ENEM: Questões sobre as Novas Tecnologias e Como Gabaritar a área de Filosofia e Sociologia

0
187

Usar tecnologias em sala de aula, na escola, em casa e nas ruas faz parte da rotina de muitos estudantes. É necessário oferecer condições para a promoção da educação de nosso tempo, que deve estar integrada ao local em que estivermos”. Oras, afinal de contas “estamos no século 21, não tem como dar aula como se dava há 10 anos”.

O mundo atual está passando por várias mudanças frente ao rápido desenvolvimento nos meios de informação e de comunicação. As informações estão em torno de todos os campos da sociedade, afinal, desde sempre o homem buscou adaptações na constante busca do saber e do aprender.

Na área da educação, especificamente, essa tomada de decisão causa um grande impacto no processo de ensino-aprendizagem e reproduz a transformação do mundo, através do conhecimento pedagógico. Nesse setor, os avanços foram mais visíveis a partir da década de 40, quando se iniciou transformações nas instituições de ensino, que se tornou responsável na formação da personalidade do ser humano, principalmente em aspectos culturais, sociais e históricos.

Assim, a era da informação e a sociedade do conhecimento, são termos que traduzem as características mais representativas e de comunicação nas relações sociais, culturais e econômicas da nossa época. A internet é cada vez mais presente no sistema educacional, enquanto a escola atua como instituição social e é convocada a atender as exigências da modernidade.

O uso da informática na educação nada mais é do que uma nova forma de se comunicar, ensinar, aprender e potencializar a aprendizagem. A informática, para muitos especialistas, não deve ser inserida como uma matéria (assim como matemática e português) e sim como um recurso que auxilia o professor na integração dos conteúdos.

Reprodução: Google

Para a educadora Patrícia Edí Ramos: “a implantação da informática como auxiliar do processo de construção do conhecimento implica mudanças na escola que vão além da formação do professor. É necessário que todos os segmentos da escola (incluindo pais e professores) estejam preparados e suportem as mudanças necessárias para a formação do novo profissional”.

Quanto ao professor, especificamente, ele deve assumir um papel no processo educacional, deixando de lado a postura do provedor de conhecimento e atuando como mediador.

Nova Realidade: Os Cursos à Distância

Atualmente, os alunos já têm as informações básicas de como pesquisar e de como usar, de forma eficiente, os ambientes virtuais de aprendizagem. Tanto é que grande parte dos cursos online não dão uma apostila ensinando o passo a passo de tais procedimentos necessários para o início das aulas virtuais.

A indicação é muito simples: ter um computador com alguma configuração, acesso a internet e muita vontade de aprender. O restante fica por conta do aluno. Basta inserir o login e a senha e você já está conectado à sua Universidade à Distância.

Se por um lado, no Ensino Médio, as aulas laboratoriais devem ser compatíveis e compartilhadas entre alunos e professores, no ensino superior as coisas acontecem um pouco diferente. Assim como o ensino, o estudante deve estar mais apto ao novo sistema. Eles deixam de ser complementos do que fazemos em sala de aula e passam a ser um novo sistema de aprendizagem.

As vantagens e as desvantagens são várias, mas falaremos disso mais adiante. Agora, apenas para adiantar, podemos notar que a internet favorece a construção colaborativa, ou seja, o trabalho pode ser feito com mais eficácia, afinal, o aluno pode pesquisar em tempo real, fazer uma boa investigação de forma ágil e comunicar com pessoas de lugares muitos distantes ao deles.

O fato é que a internet, somada às novas tecnologias de forma geral, está trazendo novos desafios pedagógicos para as Universidades assim como para as Escolas. Porque, veja bem, para os professores, sejam aqueles que vão usar a tecnologia em combinação com a sala de aula ou aqueles que vão dar as aulas à distância, todos, vão precisar se adaptar à essa nova modalidade.

Reprodução: Google

Não há muito segredo, no fim das contas, o jeito é se planejar e ser flexível para aprender novas atividades, sem deixar de lado, obviamente, a qualidade da educação e de uma nova didática de ensino.

Novas Tecnologias e o ENEM

Em 2013, o Enem destacou, mas com muita ênfase, a prova de Linguagens e solicitou aos candidatos que refletissem em várias questões sobre o uso da internet e as das novas tecnologias. No mínimo, 8 perguntas abordavam o tema, ou seja, quase 20% do total.

Entre os destaques estavam a “internet”, o “bullying” e o “cyberbullying”, com matérias que citavam a revista Nova Escola, a SuperInteressante e o Jornal Folha de S. Paulo. No entanto, o único lado bom que citado o tema era um que falava sobre a importância das redes sociais quando conseguiram derrubar o ditador Hosni Mubarak, no Egito.

Steve Jobs também foi lembrado, em um texto, na disciplina de inglês.

Conforme já foi até questão do ENEM, precisamos entender a ordem das novas tecnologias:

  1. Tecnologias Gráficas e de Impressão, iniciada na Europa, na Idade Média e exponenciadas no síeculo 15, com a criação da imprensa,
  2. Tecnologias Eletroeletrônicas Audiovisuais, tais como o Telefone, o Rádio e a Televisão, popularizados na 2ª metade do século passado,
  3. Por fim, a Internet e suas Ferramentas.

Em 2011, o ENEM cobrou sobre essa última tecnologia, na redação, com perguntas como:

  • Quais são os ricos da exposição de dados pessoais na internet?
  • Como se proteger de problemas com transações financeiras on-line?
  • Como as pessoas com intenções ligadas às várias formas de assédio, principalmente o infantil, podem usar esse espaço?
  • O que é Cyber Bullying?

Então, o tema é antigo, claro. Mas ainda tem muitas questões atuais que giram em torno dele. A cada ano que passa, mais o ENEM se dedica a focar nessa área. Afinal, isso calha com a atualidade também.

Nossa dica, para você que vai prestar o ENEM 2017, é escrever textos que falem do tema. Faça isso da forma mais simples: com um lápis e uma folha de papel e sem pesquisar nada sobre o assunto. Depois, faça a pesquisa e reescreva. Assim por diante até que seu texto fique exemplar. Aliás, se você ainda não sabe, o treino é uma das melhores formas de conseguir uma boa nota no ENEM.

Entenda que para além de tudo, o ENEM quer saber suas competências quanto ao reconhecimento da função e do impacto social das diferentes tecnologias da comunicação e da informação, além de verificar a sua capacidade de analisar linguagens e informações desenvolvidas pela sociedade.

Rede Social

No caso das redes sociais, é possível entender também a importância em termos históricos. Uma rede social, para que se entenda de fato, é um site onde é possível adicionar amigos, seguidores, fotos, informações e todo tipo de informação, que são criadas através de um perfil público, ou seja, uma página pessoal.

Depois do Facebook, que é a maior Rede Social do Mundo, houve uma grande expansão de assuntos acerca do tema das novas tecnologias, sendo que passou a ser possível reunir recursos em torno de valores e interesses.

Antes, o e-mail era a principal ferramenta online para a troca de informações. Nesse caso, haviam 2 grandes entraves: você só podia fazer isso se soubesse o e-mail da outra pessoa, já que não havia formas de localizá-la. E, além disso, o sistema não era dinâmico e instantâneo. Funcionava quase que literalmente à forma antiga: com correspondências em papéis.

Reprodução: Google

“A solidão emocional é o sentimento de vazio e inquietação causada pela falta de relacionamentos profundos. A solidão social é o sentimento de tédio e marginalidade causada pela falta de amizades ou de um sentimento de pertencer a uma comunidade”, afirmou o sociólogo americano Robert Weiss.

As Novas Tecnologias e a Memória

O assunto já não é tão novo assim, mas também não é tão velho, ao passo que ainda não tornou possível medir a capacidade que a tecnologia tem de alterar as nossas funções cognitivas, em particular, a memória. Mas, mesmo assim, os especialistas afirmam que essa tecnologia tem se tornado uma extensão da nossa memória.

A informação é replicada sem controle nem medidas. Os buscadores são quem indicam isso: Google, Yahoo, Bing e outros. As estratégias para achar o que procuramos são várias e, por isso, nem precisamos mais nos lembrar de tudo. A capital dos países, por exemplo, já não importa já que temos a informação na ponta da lín… Na internet!

Até o século passado, todas as definições da memória giravam em torno da Memória de Trabalho, Memória de Curta Duração e a Memória de Longa Duração. Hoje, temos a Memória Virtual, que é capaz de armazenar e resgatar informações mais facilmente. O problema é que essa memória não é nossa e está fora do nosso corpo.

Esse banco de dados online deixa o cérebro livre para armazenar outros conteúdos, aqueles, inclusive, considerados mais relevantes. E o lado ruim é que nos torna dependentes.

Para os especialistas, não há mais dúvida da potência com que a tecnologia mudou a nossa relação com as funções cognitivas, porém, o processo já é considerado irreversível. A nossa missão, a partir de agora, é filtrar o que é útil e o que não é. Porque, mesmo com internet, o lixo continua existindo, só que agora com o nome de eletrônico.

Últimas informações do ENEM 2017: Inscrição sobre para 82 reais, conforme o MEC

O reajuste é de 20% em relação ao último ano e o acréscimo de 14 reais serão cobrados à todos os participantes que não atendem aos critérios da gratuidade, calculados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2016, que ficou em 6,2%. Conforme o edital, as inscrições serão abertas no dia 8 de maio.

A isenção é para estudantes de escolas públicas e participantes de baixa renda, com devidas comprovações.

Leia Também: ENEM é porta de entrada para Estudar no Exterior. Descubra Como isso é Possível!

Estudar fora é uma boa oportunidade, mas é uma decisão que deve ser cuidadosamente pensada porque afeta toda a carreira do estudante. Portugal costuma consolidar melhor o estudante brasileiro. Então, é uma ótima oportunidade, mas quem pretende voltar ao Brasil precisa saber que algumas universidades portuguesas tem graduação de 3 anos, o que não é suficiente para ser bacharel ou licenciado no Brasil. Daí, existem também a opção de fazer o mestrado integrado, com duração de 5 anos, quem soma à licenciatura ao mestrado. É uma forma de ser aceito no mercado brasileiro”.

A frase acima é do Leonardo Souza, coordenador de Intercâmbio da Assessoria de Assuntos Internacionais da Universidade de Brasília.

Na metade de março, três Instituições de Ensino Superior de Portugal passaram a usar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como seleção para admissão de alunos brasileiros. São elas: Instituto Universitário de Ciências da Saúde, Escola Superior de Saúde do Vale do Ave e a Escola Superior de Saúde do Sousa. Agora, ao todo, são 21 Instituições Portuguesas que aceitam o exame como porta de entrada para os brasileiros.

A lista com todas as Universidades Portuguesas que Aceitam o Enem está no final do texto.

Os acordos são firmados entre as instituições, o Inep e os alunos e acontecem desde 2014. O diretor da Cespu (Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário), Luis Manuel Duarte Martins da Silva, disse que mais de 20% das vagas dessas instituições são direcionadas à estudantes estrangeiros.

Para a seleção, eles vão usar a nota da prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, somada com a nota do ensino médio do candidato. Continue Lendo…

ENEM é porta de entrada para Estudar no Exterior. Descubra Como isso é Possível!

Como Estudar Filosofia para o ENEM

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) tem trazido, nos últimos anos, uma prova muito mais interdisciplinar, que dá, obviamente, mais espaço para as novas tecnologias. Assim, também há uma nova observação à se fazer: com as questões de sociologia e filosofia.

“Sem conhecimentos elementares destas áreas é muito mais complicado entender as dinâmicas da história humana, das relações dos seres humanos com o espaço e com a sociedade”, afirma Alexandre Linares, que dá aulas preparatórias para o ENEM.

Bom, não há muito segredo! O 1º passo é refazer as últimas provas do ENEM. Desde 2009, essas 2 matérias começaram a aparecer com mais frequência.

“Nós não temos muito tempo até o ENEM, então não adianta muito começar a pesquisar na internet sobre os filósofos pré-socráticos e toda a linha história que se segue. Acredito que aluno perderá tempo, a essa altura, se tentar estudar autor por autor ou decorar conceitos. É melhor que ele refaça as provas e tire as dúvidas que teve”, diz o professor Célio Tasinafo.

Já para outro especialista, Edmilson Bello, o exame nacional tem cobrado cada vez mais os conteudistas.

“Anteriormente, mesmo que o candidato não possuísse um conhecimento especifico, pela leitura e intelecção do texto do enunciado poderia encontrar a alternativa correta. Nas provas mais recentes, essa situação torna-se cada vez mais rara, embora não tenha sido totalmente abandonada. Dessa forma, é importante não só desenvolver a capacidade de intelecção de textos, mas também conhecer, ao menos com um nível razoável, os conteúdos mais cobrados”.

Reprodução: Google

Outra informação importante é que perguntas sobre o governo e a estrutura social dos países podem ser destaques de filósofos como Platão e Aristóteles. Outros, como Thomas Hobbes e Nicolau Maquiavel, Jean Jacques Rousseau, Voltaire e Denis Diderot também costuma ser citados com frequência.

Entre os contemporâneos, vale estudar Sartre, Heidegger, Michel Foucault, Adorno, Horkheimer, Marcuse, Habermas e Walter Benjamim.

Agora, confira uma pequena retrospectiva dos filósofos que mais deram “a cara” no ENEM:

  • Gregos: Sócrates, Platão e Aristóteles
  • Medievais: Santo Agostinho e São Tomás de Aquino
  • Ciência Moderna: Descartes, David Hume e Immanuel Kant
  • Política Moderna: Nicolau Maquiavel, Thomas Hobbes e Jacques Bossuet
  • Iluministas: Jean-Jacques Rousseau, Montesquieu, Voltaire e John Locke
  • Contemporâneos: Adam Smith, Georg Hegel, Karl Marx e Friederich Engels

Já do lado da Sociologia…

Está ainda mais presente, principalmente se falarmos de Redação. Em 2015, por exemplo, o exame abordou a violência contra a mulher. Ou seja, conceitos como Ação Social e Fato Social são recorrentes, assim como os nomes Karl Marx, Max Weber e Émile Durkheim.

“Através da visão de movimentos sociais pelos cidadãos e também da própria política e de como ela aparece na vida dos indivíduos por meio das instituições, das organizações e da cidadania”, comenta Costa.

“O aluno precisa estar ligado no papel da mulher, no debate do gênero, que cada vez está mais presente e também na desigualdade social, que afeta o cotidiano e, por isso, também, nunca sai de moda”, continua o especialista. Para ele, é recomendável ler jornais e revistas, ou mesmo os textos da internet. “A corrupção é um problema social, certo? Então, ele é tema da Sociologia”, exemplifica.

Veja as indicações:

  • Clássicos: Karl Marx, Émile Durkheim e Max Weber
  • Positivistas: Auguste Comte
  • Contemporâneos: Pierre Bourdieu e Zygmunt Bauman
  • Brasileiros: Gilberto Freyre, Sérgio Buarque de Hollanda, Euclides da Cunha e Florestan Fernandes, além de Caio Prado Júnior e Celso Furtado

Zygmunt Bauman: O pensador da Modernidade Líquida

“Fluidez é a qualidade de líquidos e gases. Os líquidos, diferentemente dos sólidos, não mantêm sua forma com facilidade. Os fluídos se movem facilmente. Eles fluem, escorrem, esvaem-se, respigam, transbordam, vazam, inundam. Essas são razões para considerar fluidez ou liquidez como metáforas adequadas quando queremos captar a natureza da presente fase… na história da modernidade”, Zygmunt Bauman.

Esse sociólogo é professor emérito das universidades de Leeds, na Inglaterra, e Varsóvia, na Polônia é considerado um dos mais importantes da atualidade. “Tudo é temporário, a modernidade. Tal como os líquidos, que caracteriza-se pela incapacidade de manter a forma”.

Conforme o autor, 2 características da modernidade são: a substituição da ideia de coletividade e de solidariedade pelo individualismo; e a transformação do cidadão em consumidor. A modernidade líquida então, diz o autor, não é o mesmo que pós-modernidade, conceito do qual Bauman é crítico. Para ele, o que há é uma continuação da modernidade com uma lógica diferente, a fixidez da época anterior é substituída pela volatilidade do imediato.

Leia Mais: Veja Como Se Preparar para o Enem 2017 e Saiba Tudo sobre as Novas Mudanças!

Posteriormente, no dia 9 de março, o Ministério da Educação (MEC) divulgou outras mudanças do Exame Nacional. Separamos em tópicos, confira:

  • Provas: As provas serão realizadas em 2 domingos seguidos do mês de novembro. O 1º dia terá duração de 5 horas e 30 minutos, com os temas de redação, linguagens e ciências humanas. Já o 2º dia terá 1 hora a menos e aplicará os conteúdos de matemática e ciências da natureza.
  • Taxa de Inscrição: Serão isentos os estudantes que são cadastrados no CadÚnico, além daqueles que já tenham direito à isenção. Detalhe: Os estudantes que tinham isenção em 2016, mas não compareceram na prova, perderão a isenção da Prova.
  • Ranking das Escolas: O exame vai deixar de divulgar, a partir desse ano, o Ranking das Escolas no Exame Nacional do Ensino Médio. Nada foi falado acerca disso, mas acredita-se que as escolas usavam os resultados dos melhores alunos para aumentar o número de alunos matriculados nos anos posteriores.
  • Certificado do Ensino Médio: O Enem, como dito no início do artigo, não será mais usado para obter a certificação. Os estudantes vão ter que optar pelo Encceja.
  • Atendimento Especial: Os estudantes que desejam tempo adicional na aplicação das provas devem fazer a solicitação durante o tempo hábil das inscrições do Enem.

Quer entender mais sobre as mudanças? Leia aqui: Veja Como Se Preparar para o Enem 2017 e Saiba Tudo sobre as Novas Mudanças!

Com informações da Abril, iG, OGlobo e Seduc

ENEM: Questões sobre as Novas Tecnologias e Como Gabaritar a área de Filosofia e Sociologia
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA