7 Temas Imprescindíveis de Português para Concursos Públicos

0
260

Senhores colaboradores: Nas próximas segundas-feira de Fevereiro vem palestrantes falar sobre Auto-Promoção no Mundo Corporativo. Contamos com Vocês!

Se você trabalha em algum escritório ou empresa e precisou escrever um e-mail para os colaboradores avisando sobre algum evento esperamos, do fundo do coração, que você não tenha escrito algo parecido com a frase acima porque, conforme a norma gramatical, o parágrafo está terrível. Vamos te mostrar os motivos!

O primeiro ponto que podemos observar é o vocativo do e-mail, que tem que ser visto como um título do comunicado, portanto, usa-se ambas as palavras com iniciais maiúsculas “Senhores Colaboradores”. Aí sim, seguido de vírgula ou dois pontos.

Em seguida, sempre que houver frequência, o correto é usar a expressão temporal com a preposição A, logo, deveria ser: “às segundas-feiras”. E, assim como visto, o substantivo composto, quando formado por dois nomes passíveis de pluralização, deve ser colocado no plural. Então, uma curiosidade é sobre as letras inicias dos meses, que devem estar em minúsculas, conforme Academia Brasileira de Letras.

Ah, então é preciso saber também que logo após o uso de uma expressão temporal, deve-se usar a vírgula. Logo, nessa primeira parte, o texto mais adequado seria: “Senhores Colaboradores: Às próximas segundas-feiras de fevereiro,”.

Os 5 erros de português que mais acontecem nos concursos. (Bônus: Os 10 erros mais cometidos na internet)

Em seguida, temos a frase: “vem palestrantes falar”. Bem, aí, você nem precisa saber muito sobre a língua portuguesa para notar que a concordância entre o verbo e o sujeito está equivocada. O ideal é que o texto seja objetivo, com isso, poderíamos usar “haverá palestras sobre”. Então, poderemos falar de Autopromoção, escrita dessa forma, conforme o Novo Acordo Ortográfico.

Por fim, o tom informal vindo do uso da primeira pessoa do plural somado ao pronome “vocês” não é um erro, no entanto, os manuais mais sensatos sugerem o uso do “atenciosamente”, seguido, claro, de vírgula. Essa é uma dica apenas para aqueles que estão dentro de uma formalidade empresarial.

Então, concluímos que o texto descrito no início desse artigo deveria ser o seguinte:

Senhores Colaboradores: Às próximas segundas-feiras de fevereiro, haverá palestras sobre Autopromoção no Mundo Corporativo. Atenciosamente,”.

Daí que você leu tudo isso e pode estar se perguntando: “Por que isso é importante?” Bem, se você está em uma grande empresa e quer crescer, saiba que não é escrevendo de forma inequívoca que você vai ter grandes chances. Agora, se você não está em nenhuma empresa, mas está prestando concursos e provas, então, escrever corretamente torna-se também necessário.

E, para dar continuidade nesse texto, vamos levar em contas as seguintes afirmações:

  • Todos os Concursos Brasileiros trazem questões de Português.
  • No Concurso IBGE, nos cargos de Agente de Pesquisas e Mapeamento, o 1º critério de desempate é a maior pontuação em Português.
  • No Concurso da Caixa Econômica Federal, o Português á a disciplina com maior peso.
  • No Concurso dos Correios, a nota de Português também é critério de desempate.
  • Em concursos da Polícia Federal, Banco do Brasil e INSS, o Português é uma das disciplinas com maior número de questões.

Para te deixar tinindo no português, selecionamos algumas dicas preciosas. Todas, divididas em tópicos!

Como Passar no Concurso da Policia Civil do Estado de São Paulo, confirmado em 2017!

A Policia Civil do Estado de São Paulo (PCESP) é o órgão do sistema de segurança pública ao qual compete as atividades de polícia judiciária e de apuração das infrações penais, exceto às de natureza militar. Assim, também vale para os concursos, que, mesmo abaixo da Polícia Militar, tem grande procura dos profissionais. O Concurso da Policia Civil do Estado de São Paulo era aguardado para 2016, mas o fato não ocorreu. Agora, em 2017, a Certame já está confirmado. Leia Mais!

1 – Crase

Traz muitas dúvidas em muitas pessoas de muitas maneiras. Então, vamos deixar tudo bem claro para você não errar mais, ok?

A Crase é a “fusão de dois ou mais sons iguais em um só”, na qual, o artigo “a” soma-se à preposição “a”, o que vai gerar, instantaneamente, o “à”. Também chamado de “a craseado”, que nada mais é do que a vogal “a” com um acento grave. Para quem não notou, o acento grave é o parecido com o acento agudo, só que invertido para a esquerda.

Quanto aos usos, são vários. Um deles, por exemplo, que é o mais popular, é quando ocorre a intenção de sinalizar no texto uma contração da preposição “a” com o artigo feminino “a” ou pronomes demonstrativos, tais como “Vou à Bahia” e “Estou voltando àquela velha cidade”.

Outro emprego é para locuções que indicam clareza e que regem à um substantivo feminino singular, tais como “à força”, “à bala” e “à míngua”. Assim, um exemplo seria: “Fulano assassinou á bala a companheira”.

Aí, entramos em várias curiosidades que, como todos sabem, podem se tornar pegadinhas nos concursos.

O primeiro caso é o da expressão “TV a Cabo”. Teoricamente, o uso do acento grave não seria necessário, já que cabo é uma palavra masculina, que, obviamente, não necessita do acento. No entanto, se considerarmos que a TV funcione “à moda” de um cabo, então, ele pode servir para diferenciar um serviço que envolve canais pagos, aí, poderia fazer sentido, mesmo porque teria o valor equivalente à expressões como: “TV Paga” ou “TV por assinatura”.

O mesmo vale para a frase “Aumento da resistência bacteriana à antibióticos”, sendo que o recomendado é não usar o acento. Porém, seria diferente da frase “Flucloxacilina é mais resistente à beta-lactamase”, que aí deve-se levar em consideração o fato de que a “beta-lactamase” é um substantivo feminino.

Já com questão à expressão “de segunda à sexta”, o uso só é possível se considerarmos algo no sentido de “ficamos juntos da segunda à sexta-feira santa”, já que nesse caso o artigo “a” seria uma derivante de uma sexta-feira especifica.

Se você está com dificuldades para memorizar o uso da crase, trouxemos 7 dicas do uso correto e incorreto dela, na qual, a partir deles é possível acertar todas as outras opções. Veja só!

  1. Passeio a cavalo: Não usamos crase antes de palavras masculinas.
  2. Salário a combinar: Não usamos crase antes de verbos.
  3. Daqui a dez dias: Não usamos crase antes de numeral cardinal (exceto horas).
  4. Entregar a elas: Não usamos crase antes de palavras no plural se o “a” estiver no singular.
  5. Virar à esquerda: Sempre usamos crase antes de locuções prepositivas, adverbiais e conjuntivas.
  6. O encontro será às 8 horas: Sempre usamos crase antes de numeral cardinal indicando hora.
  7. O corpo a corpo do dia a dia: Não usamos crase entre palavras repetidas.

A regra mais simples para o uso da crase é: basta substituir a palavra que segue a crase por um substantivo masculino, mesmo porque sabemos que se for masculino ele não terá crase. Após fazer essa substituição, se o “a” for substituído por “ao”, então, podemos concluir que a frase original contém crase. (A+O = AO, A+A=À).

2 – Interpretação de Texto

Aqui não tem muita teoria, afinal, interpretar um texto é interpretar um texto. Quanto mais conhecimento você tiver, mais facilmente será feita essa interpretação. No entanto, interpretar um texto não é o mesmo que dar um tiro no escuro e temos aqui algumas dicas para você não fazer parte dos 80% dos concurseiros que acabam errando tais questões.

Leia as Questões antes de Ler o Texto: Essa dica é agradável para alguns especialistas, mas contestadas por outros. O fato é que, se você vê vantagem, pode seguir. Porque, conforme os otimistas, isso fará você ganhar mais tempo durante a prova. “Muitas vezes você irá ler todo o texto e quando chegar nas questões vai descobrir que era necessário ler somente 2 ou 3 parágrafos”.

Entre dentro da História: Assim, deixe a sua imaginação fazer parte do enredo enquanto lê o texto na hora da prova. Imagine cada parte do que está lendo e isso fará tudo ficar mais fácil, você passa a entender, via de fato, a história como um todo.

Ideia Central do Texto: Boa parte das questões poderá ser respondida e acertada se você conseguir identificar a ideia central do texto. Afinal, é isso que a maior parte das provas exige. Para mandar bem nesse tópico, basta que tenha as respostas dos seguintes questionamentos: Qual mensagem o autor quer passar? Qual é o objetivo dele com o texto? Quais são os principais personagens?

Leia tudo com Muita Atenção: A falta de atenção é o principal vilão do estudo da língua portuguesa e pode resultar em perca de pontos importantes frente aos outros candidatos. Leia cada alternativa com atenção e entenda o que está sendo pedido. Esse é o primeiro passo para encontrar a resposta correta.

Sublinhe o que for essencial: Ao ler, sublinhe as principais frases, aquelas que entregam as principais respostas sobre a opinião do autor, época em que se passa a história, consequências da história, causas e problemas, etc.

Ah, para você que gosta de estatísticas, cerca de 40% das questões de português são de interpretação, então, esse tópico aqui é muito importante. Uma dica valiosa é conhecer a banca antes da prova, descubra como ela pensa e faça provas anteriores!

Reprodução: Google

E, para finalizar esse tópico saiba que existem 3 Erros Capitais na Análise de Textos. (1) Extrapolação, que ocorre quando se interpreta o que não está escrito. O candidato deve se atentar ao que está relatado. (2) Redução, acontece quando apenas é valorizada uma parte do texto, deixando de lado a totalidade. (3) Contradição, que é quando o fato de se entender o contrário do que está escrito.

3 – Morfologia

É a parte da gramática que estuda as palavras conforme as classes gramaticais, que são 10: Substantivos, Artigos, Pronomes, Verbos, Adjetivos, Conjunções, Interjeições, Preposições, Advérbios e Numerais. Assim, para não estender muito o artigo, vamos definir cada um deles. No entanto, para aprofundamento do material é preciso muita pesquisa.

  • Substantivo: É a palavra que dá nome aos objetivos, lugares, ações e tudo mais.
  • Artigos: É a palavra que antecede os substantivos e varia em gênero e número.
  • Adjetivos: É a palavra que atribui qualidades e caracterização aos substantivos e varia conforme gênero, número e grau.
  • Numeral: É a palavra que indica a posição ou o número de elementos.
  • Pronome: É a palavra que substitui ou acompanha o substantivo, indicando a relação das pessoas do discurso e varia em gênero, número e pessoal.
  • Verbo: É a palavra que exprimi a ação, estado, mudança de estado, fenômeno da natureza e varia em pessoa, número, tempo, modo e voz.
  • Advérbio: É a palavra que modifica o verbo, o adjetivo ou outro advérbio, exprimindo circunstancias de tempo, modo, intensidade e outros.
  • Preposição: É a palavra que liga dois elementos da oração.
  • Conjunção: É a palavra que liga duas orações.
  • Interjeição: É a palavra que exprime emoções e sentimentos.

Vícios de Linguagem e Figuras de Linguagem… Guia Completo Para Ter uma Redação Nota 10!

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) está cada vez mais exigente. Com certeza, os mais adultos lembram que anos atrás o Enem era considerado um exame com questões fáceis, porém, depois que começou a valer como ingresso para algumas universidades, ele ganhou um upgrade e passou a ter questões de níveis mais altos. O que, por sinal, selecionou ainda mais os candidatos.

Se falarmos em Concursos Públicos, sabemos que a Língua Portuguesa é matéria obrigatória e está presente em todas as provas, independente da instituição que esteja organizando. Nesse caso, o nível de dificuldade vai depender de outros muitos fatores além da organizadora, tais com os cargos requeridos e a instituição que está oferecendo as vagas.

Pensando nisso, fizemos esse artigo para te auxiliar a mandar bem com as perguntas de português. Vamos deixar claro que, caso você queira um maior aprofundamento sobre o tema, vai precisar procurar alguma escola ou curso preparatório com algum professor especializado no assunto. Aqui, nosso objetivo é fazer você se relacionar melhor com o tema, porque, como dissemos o Português é o básicos de todos os editais, seja o Enem, seja o concurso ou seja qualquer outra prova. Leia!

4 – Pontuação

Os sinais de pontuação tem a finalidade de estruturar as frases escritas de forma lógica, em concordância, para que, ao fim, elas tenham devidos significados. A pontuação é dita como muito importante na linguagem escrita porque exprime entonação, gestos, pausas e outros, que são advindos da linguagem oral. Quando bem empregados, esses recursos são de grande recurso expressivo.

Os dois mais usados são: o ponto e a vírgula. O ponto final ou ponto simples é usado no final de uma frase. Além de finalizar um período, ele pode também ser usado em abreviaturas e em recursos estilísticos. Já a vírgula tem vários usos e é importante para dar entonação e interpretação ao texto. Ele é usado, na maior parte das vezes, como simples sinal de pausa e indica um tempo menor do que um ponto final.

Reprodução: Google

Além deles, vejam outras pontuações:

  • Ponto-e-vírgula – ;
  • Dois Pontos – :
  • Ponto de Interrogação – ?
  • Ponto de Exclamação !
  • Reticências …
  • Parêteses ( )
  • Travessão –
  • Aspas “ “

5 – Regência

Esse é o campo da língua portuguesa que estuda as relações de concordância entre os verbos e os termos. Ela é necessária visto que algumas palavras não possuem sentido completo. Essa relação entre um termo principal e o termo que lhe serve de complemento possui 2 tipos: Regência Nominal e Regência Verbal.

A Regência Nominal é quando um nome regente determina para o nome regido a necessidade do uso de uma preposição. Em poucas palavras, é o vínculo entre o nome e seu termo, feito por uma preposição.

Já a Regência Verbal é a maneira como o verbo se relaciona com seus complementos. Nesse caso, o vínculo pode se dar com ou sem a presença de preposição.

6 – Concordância

De forma resumida, é o modo pelo qual um adjetivo varia no gênero e no número de acordo com o substantivo ao qual está se referindo e o modo pelo qual um verbo varia em pessoa e número de acordo com o sujeito da frase.

Assim, a concordância nominal é os ajustes que fazemos para que as orações passem a concordar em número e gênero com o substantivo. O que podemos alterar, nesse caso, são numerais, pronomes, adjetivos, artigos e o verbo.

E a concordância verbal está relacionada ao que diz respeito ao verbo, sendo que ele deve concordar em número e em pessoa, ambos com o sujeito da oração. A regra, nesse caso, é a de que o verbo deve concordar com o sujeito, conforme normas da gramática.

7 – Para Saber Mais sobre o Estudo do Português

Pesquisas mostram que 25% dos brasileiros são analfabetos funcionais, assim, conhecem apenas a maneira primitiva da leitura, sem saber escrever ou interpretar textos de maneira adequada. EM 2015, 8,7% da população brasileira com mais de 15 anos era completamente analfabeta. Tal motivo explica a importância do tema nos concursos públicos.

Já focado no concurso, em recente análise, foi notificado que os 3 principais temas acerca da Língua Portuguesa e que mais caem nessas provas são:

  1. Morfologia: Estudo da estrutura, da formação e da classificação das palavras.
  2. Sintaxe: É a parte que estuda a disposição das palavras na frase, assim como a relação lógica das frases.
  3. Semântica: Estuda o significado das palavras.

Também fizemos uma pesquisa sobre os autores que são verdadeiros ninjas nesses temas. São eles:

  • Evanildo Bechara: É membro da Academia das Ciências de Lisboa e doutor honoris causa pela Universidade de Coimbra. A Moderna Gramática da Língua Portuguesa do professor Bechara é uma das mais consultadas.
  • Napoleão Mendes de Almeida: Escreveu a Gramática Metódica da Língua Portuguesa, que chegou a mais de meio milhão de exemplares vendidos em mais de 40 edições.
  • Machado de Assis: Entre os autores brasileiros é um dos mais indicados para aprender Língua Portuguesa. Afinal, foi ele quem fundou a Academia Brasileira de Letras.
  • Graciliano Ramos: É um autor mais recente, porém que se caracteriza pelo desenvolvimento da escrita, o que podem te ajudar no seu relacionamento com a Língua Portuguesa.

E se você busca materiais, então, pode escolher um desses:

A Regra Fundamental do Estudo

Para estudar português, assim como para estudar qualquer matéria… Você pode seguir uma regra fundamental, que é ouvir conselhos de especialistas no assunto. O que eles dizem? 1º que você precisa de uma motivação. Você pode encontrar essa fonte inspiradora em um filme ou em imagens legais, no entanto, apenas o seu objetivo central e bem traçado vai te fazer chegar lá, sendo capaz de superar todos os seus medos e obstáculos.

Você também vai precisar manter o seu material de estudo arrumado, afinal, é muito chato chegar em casa e perceber que esqueceu de um caderno ou de um material importante. Isso gera uma série de desconfortos.

Na aula, toda atenção ainda vai ser pouco. Porque, como já vimos na Curva de Esquecimento, nenhum ser humano no mundo vai conseguir absorver todo conteúdo integralmente. Isso sem contar que a maior parte dos professores sempre dão dicas valiosas nas entrelinhas de uma aula ou outra. Economize tempo e esforço, preste a atenção na aula que isso já é meio caminho andado.

Chega de ter Medo de Dar Branco na Hora de Prova! Entenda como funciona a Curva do Esquecimento!

Aí, um segredinho é anotar tudo. Seja a piada suja do professor que tem a ver com a matéria ou seja um acróstico que você fez quase que sem perceber. Quanto mais objetivas e numerosas forem suas anotações, mais chance você terá de memorizar o assunto. O sistema de tópicos e subtópicos, por exemplo, costumam ser muito indicados pelos especialistas.

Parece bobagem, mas não é: busque ajuda sempre que ficar com dúvida. Não tenha vergonha de perguntar para o professor ou para o colega de sala. Não ache que sua dúvida é boba demais. Primeiro que o professor está lá para te ajudar e segundo que você tem que aproveitar todas as armas que você tem a sua disposição. Afinal, se você ficar com dúvida, o maior prejudicado será você mesmo.

Seja realista com tudo. Com as metas, com os horários de estudos e com a sua disposição. O mais importante é saber estudar com qualidade. Estudos e matérias comprovam que a maior parte das pessoas que são aprovadas em concursos, estudavam em tempo curto, entre o trabalho e o caminho para casa. Então, é possível. Isso acontece porque eles estudam com qualidade, com sabedoria, usando técnicas, entre elas, a de memorização.

Saiba Como Otimizar o Seu Estudo! Estudo menos e estudo melhor com as técnicas de memorização do Renato Alves!

Com informações do TudoSobreConcurso e SegredosdeConcurso

7 Temas Imprescindíveis de Português para Concursos Públicos
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.