Qual o Momento Certo para Prestar um Concurso Público?

0
14

Nos últimos anos, os brasileiros têm passado bons apertos financeiros. Isso se deve à vários motivos. Alguns vão dizer que é por causa da inflação, outros apostarão nas medidas do governo e com certeza todos vão dizer que a corrupção influencia todo esse cenário.

Os motivos podem ser vários e tudo vai depender do ponto de vista político de cada um. No entanto, os resultados parecem ser iguais para todo mundo: horríveis.

É como uma dor de cabeça. Cada ser organismo pode apresentar os sintomas por um motivo específico, como o consumo excessivo de cafeína ou o estresse emocional, entre tantos outros. No entanto, os sintomas serão muito parecidos: dores na cabeça.

E, voltando ao assunto político, o que se pode notar é que um desses sintomas é o desemprego.

Ao passo que muitos brasileiros estão desempregados e aqueles que ainda trabalham estão com medo de perder suas funções ou acessar um cargo mais baixo, quando, na verdade, deveria acontecer o contrário.

O desemprego e o medo são sintomas reais na vida de muitas pessoas.

Ainda que se houve muito falar em Recuperação da Economia, até para o brasileiro, que é sempre muito otimista, esse tempo parece estar demorando demais.

E, se levarmos em conta todo esse cenário, fica uma grande e pertinente questão: será que existe alguma saída para manter-se seguro no emprego ou conquistar um novo cargo?

A verdade é que essa resposta é muito complexa para ser dada em breves palavras. Mas, podemos levar em conta dois pensamentos muito comuns nos dias de hoje:

  • 1 – Uma saída seria Ser o Dono do Próprio Negócio

Nesse caso, seria necessário entrar “de cabeça” no ramo, investindo em produtos e serviços; e também em tempo e conhecimento.

O que pode acontecer é que para tanto será necessário uma boa quantia em dinheiro e muita sabedoria. Ambos podem te fazer desistir dessa ideia.

  • 2 – Outra Saída é Pensar em Concursos Públicos

Deixando um pouco de lado a questão do negócio próprio, há de se pensar em ser um Servidor Público, por vários fatores.

É claro que essa alternativa também vai exigir muita disposição e coragem, principalmente quanto aos estudos, no entanto, pode ser algo mais seguro e confiável do que ter o Próprio Negócio.

Se você também vê nos Concursos Públicos uma chance de Mudar de Vida e sair dessa maré imposta pelas questões políticas-econômicas, continue lendo porque é sobre isso que vamos falar a partir de agora.

Por Que Acreditar em Concursos Públicos

Só quem já viveu ou está vivendo o momento do desemprego, sabe como isso é devastador. É como ir dormir bem em um dia e acordar muito mal em outro. É estar com as contas em dia hoje e ficar totalmente no vermelho amanhã.

Isso muda muito a vida de uma pessoa. Para pior, na real.

E muito mais injusto do que isso é ter disposição e conhecimento para atuar em várias áreas, mas não ter oportunidades para tal.

Imagina ter uma vontade imensa de trabalhar, de criar, de ajudar o próximo, de inovar, de acordar todos os dias bem cedo, de sentir o prazer de fazer parte de um grande projeto, mas… Não conseguir a chance se mostrar o seu potencial.

  • Isso é totalmente doloroso, não é?

Fazendo uma analogia muito simples: é como sentir fome e não ter o que comer!

Mas, vamos voltar aos fatos.

Por que o Serviço Público pode ser um Tiro Certeiro na Vida de qualquer Pessoa?

Porque ele faz esse papel: de dar chances a quem tem o desejo de trabalhar e, mais do que isso, para quem sente prazer em Ajudar o Próximo.

O Funcionário Público atua, direta ou indiretamente, com as pessoas. A ideia é justamente a de Servir o Povo.

Agora, imagine se para isso você ganhasse um bom salário, cumprindo 40 horas semanais (8 horas por dia), recebendo todos os direitos da Carteira de Trabalho e alguns benefícios extras, como Convênios Médicos e Odontológicos.

Isso parece um sonho? Mas, verdadeiramente, não é! Isso é o Concurso Público.

Vantagens do Concurso Público

Se você leu o texto integralmente até aqui, não deve ter muitas dúvidas sobre as Vantagens dos Concursos Públicos. Porém, vamos ressaltar alguns pontos importantes.

  • Segurança e Salário!

Esses são os dois pontos mais importantes e vantajosos de um Servidor Público.

O Salário, se comparado à média nacional, pode ser considerado bom. Para se ter uma ideia, para cargos mais básicos (que exigem apenas a formação nos ensinos médios e fundamental) têm salários que começam em torno de 1,2 mil reais. Um valor que está acima do Salário Mínimo.

Conforme o grau de escolaridade vai subindo, o salário acompanha. Logo, quem tem ensino superior deve ganhar mais. Outros cargos, como os Jurídicos e de Saúde, tendem a ter salários ainda maiores. Até mesmo ter uma pós-graduação pode trazer vantagens.

Bom, o salário já é uma boa vantagem, mas temos ainda que falar da Segurança Profissional.

Só que falar de Segurança é bastante complexo porque é um sentimento, logo, torna difícil uma explicação concreta.

Reprodução: Google

Só que é possível notar algo: os funcionários públicos que fazem seus trabalhos corretamente, não costumam correr riscos de serem “mandados embora” ou “perder o emprego”, mesmo em épocas de crise.

É muito comum, inclusive, que um funcionário público fique no seu cargo (ou em outros mais altos) até a aposentadoria.

É esse tipo de segurança que o Concurso traz: se você não der motivos, não correrá riscos. Simples assim. Mas, em empresas privadas, isso nem sempre acontece.

E, como também já falado aqui, além da segurança e do salário, também há outras vantagens, como os benefícios do plano médico, odontológico e bonificações.

Sobre os Concursos Públicos na Atualidade

É sobre essa PEC e sobre os concursos mais aguardados para 2017 que vamos falar neste artigo. Até o final do texto você também vai poder descobrir quais são as 19 cidades brasileiras onde há mais funcionários públicos no Brasil. Portanto, não deixe de ler até o final.

Dividimos o artigo em tópicos. Acompanhe cada um deles para ter um contexto geral sobre a esperança que os candidatos devem ter acerca dos concursos púbicos em 2017.

1 – Especialistas temem queda de concursos públicos na educação após terceirização

Essa notícia foi descrita pela Agência Brasil e fala com bastante veemência sobre a sanção do projeto de lei que libera a terceirização para todas as atividades das empresas.

Para os especialistas, isso deve afetar os concursos porque a área de educação perderá forças pela administração de escolas, já que as Organizações Sociais (OS) poderão também cuidar da contratação de professores.

Para os sindicalistas, isso pode resultar em uma grande desvalorização dos docentes.

“O trabalhador passa a ser descartável. O reflexo, em um primeiro momento, é que o professor vai trabalhar muito, mas não se sabe quanto tempo conseguirá manter o ritmo. Vai adoecer e vai acabar sendo demitido. E vai sair sem nenhum amparo”, afirma Cleber Soares, diretor do Sindicato dos Professores do Distrito Federal.

A questão é, sem dúvidas, muito polêmica, mas não vamos entrar nesses méritos.

Como o objetivo é falar dos concursos públicos, vamos sintetizar esse tópico em 3 pontos para concluir a informação!

  • Escola

Para a diretora da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenepe), Amábile Pacios, o setor privado ainda precisa analisar juridicamente o que pode ocorrer com a nova medida. “As escolas têm resistência a contratar funcionários terceirizados, vão ter também com professores”.

  • Legislação

“A partir do momento em que o contrato trata com o contratante com horário, por exemplo, acabou, o professor passa a ter vínculo direto”, diz a professora da Fundação Getúlio Vargas, Juliana Bracks.

“Teremos um problema grave se os entes públicos saírem terceirizando a torto e a direito em vez de fazer concurso público. Não posso substituir a força de trabalho por concursoe terceirizar, criando uma relação mais leve e isenta de algumas responsabilidades”, diz.

  • Empresa

Henrique Meirelles, que é Ministro da Fazenda, diz que a aprovação do projeto flexibiliza regras para terceirização de mão de obra e vai facilitar a contratação dos trabalhadores.

“Facilita a expansão do emprego. Empresas resistente à possibilidade de aumentar emprego devido à alguns aspectos de rigidez das leis trabalhistas”, disse.

2 – Número de Vagas em Seleções tem diminuído na crise

Com Estados cada vez mais endividados e uma arrecadação do governo que vai mal, os concursos públicos tem limitado ao máximo suas contratações. Na verdade, esse quadro fez com que a abertura de novas vagas fosse praticamente extinto do planejamento.

Houve redução de novos editais e queda no número de vagas ofertadas, o que alertou os concurseiros.

Se antes estudar para concurso era praticamente uma profissão, atualmente as pessoas têm mudado seus pontos de vistas, conforme a realidade do país.

Para o presidente da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), Marco Antonio Araújo Junior, não houve redução.

“Temos vários concursos com editais publicados. Houve uma redução no número de vagas e não nos certames. Por conta deste momento econômico, acredito que esta seja a hora de se preparar. É importante lembrar que, para passar, é necessário um ano e meio de estudos, no mínimo. Como o total de oportunidades menores, a concorrência aumenta”, avaliou o presidente.

A Anpac fez um levantamento que mostrou que para 2017 são previstas 85 mil vagas nas esferas federal, estadual e municipal. E mais 20 mil concurseiros devem fazer parte do cadastro de reserva. Em 2016, o número de vagas previstas pela associação foi de 100 mil vagas.

“Mesmo com poucas vagas, há a formação de cadastro de reserva. Muitos órgãos utilizam desse mecanismo para chamar um número muito superior do que foi previsto inicialmente”, explicou Marco Antonio.

3 – O que fazer e como estudar com essa redução de vagas?

Para a coach Fernanda Chaud, a saída é optar por uma carreira pública dentro de uma área que o estudante tenha vocação.

“Com vagas reduzidas, antes de se dedicar aos estudos, ele precisa acreditar que possa contribuir com o serviço público, caso contrário, vai se frustar”.

Abaixo, seguindo essa linha de pensamento, selecionamos alguns pensamentos de William Douglas, que é juiz federal e cedeu uma entrevista ao jornal gazetaonline.

“A crise financeira do país reduziu os concursos. Infelizmente, muitos administradores tentam economizar não fazendo processos seletivos, esquecendo-se que a falta de servidores diminui a arrecadação, a qualidade do serviço público e aumenta o custo Brasil, ou seja, piora a crise”, confirma William Douglas, que é juiz federal.

“Esta não é a primeira vez que o país passa por uma crise. Já passamos por redemocratizações, planos econômicos fracassados, escândalos, suspensão de concursos e tantas outras adversidades. E quem não desistiu da preparação – por mais que tenha adaptado suas expectativas e dinâmica de estudos para a nova realidade – terá um diferencial significativo frente a quem desistiu completamente do estudo”.

Reprodução: Google

Todas as crises vieram e os concursos continuam acontecendo. O que muda é apenas a quantidade de certames e de vagas, mas mesmo em momentos difíceis é preciso preencher os cargos vagos. O serviço público não pode parar. O importante é não se desesperar”, avalia o juiz Douglas.

“Se o seu concurso foi adiado ou se a sua carreira está passando por dificuldades ou sendo ameaçada de alguma forma, respire fundo e siga em frente. Não reduza em absolutamente nada seu esforço e dedicação, seus estudos e revisões. Faça os concursos que ocorrerão mesmo que não sejam exatamente o concurso dos seus sonhos”.

“Concursos escada (aquele em que você é aprovado só para ter tempo disponível e uma renda fixa enquanto se prepara para um concurso maior) são uma boa realidade”, reforça.

4 – Os 10 Concursos Públicos mais Aguardados para 2017

Quase todos os Concursos Públicos são concorridos, no entanto, há algumas exceções, que ultrapassam essa linha e se tornam super concorridos.

Como o caso da Polícia Federal e Rodoviária, que tem crescentes nos números de inscritos em cada edição. Fizemos uma listagem com os 10 mais esperados para esse ano.

  1. PRF (Polícia Rodoviária Federal)– Serão mais de 1,5 vagas para ambos os sexos e com salários que vão até 9 mil reais.
  2. Polícia Civil– Serão vagas distribuídas no Amazonas, São Paulo, Rondônia, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte.
  3. Polícia Federal– A carência de servidores é de mais de 13 mil e o cargo com maior necessidade é o de Agente da Polícia Federal, com 6,4 mil postos em aberto.
  4. Polícia Federal Administrativa– A área administrativa tem carência de mais de 5,3 mil servidores públicos. São cargos que exigem apenas o ensino médio completo e com salário de mais de 3,3 mil reais.
  5. Assistente Técnico Administrativo do Ministério da Fazenda– São esperadas mais de 1 mil vagas com salários de mais de 3 mil reais. A exigência também é, apenas, o nível médio completo.
  6. Ministério Púbico da União– São vagas para os cargos de Técnico e Analista, com remuneração de mais de 5 e 8 mil reais.
  7. Banco Central do Brasil (BACEN)– 36% do quadro de trabalhadores está vazio, o que totaliza um déficit de mais de 2,3 mil servidores. São esperados 800 analistas, 150 técnicos e 40 procuradores, com salários respectivos de 16, 6 e 17 mil reais.
  8. Receita Federal– Assistentes Técnicos-Administrativos, Auditores e Analistas devem ser contratados em breve. A previsão é a de que 400 vagas sejam abertas.
  9. Câmara dos Deputados– Também está dentro da Lei Orçamentária Federal, com cargos de Técnico Legislativo e Analista Legislativo.
  10. Tribunal de Justiça– Serão vagas em São Paulo, Santa Catarina, Tocantins, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará.

As 19 cidades brasileiras onde há mais funcionários públicos no Brasil

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar de Parintins, mas essa é uma cidade que fica no Amazonas e é conhecida por ser sede do festival que coloca frente a frente Boi Caprichoso e Boi Garantido.

Porém, o município vive além do folclore e é a que tem maior proporção de funcionários públicos em relação aos outros trabalhadores formais.

Em Parintins, são mais de 3,9 mil funcionários públicos, o que corresponde à 62% do total de trabalhadores formais do município.

Revista Exame fez um levantamento no início do ano passado e listou, com base em dados da RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), as 30 cidades com maior número de funcionários, sendo que foi considerado apenas os estatutários, ou seja, aqueles que têm estabilidade.

Na lista, as regiões que ficam no topo são Norte e Nordeste, sendo que cidades como Cametá, também no Amazonas e Boa Vista, capital de Roraima fecham a lista das 3 cidades com mais funcionários públicos.

Pode ser que você tenha pensado em Brasília, não é? Então, se quer saber em qual lugar ela ficou, leia agora a lista completa!

1 – Parintins/AM – 62,71%

Funcionários públicos estatutários 3.971
Trabalhadores CLT e outros 2.361
Total 6.332
Estatutários/Total 62,71%
População estimada em 2013 109.225

2 – Boa Vista/RR – 45,78%

Funcionários públicos estatutários 37.384
Trabalhadores CLT e outros 44.285
Total 81.669
Estatutários/Total 45,78%
População estimada em 2013 308.996

3 – João Pessoa/PB – 42,65%

Funcionários públicos estatutários 126.297
Trabalhadores CLT e outros 169.827
Total 296.124
Estatutários/Total 42,65%
População estimada em 2013 769.604

4 – Porto Velho/RO – 41,25%

Funcionários públicos estatutários 78.283
Trabalhadores CLT e outros 111.502
Total 189.785
Estatutários/Total 41,25%
População estimada em 2013 484.992

5 – Palmas/TO – 40,3%

Funcionários públicos estatutários 46.702
Trabalhadores CLT e outros 69.186
Total 115.888
Estatutários/Total 40,30%
População estimada em 2013 257.903

6 – Brasília/DF – 38,45%

Funcionários públicos estatutários 500.723
Trabalhadores CLT e outros 801.561
Total 1.302.284
Estatutários/Total 38,45%
População estimada em 2013 2.789.761

7 – Belém/PA – 36,22%

Funcionários públicos estatutários 159.185
Trabalhadores CLT e outros 280.316
Total 439.501
Estatutários/Total 36,22%
População estimada em 2013 1.425.923

8 – Rio Branco/AC – 35,55%

Funcionários públicos estatutários 36.106
Trabalhadores CLT e outros 65.463
Total 101.569
Estatutários/Total 35,55%
População estimada em 2013 357.194

9 – Florianópolís/SC – 34,37%

Funcionários públicos estatutários 95.470
Trabalhadores CLT e outros 182.271
Total 277.741
Estatutários/Total 34,37%
População estimada em 2013 453.281

10 – Macapá /AP – 33,07%

Funcionários públicos estatutários 33.682
Trabalhadores CLT e outros 68.177
Total 101.859
Estatutários/Total 33,07%
População estimada em 2013 437.255

11 – Belford Roxo/RJ – 32,63%

Funcionários públicos estatutários 11.414
Trabalhadores CLT e outros 23.568
Total 34.982
Estatutários/Total 32,63%
População estimada em 2013 477.583

12 – Teresina/PI – 32,56%

Funcionários públicos estatutários 90.752
Trabalhadores CLT e outros 187.930
Total 278.682
Estatutários/Total 32,56%
População estimada em 2013 836.474

13 – Santana/AP – 32,32%

Funcionários públicos estatutários 3.564
Trabalhadores CLT e outros 7.463
Total 11.027
Estatutários/Total 32,32%
População estimada em 2013 108.897

14 – Vitória /ES – 31,46%

Funcionários públicos estatutários 75.527
Trabalhadores CLT e outros 164.573
Total 240.100
Estatutários/Total 31,46%
População estimada em 2013 348.265

15 –  Natal/RN – 29,99%

Funcionários públicos estatutários 94.269
Trabalhadores CLT e outros 220.104
Total 314.373
Estatutários/Total 29,99%
População estimada em 2013 853.929

16 – Cabo Frio/RJ – 29,35%

Funcionários públicos estatutários 13.533
Trabalhadores CLT e outros 32.581
Total 46.114
Estatutários/Total 29,35%
População estimada em 2013 200.380

17 – São Luís/MA – 29,18%

Funcionários públicos estatutários 102.204
Trabalhadores CLT e outros 248.048
Total 350.252
Estatutários/Total 29,18%
População estimada em 2013 1.053.919

18 – Cuiabá/MT – 28,75%

Funcionários públicos estatutários 70.442
Trabalhadores CLT e outros 174.598
Total 245.040
Estatutários/Total 28,75%
População estimada em 2013 569.831

19 – Patos/PB – 28,57%

Funcionários públicos estatutários 4.040
Trabalhadores CLT e outros 10.102
Total 14.142
Estatutários/Total 28,57%
População estimada em 2013 104.716

Bônus: A preparação para passar no Concurso Público

Gabriela da Nóbrega é design de interiores e cedeu uma entrevista ao Correio Web. Ela conta que o foco para este ano é o concurso do Ministério Público da União, para técnico ou analista. Há 2 anos prestando concursos, a pernambucana está em Brasília acompanhando o marido que foi convocado pelo Serpro.

Abrãao Pessoa, o marido de Gabriela, é quem dá a orientação. “O MPU sempre lança concursos quando acaba a validade da seleção anterior. É o órgão que eu escolhi para trabalhar depois de aprovação em 20 concursos públicos”.

Gabriela conta que está focada apenas nos estudos. “Estou focada nos editais de concursos anteriores e na constante revisão de matérias que são comuns à todos os cursos”.

Para ela, a dificuldade maior é se concentrar no futuro sem ter a certeza de que o concurso será lançado.

Reprodução: Google

“No começo essa incerteza me afligiu. A gente quer tudo muito rápido. Mas, ao longo dos estudos, percebi que estou evoluindo não só para estar preparada para o concurso que escolhi, mas para qualquer outro que me interesse”.

Renata Garcia é outra concurseira que tem focado nos estudos. “Faço planejamento de estudos diários com teoria, exercícios, realização de provas anteriores e revisões. Em dias de semana, normalmente, estudo em torno de 4 quatros e nos finais de semana, 6. Também faço cursinho online e assisto vídeos na internet”.

Técnica da Memorização

O que poucos sabem é que, apesar de ser possível estudar 12 horas por dia, se você aplicar a técnica da memorização, poderá reduzir esse tempo pela metade. O Estudo faz parte do cotidiano da maioria dos funcionários públicos que hoje exercem a profissão.

Uma pesquisa feita pelo Grancursosonline mostrou que 65% dos candidatos que foram aprovados em concursos públicos trabalham e estudam ao mesmo tempo. Além disso, havia relatos de pessoas que estudaram apenas com material emprestado e usando boas técnicas de aprendizagem, ou seja, não precisaram investir muito dinheiro. Por isso, não é a falta de tempo ou dinheiro que deve ser um empecilho para você não ser um servidor público.

Incrível Técnica para Otimizar seu Estudo: Conheça um pouco mais sobre o Renato Alves e essa técnica que pode alavancar os seus estudos e as suas chances de passar no concurso público.

Assim, a memória envolve um complexo mecanismo, que embora exista dentro de nós, não é consciente, e que abrange o arquivo e a recuperação de experiências, portanto, está intimamente associada à aprendizagem. Veja o vídeo abaixo:

Para Saber Mais

Esse conteúdo todo é apenas uma parte sobre o Estudo da Memorização. Se você gostou e quer continuar memorizando mais e mais, até alcançar todo o conteúdo de uma prova, vai precisar conhecer Renato Alves, que é considerado o “papa” da memorização no Brasil, isso porque ele é o primeiro brasileiro a receber o título de melhor memória do Brasil pelo Rank Brasil, o livro dos recordes nacionais.

O mérito veio após ele conseguir memorizar 10 palavras aleatórias em um número com 110 dígitos aleatórios em 4 minutos. Incrível, não?

E isso não é um dom, é treinamento. Trata-se de um curso que pode fazer com que você não se desespere para anotar tudo o que o professor fala e nem precisa ler e reler os textos 1 milhão de vezes.

Da Redação

Qual o Momento Certo para Prestar um Concurso Público?
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA