Gramática Fácil para Concurso – Para quem tem POUCO tempo para estudar

Concurseiro ou vestibulando… Aliás, todo mundo que vai prestar uma prova no Brasil precisa entender muito sobre a gramática da língua portuguesa. As questões sobre essa disciplina sempre são as que mais caem e em muitos casos representam até mesmo metade da pontuação final da prova.

No entanto, a vida do estudante do tem sido fácil: falta tempo, dinheiro, disposição.

  • Sendo assim, como fazer para estudar gramática para concursos?
  • Será que existe alguma forma de potencializar os conhecimentos da Língua Portuguesa?

As respostas estão no decorrer do artigo.

Obviamente, você já ouviu falar de termos como “Fonologia”, “Ortografia”, “Concordância Nominal”, “Concordância Verbal”, “Regência Verbal”, “Regência Nominal”, “Colocação Pronominal”, “Crase”, “Pontuação”, “Análise Sintática”… E, na real, isso te assusta?

Se a resposta for não, ótimo. Se a resposta for sim, calma, você também pode deixar esse fantasma de lado e aprender gramática de forma fácil.

A Importância do Português em Concursos Públicos

Em quase todos os concursos caem, com muita ênfase, o português. Se por um lado, você já sabe que o Direito Previdenciário vai cair no INSS e que Estatísticas e Geografia vai estar no INSS, tem que saber que o português estará também neles todos.

É fundamental o estudante focar em conhecimentos específicos da sua prova, porém, inevitável saber tudo de português. Tanto é que especialistas indicam sempre estudar essa disciplina antes de o edital ser lançado, já que é certeza que ela vai estar descrita lá.

Por outro lado, algumas pesquisas apontam que 1 em 4 brasileiros são analfabetos funcionais, ou seja, embora saibam de forma simples o funcionamento da leitura, eles não conseguem escrever nem interpretar textos de forma adequada.

Em 2015, por exemplo, quase 9% da população nacional acima de 15 anos era considerada completamente analfabeta.

A explicação mais óbvia tem a ver com a disciplina do português, que não foi aprendida corretamente.

Claramente, quem consegue ir bem nesse quesito sai na frente de todos os concorrentes diretos à vaga. Até mesmo em um vestibular disputado, como é o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio.

Ainda pensando nisso, as pessoas costumam se perguntar:

  • “Será que a prova de português deve mesmo tomar tanta atenção do estudante”?

Sim, a resposta é sim.

Confira alguns dos motivos mais óbvios.

– Na prova do IBGE, o português é critério de desempate em alguns cargos,

– Todo concurso público insere questões de português,

– No concurso da Caixa Econômica Federal, o português tem maior peso,

– No concurso dos Correios, a nota do português é critério de desempate,

– Em concursos da Polícia Federal, Banco do Brasil e INSS, o português tem maior número de questões em toda a prova.

Definitivamente, o a língua portuguesa é importante para quem vai prestar concursos públicos. Se você ainda tem dúvidas, procure o edital anterior da sua prova e confira.

Como Entender, de Forma Geral, a Língua Portuguesa para Concursos?

De modo geral, dá para dividir o conteúdo programático da disciplina em alguns grandes tópicos, que são exigidos em editais.

Morfologia

É o estudo da estrutura, da formação e da classificação das palavras.

A ideia é estudar palavras isoladas e suas características.

Conheça sobre adjetivos, advérbios, artigo, conjunção numeral, interjeição, preposição, pronome, substantivo e verbo.

Sintaxe

É a parte gramatical das palavras dentro das frases e dos discursos, assim como a relação lógica entre elas.

A sintaxe é um instrumento essencial para o manuseio satisfatório das múltiplas possibilidades que existem para combinar palavras e orações.

Semântica

Essa parte do português estuda o significado das palavras.

Aqui, você terá que ver conceitos como sinônimos, antônimos, homônimos, parônimos, polissemia, denotação, conotação, figuras e vícios de linguagem.

Qual o Jeito Certo de Treinar a Disciplina de Português

Em termos de horas, há quem diga que o ideal é dedicar ao menos 2 horas do dia para essa disciplina. Mas, como sempre falamos aqui no blog, quando o assunto é estudo, a qualidade é muito mais importante do que a quantidade, portanto, não vamos nos limitar a esse detalhe.

O importante é fazer um horário de estudo semanal de gramática e cumpri-lo. Seja firme no propósito, estude para valer, seja íntegro.

Não há problemas em reajustar os horários, observe isto. O correto é conseguir tornar tudo mais fácil a partir de um plano de estudos e da disciplina, que é necessária para cumprir o que está no planejamento. Repita o processo todas as semanas, mês a mês, até o dia da prova.

Quanto às matérias, também não tem regras porque depende do perfil do aluno. Mas, professores de cursos preparatórios recomenda seguir a seguinte sequência que está baseada no grau de dificuldade, sendo do mais fácil para o mais difícil:

  • Fonologia,
  • Ortografia,
  • Análise Sintática,
  • Concordância Nominal,
  • Concordância Verbal,
  • Regência Verbal,
  • Regência Nominal,
  • Crase,
  • Colocação Pronominal,
  • Pontuação.

Organizando o estudo dessa forma, todo aluno vai conseguir impulsionar a aprendizagem devido à melhor assimilação e compreensão de cada tópico estudado.

Por que Estudar Gramática é tão difícil?

Fazer uma prova ruim de português em concursos públicos, pode resultar na eliminação do candidato, levando em conta que com a concorrência grande, o português deveria ser o primeiro passo para o sucesso.

Isso sem contar que em alguns casos, o português é considerado de caráter eliminatório, sendo que quem não consegue a pontuação mínima fica fora do páreo.

Mas, o que fazer se muitos candidatos tem dificuldade em aprender a gramática?

Obviamente, isso dá para entender se analisar a história do país e da educação. Na prática pedagógica, por exemplo, a gramática tem sido objeto de indagações constantes quanto à sua compreensão – os próprios objetivos educacionais são confusos quanto à forma de ensino.

A definição do conteúdo é mostrado de forma autoritária e, por vezes, de maneira incorreta sem que haja um planejamento adequado.

O aluno, para conseguir êxito, tem que perceber, por conta própria, qual é o valor do ensino gramatical no âmbito escolar.

Antes de tudo, perceber por que deve-se estudar gramática. A gramática, assim sendo, é objetivo para o desenvolvimento da capacidade expressiva dos usuários da língua portuguesa.

Os dois tópicos acima foram escritos justamente para dar esse norte ao estudante.

Nos tópicos seguintes, nos dedicamos a encontrar dicas para fortalecer a aprendizagem, levando em conta uma média de erros em concursos e as famosas “pegadinhas” que as bancas costumam “pregar” em seus candidatos.

Na Gramática, o que mais Confunde o Candidato?

Existem vários pontos, mas separamos os principais.

Note, no entanto, que decorar o material é arriscado, sendo que o mais viável é memorizar. Há uma grande diferença entre essas duas expressões. No caso da memorização, a ideia é conseguir fixar mais conteúdos, mais informações e para isso existem técnicas a ser usadas.

Parece difícil, mas não é.

Fazer revisões, por exemplo, é uma ótima forma de memorizar um conteúdo. Além disso, escrever no papel pequenas informações e notas sobre a matéria a ser estudada também é considerada uma técnica de memorização. Se você quer saber mais sobre essas técnicas, clique aqui agora mesmo.

Os temas que mais confundem os candidatos são:

Há e A

Há se refere ao verbo haver e é usado no sentido do que já existiu.

Para nunca errar, troque o há por faz, se der certo, trata-se de um verbo.

Já o A é uma preposição que indica distância no tempo e no espaço.

Ela não se refere à um tempo passado.

Verbo Haver

É um assunto que também causa estranheza, mas basta analisar se o verbo haver está no sentido de existir, tornando-se um verbo impessoal e ficando, portanto, no singular.

Assim, “há (faz) tempos que não como chocolate, daqui a dois meses é o casamento da Manuela, há (existe) muitas pessoas falsas no seu círculo de amizade”.

Mas e Mais

Use o mas quando puder trocá-lo por “porém”; mais indica uma soma.

Quero ir ao shopping, mas não quer ir só.

Carlos mais Humberto foram uma ótima dupla no vôlei de praia.

Reprodução: Google

Na Redação, quais os erros mais comuns?

A redação também é importante e eliminatória em algumas provas, principalmente, em vestibulares. Portanto, fizemos uma listagem breve sobre os erros mais comuns, confira.

Interpretação de Textos e de Enunciados

A maior parte dos candidatos vai direto para as questões sem ler o texto, mas é preciso calma. É no enunciado que tem boas dicas das respostas. Ficar preocupado com o relógio não vai te fazer mais inteligente, querido aluno.

A melhor opção é ler o enunciado com atenção.

Uso da Crase

É um tema que causa confusão quando a preposição a se une com o artigo a, apresentando regras de emprego especificas.

Se você não está seguro à respeito da crase, o conselho é revistar o tema com atenção e entender o uso da crase, levando em conta que há casos optativos, quando ela pode ser ou não usada.

Ortografia

É um dos fatores que pode eliminar o candidato da prova. E é um erro muito comum em candidatos que não tem o hábito da leitura. A solução é começar a folhear mais as revistas, jornais, sites e evitar tais erros.

Emprego de Pronomes

É um tema sempre presente em provas e que estão relacionados com “pegadinhas”. O candidato tem que estar atento para não se confundir com as regras de colocação de pronomes oblíquos átonos, como lhe, me, te, se, o, a.

Popularmente, falamos: “Você viu ela”? No entanto, na norma culta da língua, essa forma está incorreta. Preste atenção na hora de escrever e sempre revise a redação. Essa é a dica!

Uso de Aonde ou Onde

Também sofre a influência da língua falada e pode confundir o candidato. Mesmo que as pessoas empreguem “aonde” ou “onde” na língua oral sem que haja diferença, na língua escrita, elas são diferentes.

Onde é usado para algo que não tem movimento, fixo. “Onde você mora”?

Aonde acompanha verbos de mudança, movimento. “Aonde você foi”?

10 Livros de Português indispensáveis para quem Vai Prestar Concursos Públicos

A ideia é otimizar tempo e se você se considera um candidato “fraco” no português, pode usar esse tópico para selecionar uma das obras e comprar para ler durante uma viagem, na sala de espera médica, no intervalo do almoço ou mesmo como um dicionário para quando estiver com dúvidas.

A listagem com as indicações é do site Exame e leva em conta os temas mais abordados em concursos públicos. “São para quem quer se dar bem em língua portuguesa”.

Gramática para Concursos – Marcelo Rosenthal – Editora Campus/Elsevier

Traz a teoria por trás das normas gramaticais e mais de 1 mil questões de concursos comentadas pelo autor.

“O autor é um dos professores mais experientes na área de concursos públicos, conhecedor das bancas e cheio de dicas para o candidato não ser surpreendido nas provas”, afirma Alexandre Luz, que é professor de Língua Portuguesa.

Gramática comentada com Interpretação de Textos – Adriana Figueiredo e Fernando Figueiredo – Editora Campus/Elsevier

Os autores trazem conteúdos mais frequentes nos concursos públicos, repleto de exercícios de fixação e questões de provas sobre regras gramaticais e análise de textos.

“A leitura flui como se fosse uma conversa informal com amigos”, diz Luz.

Redação em Construção – Agostinho Dias Carneiro – Editora Moderna

“O livro traz toda a base necessária à interpretação de textos e à produção textual”, diz Alexandre Soares, professor de língua portuguesa.

Moderna Gramática Portuguesa – Evanildo Bechara – Editora Nova Fronteira

“Quem estuda português não pode deixar de ler o professor Bechara, um mestre na norma culta que percorreu diversas eras de concursos públicos”, diz Fernando Bentes, diretor de um site para concursos.

Nível Médio e Superior/Português – Diogo Arrais – Editora Saraiva

O livro é útil, como dizem os especialistas, para quem vai prestar concursos específicos muito disputados em todo o país, como o Ministério Público, Polícia Estadual e Federal, Tribunais, entre outros.

“Esta é uma boa opção para quem deseja um estudo mais direcionado ao órgão em que deseja ingressar”, diz o professor Bentes.

Intepretação de Textos e Semântica para Concursos – Marcelo Rosenthal, Lilian Furtado, Tiago Omena e Pedro Henrique – Editora Campus/Elsevier

O livro traz várias perguntas de provas sobre a interpretação de texto.

“Gosto bastante, pois as questões são aquelas que geralmente nos deixam em dúvida entre duas opções”, opina Claudete Pessoa, especialista em concursos públicos e professora.

Gramática completa para Concursos e Vestibulares – Nilson Teixeira de Almeida – Editora Saraiva

É uma gramática organizada por tópicos, trazendo diversos exercícios de fixação e questões de concursos.

“O autor é bem claro e objetivo e traz muitas dicas que facilitam a vida na hora da prova”, diz Claudete.

Português para Concursos: teoria e 900 questões – Renato Aquino – Editora Impetus

“Este é o queridinho dos concurseiros porque é um livro prático”, diz a professora Pollyana. Além do conteúdo de gramática, a obra traz os exercícios. “Depois dessa bateria de questões é impossível não estar preparado para o concurso”.

Gramática Reflexiva da Língua Portuguesa – Marcelo Moraes Caetano – Editora Ferreira

É um livro teórico onde o autor usar muitos esquemas gráficos e incentiva a reflexão do aluno. No final da obra, tem exercícios também.

“Apesar de ser um livro que vai mais afundo na matéria, é perfeitamente viável para o concurso iniciante”, diz Pollyana Dieine, especialista em concursos públicos.

Gramática para Concursos Públicos – Arenildo dos Santos – Editora Ferreira

É uma gramática direcionada para quem vai fazer as provas de concursos. “O diferencial são as questões dos concursos anteriores, com o gabarito comentado”, diz Alexandre Soares.

Reprodução: Google

Questões para Treinar o seu Português para Concursos

Esse último tópico é apenas para você treinar o seu português. As respostas estão logo abaixo de cada questão porque a ideia não é fazer charme e sim estudar. Portanto, veja quantas questões você consegue acertar e tenha uma base do quanto ainda precisa estudar.

Banca FCC – Copergás/PE – 2016

A frase escrita conforme a norma-padrão da língua portuguesa é:

a) Permita-me perguntar a ti, prezado senhor: se o sol apaga, nós sobrevivêramos?

b) Permita-me prezado, senhor, perguntar-te: se o sol apagava, nós sobreviveríamos?

c) Permita-me, prezado senhor, perguntar-lhe: se o sol apagar, nós sobreviveremos?

d) Permita-me, prezado senhor perguntar-vos: se o sol apagasse, nós sobrevivemos?

e) Permita-me perguntar, a vós prezado senhor: se o sol tivesse apagado, nós sobrevivíamos?

RESPOSTA: C

Banca Funrio – IF/PA – 2016

“Eram de mármore branco as escadarias que subíamos e descíamos correndo, na casa-grande onde nascemos – o nosso mundo, cercado de jardins e, aos fundos, o imenso quintal. As escadas brancas nos levavam para outro país, para a rua, aquela pacata rua chamada Benjamim Constant, em Belém do Pará, que para nós parecia apenas um trecho sem importância, diante de nosso mundo povoado de tanta gente, muita árvores.” (Eneida de Moraes, “Muitas Árvores”)

Como se explica a afirmação da narradora de que as escadas brancas os levavam para outro país?

a) Belém era um mundo desconhecido pela narradora, que nunca havia viajado para o exterior.

b) O mármore branco das escadarias impressionava a narradora, que sonhava em conhecer outros países.

c) Os jardins e o imenso quintal da casa-grande lembravam os suntuosos cenários dos palácios europeus.

d) As escadas separavam o mundo da narradora do mundo exterior, tratado conotativamente como um outro país.

e) A rua ficava na fronteira entre a cidade e o exterior, o que levou a narradora a surpreender-se ao sair de casa.

RESPOSTA: D

Banca FCC – Eletrobrás/Eletrosul – 2016

A frase escrita corretamente, de acordo com a norma-padrão, é:

a) É provavel que desenhos de outros animais sejam benvindos nos livros que o autor se refere.

b) O autor expressou o desejo que os livros mantessem margens estensas e páginas em branco.

c) Os desenhos que as crianças virem a fazer nos livros deverão ser acrecidos aos poemas.

d) As páginas em branco serveriam ao proposito de oferecer às crianças espaço para desenhar.

e) As crianças terão a liberdade de expor os desenhos que julgarem mais apropriados ao livro.

RESPOSTA: E

Banca Fepese – Prefeitura de Florianópolis/SC – 2016

Assinale a alternativa que apresenta incorreção na regência verbal de acordo com a norma culta:

a) Quero a Pedro.

b) Custou-lhe aceitar a verdade

c) Eles se referiram sobre o outro governo.

d) Esta é a cidade com a qual sonhamos.

e) Assisti à conferência e não gostei.

RESPOSTA: C

Banca Cetrede – Prefeitura de Caucaia/CE – 2016

Indique a alternativa em que todas as palavras devem receber acento.

a) virus, torax, ma.

b) caju, paleto, miosotis .

c) refem, rainha, orgão.

d) papeis, ideia, latex.

e) lotus, juiz, virus.

RESPOSTA: A

A Regra Fundamental do Estudo

Para estudar português, assim como para estudar qualquer matéria… Você pode seguir uma regra fundamental, que é ouvir conselhos de especialistas no assunto. O que eles dizem? 1º que você precisa de uma motivação.

Você pode encontrar essa fonte inspiradora em um filme ou em imagens legais, no entanto, apenas o seu objetivo central e bem traçado vai te fazer chegar lá, sendo capaz de superar todos os seus medos e obstáculos.

Você também vai precisar manter o seu material de estudo arrumado, afinal, é muito chato chegar em casa e perceber que esqueceu de um caderno ou de um material importante. Isso gera uma série de desconfortos.

Na aula, toda atenção ainda vai ser pouco. Porque, como já vimos na Curva de Esquecimento, nenhum ser humano no mundo vai conseguir absorver todo conteúdo integralmente.

Isso sem contar que a maior parte dos professores sempre dão dicas valiosas nas entrelinhas de uma aula ou outra. Economize tempo e esforço, preste a atenção na aula que isso já é meio caminho andado.

CHEGA DE TER MEDO DE DAR BRANCO NA HORA DE PROVA! ENTENDA COMO FUNCIONA A CURVA DO ESQUECIMENTO!

Aí, um segredinho é anotar tudo. Seja a piada suja do professor que tem a ver com a matéria ou seja um acróstico que você fez quase que sem perceber. Quanto mais objetivas e numerosas forem suas anotações, mais chance você terá de memorizar o assunto.

O sistema de tópicos e subtópicos, por exemplo, costumam ser muito indicados pelos especialistas.

Parece bobagem, mas não é: busque ajuda sempre que ficar com dúvida. Não tenha vergonha de perguntar para o professor ou para o colega de sala.

Não ache que sua dúvida é boba demais. Primeiro que o professor está lá para te ajudar e segundo que você tem que aproveitar todas as armas que você tem a sua disposição. Afinal, se você ficar com dúvida, o maior prejudicado será você mesmo.

Seja realista com tudo. Com as metas, com os horários de estudos e com a sua disposição. O mais importante é saber estudar com qualidade.

Estudos e matérias comprovam que a maior parte das pessoas que são aprovadas em concursos, estudavam em tempo curto, entre o trabalho e o caminho para casa.

Então, é possível. Isso acontece porque eles estudam com qualidade, com sabedoria, usando técnicas, entre elas, a de memorização.

Saiba Como Otimizar o Seu Estudo! Estudo menos e estudo melhor com as técnicas de memorização do Renato Alves!

Com informações da vestcon e abril

Add Comment