Qual é a Nota de Corte do Enem para estudar em Portugal?

0
11

É 26 o número de universidades portuguesas que aceitam a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) como forma de ingresso para o ensino superior. Este é um número crescente que está acompanhando o interesse dos estudantes brasileiros em ir para as terras lusitanas.

Porém, muitas pessoas ainda têm dúvidas de como tudo funciona – inclusive, será que existe alguma nota mínima do Enem para conseguir tais acessos?

O objetivo deste artigo é justamente esse – de trazer esclarecimentos, de forma geral, sobre a aprovação de alunos no Concurso Especial de Acesso e Ingresso do Estudante Internacional.

A base foi tirada de dados para o Ano Letivo de 2017/2018, a partir da 1ª fase, na Universidade do Algarve (UAlg).

Nessa faculdade, a nota mínima obtida para ingresso foi de 10 enquanto que a máxima foi de 15,6.

Claro que isso vai depender de cada curso, do processo seletivo, da variação das notas – tudo isso pode mudar de ano para ano. Inclusive, até mesmo a fase é importante, já que a maior parte das instituições de ensino superior portuguesas abrem três fases de candidatura.

“Portugal hoje é um país com universidades muito boas, reconhecidas lá fora. Nomeadamente, a de Lisboa e a de Porto se destacam em tecnologia”, diz o estudante em Doutorado Jamil Farkatt.

“Temos aqui a oportunidade de trabalhar com docentes portugueses que têm experiências nos Estados Unidos, em Londres… O corpo docente português é um corpo docente top class”, afirma.

A Conversão da Nota do Enem para a nota Portuguesa

O cálculo para fazer a conversão da nota do Enem depende da área escolhida – especificamente do curso escolhido.

Primeiro, para considerar o ingresso na UAlg é condicionado a uma pontuação mínima de 500 pontos na prova de redação e pelo menos 475 pontos em cada uma das provas restantes.

Para exemplificar essa conversão de notas, vamos mostrar um exemplo.

Imagine um candidato interessado em cursar Biologia e que teve 850 pontos na prova de redação e 700 pontos em cada uma das provas nas diferentes áreas do conhecimento, nomeadamente: Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias e Matemática e suas tecnologias.

Na primeira parte do cálculo, a soma das notas em todas as áreas seria dividido por 5 – sendo assim: 700+700+700+700+850/5 = 730 pontos.

Depois, seria necessário verificar, ao final da prova, o curso pretendido – o qual já sabemos que era de 700 pontos.

Na terceira etapa, é preciso fazer o cálculo da classificação, que é dada por uma fórmula fixa – 730 x 0,65 + 700 x 0,35 = 719,50 pontos.

A classificação final é obtida por essa nota, que deve ainda ser multiplicada por 20 e dividida por 1000 – ou seja, 719,50 x 20/1000 = 14,39.

Assim, a nota final de 14,39 levaria o nosso candidato em exemplo a aprovação no Curso de Biologia na UAlg.

Leve em conta que as Notas de Corte mudam

Exatamente como acontece no Brasil, em cada processo de seleção pode haver uma variação na nota mínima do ingresso – portanto, dedique-se sempre a estudar muito para as provas do Enem para que sua nota seja suficiente para o ingresso em Portugal.

Não fique a mercê apenas das estatísticas ou de dados dos cursos anteriores – eles servem para orientar, mas podem se alterar na sua vez.

Reprodução: Google

Como Estudar em Portugal usando a Nota do Enem

Entre as 26 universidades portuguesas, destaca-se a Universidade do Minho (UMinho), que tem 19 mil alunos nas cidades de Braga e Guimarães – sendo uma das principais instituições de ensino superior em Portugal e que tem, atualmente, 500 alunos brasileiros.

Carla Martins é pró-reitora de Internacionalização da UMinho, que faz intercâmbio. Ela diz que essa viagem estudantil beneficia os alunos, docentes, pesquisadores e até mesmo os moradores das cidades.

“Os estudantes brasileiros, ao vir para a Universidade do Minho, têm a oportunidade de estudar em um país que não é o seu de origem, e isso traz todas as vantagens de eles terem uma experiência de internacionalização porque achamos que é muito importante para uma universidade ter no seu campi alunos de várias nacionalidades”, ela diz.

“Nesse momento, temos cerca de alunos de 80 nacionalidades, o que faz com que este seja um ambiente muito cosmopolita, multicultural”, disse Clara em entrevista à Agência Brasil.

As notas que os estudantes brasileiros tiram no Enem servem para classificar os alunos que vão concorrer às vagas.

Na Universidade do Minho, por exemplo, essas vagas representam 20% do total. Conforme Clara, no sistema português, há um conjunto de provas específicas que os alunos têm que prestar e as notas do Enem substituem as desses exames.

“Por exemplo, se ele quer engenharia, tem que fazer o exame de matemática, física e química. No caso dos alunos brasileiros, como o Enem tem várias provas, o que acontece é que nós aproveitamos as provas que eles fizeram e damos ponderações diferentes para cada uma das dimensões das provas”, ela comenta.

Assim, as provas feitas no Brasil são usadas, mas com parâmetros de ponderação portugueses para efeitos de cálculos.

“Os estudantes brasileiros vão entrar no âmbito do Estatuto do Estudante Internacional, para o qual há vagas específicas. Eles não competem com alunos nacionais, competem com alunos de outras nacionalidades”, ela lembra.

“Ao aceitar a nota do Enem, significa que os estudantes brasileiros, a partir do momento em que fazem a prova no Brasil, estão em condições de concorrer aos cursos da Universidade do Minho”, garante Carla Martins.

Histórico de Brasileiros na UMinho

Para a pró-reitora, a experiência com alunos brasileiros é positiva – o Brasil é a maior comunidade de estrangeiros por lá. Ela diz que a adaptação dos estudantes, normalmente, é muito rápida.

“Eu acho que a língua é um fator que facilita. Isso faz que com os alunos cheguem e sintam um bocadinho em casa. Quando comparamos o desempenho dos nacionais com o dos brasileiros, não vemos nada de diferente”, ela avalia.

“Claro que temos muito bons alunos, alunos bons, médios… mas, em geral, estou convencida de que, se estivessem numa universidade brasileira, seu desempenho seria semelhante. São ótimas notícias”, ela diz.

Confira a lista de Universidades Portuguesas que aceitam o Enem!

  1. Universidade de Coimbra
  2. Universidade de Algarve
  3. Instituto Politécnico de Leiria
  4. Instituto Politécnico de Beja
  5. Instituto Politécnico do Porto
  6. Instituto Politécnico de Portalegre
  7. Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
  8. Instituto Politécnico de Coimbra
  9. Universidade de Aveiro
  10. Instituto Politécnico de Guarda
  11. Universidade de Lisboa
  12. Universidade do Porto
  13. Universidade da Madeira
  14. Instituto Politécnico de Viseu
  15. Instituto Politécnico de Santarém
  16. Universidade dos Açores
  17. Universidade da Beira Interior
  18. Universidade do Minho
  19. Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (Cespu)
  20. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
  21. Instituto Politécnico de Setúbal
  22. Instituto Politécnico de Bragança
  23. Instituto Politécnico de Castelo Branco
  24. Universidade Lusófona do Porto
  25. Universidade Portucalense
  26. Instituto Universitário da Maia (Ismai)

O Passo a Passo para aumentar as chances de ser aceito em uma universidade no exterior

College List 

É importante para você pensar em outras opções e não apenas naquela universidade que você tanto quer. Afinal, com os olhos vedados, você pode perder outras oportunidades de estudar em lugares maravilhosos apenas porque não pesquisou mais sobre eles. Entenda e descubra, de fato, qual o melhor colégio para você.

Organização

Evite o estresse do fim de ano e da época das provas e para isso prepare um calendário com as melhores datas para fazer as inscrições nas universidades escolhidas no College List. Estipule prazos!

Atividades

É importante estar envolvido com atividades que deem prazer e não apenas aquelas que te darão um bom currículo. O que te deve unir ao seu contexto é a sua paixão, primordialmente porque isso pode se tornar essencial na sua vida.

Motivos

Entenda e veja os motivos pelos quais você quer estudar fora. Isso pode ser longo, cansativo e requer muita persistência, mas se você tem objetivo e motivos tudo valerá a pena. Se você quer estudar fora apenas para ter o gostinho da aventura, então, pode pensar, por exemplo, em um intercâmbio. Faça sempre análises para ver se não há caminhos alternativos para atingir o mesmo objetivo.

Como se Candidatar para as Vagas de Portugal?

O clima ameno, o idioma similar e as inúmeras universidades são pontos importantes para os estudantes que escolhem Portugal – tanto para graduações como pós-graduação.

Como visto, o caminho mais curto é através do Enem – graças a uma parceria feita entre o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e as instituições portuguesas.

“O que me chamou a atenção foi o nome e a tradição de Coimbra como um todo”, disse Fabíola Pretel, que começou a graduação em jornalismo em 2015, em Coimbra.

“Eles pediram meu histórico escolar, o diploma, uma carta de motivação e que três pessoas me recomendassem”, disse Ramon Bittencourt Mendes, que faz mestrado em Inovação e Empreendedorismo Tecnológico na Universidade do Porto.

“Além das aulas, as apresentações de seminários, os debates e os artigos exigidos por disciplina devem ser todos falados e escritos em inglês”, destaca a doutoranda em Direitos Humanos nas Sociedades Contemporâneas Saskya Lopes.

“Se você não tiver o idioma na ponta da língua, mas um currículo bom e muita vontade de aprender, consegue se desenvolver bem”, afirma Jamil Farkatt, que é doutorando em Engenharia e Gestão Industrial na UPorto.

Reprodução: Google

Quanto custa estudar em Portugal?

A primeira coisa a se saber é que é preciso pagar uma anuidade, chamada (por incrível que pareça) de Propina. Isso vale para todas as faculdades e instituições, inclusive, as públicas.

O valor varia conforme a universidade e o curso.

Em Algarve, o brasileiro, que chamado de Estudante Internacional, pagará por um curso de Licenciatura em Biologia, os seguintes valores:

  • 50 Euros na Taxa de Candidatura,
  • 500 Euros de Matrícula,
  • 25 Euros na Taxa de Inscrição,
  • 000 Euros da Propina Anual (esse valor pode ser dividido em 7 pagamentos mensais).

Quando somado, o gasto total do aluno é de 3,5 mil euros.

A grande observação a se fazer é que os alunos que tiverem boas notas durante o curso terão redução no valor da anuidade – que pode abaixar para 1,1 mil euros, lembrando que cada curso tem um limite de aluno para receber o benefício.

Gasto com Moradia

O aluno também precisa considerar o gasto com a moradia.

Uma das opções é morar na residência disponibilizada pela universidade.

Outra é alugar um quarto em um apartamento.

No alojamento da UAlg, o gasto é de 121 euros, incluindo todas as despesas (energia, água, gás e internet). Na residência esses gastos são cobrados separadamente. Inclusive, para quem vai para o apartamento, os valores são maiores –  de 150 a 230 euros mensais.

Gasto com Alimentação e Gasto com Transporte

As universidades têm bares, cantinas e restaurantes universitários – todos com valores populares. Na cantina da UAlg, por exemplo, uma refeição custa em torno de 2,5 euros em um prato que inclui pão, salada, sopa, prato principal, suco e sobremesa.

Em outros lugares, a portão sai por algo em torno de 3,9 euros.

As universidades também dispõem de eletrodomésticos, como micro-ondas, para uso gratuitos.

E em termos de compras mensais em supermercado, a média dos brasileiros é de um gasto que varia entre 150 e 220 euros, conforme as preferências.

Em termos de transporte, para chegar à UAlg, o aluno pode ir andando, de bicicleta ou de autocarro (ônibus) dependendo da distância. No caso do ônibus, o bilhete individual custa 2,25 euros – óbvio que os autocarros são confortáveis e climatizados.

No Fim das Contas…

Fazendo uma média de gastos anuais de um estudante do curso de Licenciatura em Biologia na UAlg, que more na residência da universidade e almoce na cantina e opte pelo ônibus, as aulas ficam por volta de 6 mil euros.

Visto isso, é necessário colocar no papel um planejamento financeiro quem for estudar em Portugal – essa é a melhor forma de evitar imprevistos e surpresas desagradáveis.

Planejamento Financeiro

A blogueira e estudante conta que o planejamento financeiro é essencial para não passar apertos. São custos como a mensalidade da universidade, que para os portugueses é a “propina”, além da alimentação, moradia e lazer.

É importante saber que mesmo as universidades públicas de Portugal cobram mensalidades, ou seja, não há oportunidades com bolsas integrais.

“Estando aqui, vejo que o custo varia muito de acordo com o estio de vida que cada um leva”, conta a estudante que mora com 3 amigas brasileiras em um apartamento alugado. “Em Coimbra, por exemplo, há quartos entre 100 e 250 euros, além de flats, que passam de 400 euros”.

Um caso diferente é do estudante gaúcho André Ries que mora na própria instituição. “Atualmente, gasto 450 euros mensais e mais 200 com o curso, foram a residência que é 120 e uns 15 para o plano do celular”, ela conta.

A recomendação final é que se você tem interesse na vida acadêmica em Portugalprecisa ter cuidados com a pesquisa do curso e o planejamento financeiro. Depois, é preciso estar apto para conviver com uma nova cultura, pensando sempre na receptividade e no melhor proveito da experiência.

“Ser organizado e ter força de vontade é fundamental para um estudante aqui”, completa Isa Bendahan.

Selecionamos algumas características dos lugares mais escolhidos pelos brasileiros, confira!

Coimbra – Fica na região central do país e abriga a Universidade de Coimbra. “Boa parte da tradição é sustentada pela figura do estudante da instituição, aquele que usa o traje, o famoso uniformo com capa preta estilo Harry Potter que todo mundo tanto fala”, diz Rebeca.

Faro – É formada por locais históricos e de belezas naturais e culturas, sendo que o Algarve é referencia no turismo. Para André Ries, a região possibilita um custo de vida e acadêmico baixo, além de ser uma região com muitas praias e um clima parecido com o do Brasil.

Covilhã – É a cidade da montanha, pois está em uma região montanhosa e de serras, chamada de Serra da Estrela. É uma cidade que mistura o novo com o antigo, conforme Thayna.

O que é Importante Saber sobre Estudar Fora

Estudar fora é uma boa oportunidade, mas é uma decisão que deve ser cuidadosamente pensada porque afeta toda a carreira do estudante. Portugal costuma consolidar melhor o estudante brasileiro”.

“Então, é uma ótima oportunidade, mas quem pretende voltar ao Brasil precisa saber que algumas universidades portuguesas tem graduação de 3 anos, o que não é suficiente para ser bacharelou licenciado no Brasil”.

“Daí, existem também a opção de fazer o mestrado integrado, com duração de 5 anos, quem soma à licenciatura ao mestrado. É uma forma de ser aceito no mercado brasileiro”.

A frase acima é do Leonardo Souza, coordenador de Intercâmbio da Assessoria de Assuntos Internacionais da Universidade de Brasília.

Na metade de março, três Instituições de Ensino Superior de Portugal passaram a usar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como seleção para admissão de alunos brasileiros.

São elas: Instituto Universitário de Ciências da SaúdeEscola Superior de Saúde do Vale do Ave e a Escola Superior de Saúde do Sousa. Agora, ao todo, são 21 Instituições Portuguesas que aceitam o exame como porta de entrada para os brasileiros.

A lista com todas as Universidades Portuguesas que Aceitam o Enem está no final do texto.

Os acordos são firmados entre as instituições, o Inep e os alunos e acontecem desde 2014. O diretor da Cespu (Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário), Luis Manuel Duarte Martins da Silva, disse que mais de 20% das vagas dessas instituições são direcionadas à estudantes estrangeiros.

Para a seleção, eles vão usar a nota da prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, somada com a nota do ensino médio do candidato.

Entre as Universidades, há de se destacar a Universidade Veiga de Almeida (UVA), que está oferecendo mais de 500 bolsas de estudo para alunos que tiveram pontuação acima de 350 no Enem de 2016. Assim, quanto maior a pontuação, mais chance ele tem de conseguir a vaga.

https://youtu.be/oYEJm2W5S9I

No entanto, nesse caso há de se notar que as vagas não são apenas para descontos. No caso da mensalidade do 1º semestre, o aluno ganha 50% de desconto, enquanto que nas demais a porcentagem cai para 40%.

Conforme o vice-presidente da UVA, Davino Pontual, o objetivo é estimular quem tem o sonho de fazer uma graduação e está sem condições financeiras para tal.

Para 2017, a instituição apresenta alguns novos cursos, tais como o de Jogos Digitais, Produção Audiovisual, Fotografia e Engenharia Mecânica, além dos já existentes, como Educação Física, Biomedicina, Nutrição, Relações Internacionais, Design Gráfico, Publicidade, entre outros. Também há oportunidades para os cursos à distância (EAD), como Negócios Imobiliários e Gestão de RH.

Confira agora mais 6 notícias sobre Estudar no Exterior

1 – Universidade de Londres oferece Bolsa para Curso de Verão em Direito

Os interessados tem até dia 13 de abril para fazer a inscrição na Escola de Direito da BPP University, uma das maiores do Reino Unido no curso que tem duração de 2 semanas. As bolsas custam 2,4 mil libras e não incluem acomodação, passagens e alimentação.

O primeiro módulo é “Introdução a Direito Empresarial Internacional”, que começa no dia 3 de julho. Depois, outros módulos contam com “Introdução à Lei Civil e Criminal”.

Todos são ministrados em Waterloo, no centro de Londres.

Para concorrer é preciso estar cursando graduação ou já ter se formado em Direito, sem a obrigação de apresentar comprovantes de proficiência. Por outro lado, é preciso ter um bom nível de conhecimento e fluência em inglês.

Inscrição pelo site.

2 – Santander oferece 100 Bolsas para Brasileiros em Curso na Espanha

O 1º passo é que os estudantes precisam estar em algumas instituições brasileiras conveniadas com o Santander Universidades, que farão parte do programa Top España Santander.

Ao todo são 100 bolsas voltadas à um curso de 3 semanas. Os alunos e professores poderão aprimorar seus conhecimentos em um curso de 3 semanas!

Estão incluídos no pacote voos de ida e volta de Madrid, translado até Salamanca (onde acontecerá o curso), hospedagem, alimentação, cursos do curso, material de apoio e certificado. Além de um passeio cultural.

Todas as etapas do processo seletivo e critérios utilizados na seleção serão definidos pelas universidades participantes, que tem disponível edital com informações necessárias. Então, o 1º passo é procurar se a sua instituição está nessa listagem, confira aqui.

3 – Bolsa para Curso de Curta Duração na Holanda

A agência Nuffic Neso Brazil é responsável pela promoção do ensino superior na Holanda e desenvolveu o projeto “De Malas Prontas para a Holanda – Transformadores, Educadores e Inspiradores”, um programa que oferece aos brasileiros a oportunidade de fazer um curso de curta duração no país.

As bolsas são integrais e incluem passagem e hospedagem para aqueles que conseguem desenvolver projetos e iniciativas com impacto nas áreas de educação, cultura e tecnologia. O objetivo é fornecer mais informação, conhecimento e networking para os desenvolvedores.

E as oportunidades são para cursos de psicologia, desenvolvimento sustentável, urbanismo, resolução de conflitos e arte, e outros. E as universidades participantes também são várias, como a Universidade de Utrecht, a de Amsterdam e a de Hague de Ciências Aplicadas.

Se você gostou disso, pode ler tudo sobre e fazer a inscrição pelo link.

O concurso é aberto e exige apenas a disponibilidade para viagens na data do curso, assim como os requisitos de admissão do curso e a fluência em inglês, doutrina dominante.

Os projetos serão analisados e levarão em consideração itens como replicabilidade, continuidade e alcance.

4 – Bolsas para MBAs no Reino Unido

A Universidade de Bath, no Reino Unido, está entre os 5 melhores MBAs no Reino Unido e entre os 100 melhores do mundo, conforme ranking da Times Higher Education.

Assim, para comemorar o seu 50º aniversário, a universidade está oferecendo bolsas de 15 mil libras para o MBA através de uma competição online.

O programa tem duração de 12 meses e a bolsa é para turma que vai iniciar os estudos em setembro de 2017.

É preciso saber que a bolsa é de 15 mil libras e será revertida em descontos na anuidade do programa, que tem custo de 33 mil libras, isso sem contar as passagens aéreas e os custos com alimentação, que são de responsabilidade do estudante.

Por sinal, o interessado tem que possuir graduação completa e ter proficiência em inglês, além de 3 anos de experiência na área.

Para concorrer de imediato, é preciso enviar o currículo pela página da competição, sem taxas adicionais, nesse caso. Tudo está no site.

5 – Bolsas Integrais para Curso de Inglês na Irlanda

A chance única da sua vida está sendo disponibilizada pelo SEDA College, que fica em Dublin, na Irlanda e é através do programa SEDADream.

“Não serão, necessariamente, 10 pessoas contempladas, pois o candidato pode selecionar a opção de receber bolsas parciais. Com isso, podem ser distribuídas 5 bolsas de 100% e 10 bolsas de 50%”, afirma Gianfranco Bolognese, estudante do SEDA e co-idealizador do programa.

Após 15 dias da aprovação o candidato partirá para a 2ª fase, que é uma entrevista online. Veja outras informações no site.

6 – Iniciativa dos EUA e da Europa oferecem bolsas de estudos para mães

O programa Marie Sklodowska-Curie Actions é organizado pela Comissão Europeia que contempla candidatas brasileiras e já investiu mais de 218 milhões de euros em Individual Fellowships.

Assim, para se candidatar é preciso ter 4 anos de experiência em pesquisa ou já ser doutora em alguma áreas de ciências.

“Em outras palavras, uma doutoranda que passou o último ano dedicada à cuidar do filho recém-nascido, por exemplo, pode ser encaminhada para um programa de reinserção junto à bolsa”.

Já o Soroptimist Live Your Dream Awards tem uma proposta mais direta de fazer com que as mulheres vivem seus sonhos no exterior. Lá, os prêmios são destinados para elas, inclusive que tenham baixa renda e estejam cursando em cursos de graduação.

O apoio é de 10 mil dólares sendo que ela pode usar o dinheiro para pagamento de transporte, livros e cuidados com o filho, caso já esteja com alguma bolsa.

Saiba Mais sobre Isso no site.

Com informações do Guiado Estudante e Globo

Qual é a Nota de Corte do Enem para estudar em Portugal?
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA