarelo que vem ganhando força e visibilidade.

3 Meses para o Enem – O que Fazer?

Daqui a praticamente 3 meses vai acontecer o maior exame nacional para estudantes do Ensino Médio (Enem) e, mesmo com a queda do número de inscritos, a quantidade de interessados é grande, afinal, se forem bem nas provas, os candidatos podem conseguir uma vaga na universidade – como os programas do Governo Federal.

Quem seguiu um cronograma correto, já deve ter bastante conteúdo fixado na cabeça. Já para aqueles que procrastinaram por algum tempo, o período é de desespero. No entanto, a dica, para ambos é uma só: concentração e otimização de tempo.

Agora, o momento é de revisar, passar conteúdos e memorizar aquilo que ainda não está fixado na mente. O desespero, nesse caso, é inimigo.

Portanto, mesmo que você ache que ainda não sabe tudo que deveria, mantenha a cabeça no lugar – procure dormir 8 horas por noite, praticar atividades físicas e deixar o corpo em sintonia com a mente.

Muitas vezes, o cansaço, o sofrimento e a pressão impostas sobre o candidato pode atrapalhar o desempenho, até mesmo daqueles que estudaram em maior quantidade de tempo.

Se você puder fazer meditação ou ioga também é aconselhável, além da alimentação leve, rica em frutas, verduras e legumes, deixando os gordurosos para lá.

MAS POR QUE?

“A gente tem um monte de conhecimento, que vai organizando, e chega uma hora em que essa quantidade de informação simplesmente dá um ‘tilt’. Uma hora falha. E falha de tal forma que a gente lembra a roupa que o professor estava vestindo e tudo o que aconteceu naquele dia, menos o diabo do exercício”, diz Paulo Motta, que é professor do departamento de psicologia evolutiva, social e escolar da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo).

Claro que o branco não é definitivo, mas pode atrapalhar e muito sua nota final. O mais importante é conseguir contornar a situação e isso pode ser feito com os exercícios citados acima, que são técnicas de relaxamento.

E PARA NÃO DAR O “BRANCO”, O QUE FAZER?

Veja o que disse em seu blog, o especialista em memória Renato Alves.

Estude menos e seja aprovado. Durante a preparação do livro O Segredo dos Gênios, compilei o resultado de entrevistas que realizei com os melhores estudantes e professores que conheci ao longo de 13 anos de carreira como mnemonista.

Um dos meus objetivos era descobrir com quantas provas se faz uma aprovação e também saber quantas reprovações seriam necessárias para fazer um estudante desistir de seu sonho.

Estude menos e seja aprovado, como ser aprovado em concursos e vestibulares.

Foi importante constatar que os grandes campeões não alcançaram o topo na primeira tentativa. A maioria enfrentou várias reprovações antes de subir ao pódio.

Uma estudante de medicina da USP, por exemplo, relatou que para conquistar sua vaga teve de digerir sete derrotas nos vestibulares. Também, uma promotora de justiça disse que tentou o mesmo concurso 22 vezes antes de assumir o sonhado cargo público. Um bacharel em direito, prestou nove vezes o exame da OAB para conseguir sua carteira.

Leia Também: Medicina da USP vai adotar Cotas Raciais e ENEM para o…

Perguntei a cada um deles: Quantas reprovações você suportaria antes de desistir do seu grande sonho? De todos, ouvi a mesma resposta: Quantas fossem necessárias!

O único caminho para quem não desiste é o da aprovação. Para isso é necessário ter boa memória e um dos mecanismos mais importantes para formação da memória humana é a repetição.

É a memória de longa duração que registra assuntos com os quais tivemos mais contato. Por exemplo: uma lei que é estudada e revisada diversas vezes vai parar neste tipo de memória, que é capaz de durar muitos meses, anos, ou por toda a vida.

Este mecanismo pode explicar porque o estudante que reprova, mas insiste, tem mais chance de ser aprovado.

Pensemos assim: no primeiro concurso de sua vida você ficou muito tenso, teve lapsos de memória e foi reprovado.

Conquistou apenas a desastrosa experiência do primeiro concurso. Mas insistiu e estudou com maior atenção seus pontos de dificuldade, aprendeu a reverter os brancos que podem ocorrer durante a prova e ampliou o seu conhecimento.

Na segunda tentativa não ficou tão nervoso, mas, novamente, foi reprovado. Você aumentou para dois o número de concursos no currículo.

Do ponto de vista da memória, ao contrário do que se pensa, o concurseiro reprovado terá que estudar menos a cada concurso que presta, pois retoma os estudos sabendo mais.

Outro dado importante: a cada prova, ele ganha mais experiência, fica cada vez mais à vontade e isso ajuda a afastar o fantasma dos lapsos de memória.

Gosto de associar o concurso público a uma corrida de Fórmula 1. Nesta modalidade esportiva, se não houver nem uma batida, se não estourar o motor de nenhum dos carros, quem cruzará a linha de chegada? Resposta: Todos!

O mais importante para um concursando é nunca desistir. Desde que não lhe falte disciplina e ânimo, recomendo que durma tranquilo, pois estará trilhando o inevitável caminho da aprovação.

Autoconfiança é Importante?

Muito. “Tem muito aluno que estuda, conhece, mas não tem autoconfiança. Ele esquece que ninguém sabe tudo”, diz Alberto Francisco do Nascimento. “Ai, meu Deus, amanhã é a prova. Amanhã é a prova? Encare com naturalidade”, afirma.

“Se durante a prova o aluno ficar nervoso, pare, tire a caneta da mão e inspire profundamente. Prenda a respiração, solte devagar. Faça isso quantas vezes forem necessárias. Daí, volte para a prova”, aconselha o professor.

Para finalizar esse pensamento, o professor lista as medidas que devem ser tomadas:

  • Mantenha-se Calmo. Lembre-se: você sabe o conteúdo,
  • Comece pelo assunto no qual você tem mais facilidade,
  • Faça outras questões e, depois, volte àquela em que você sentiu dificuldade,
  • Leia o enunciado com calma,
  • Inspire profundamente e solte a respiração devagar até se sentir relaxado.

Com informações do mundovestibular, querobolsa, blogdoenem

10 Formas de Começar Bem uma Redação no Enem
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA