Descubra o que é preciso para fazer faculdade na Itália

Os italianos são bem fortes no quesito educação. Para se ter uma ideia, o país é considerado como aquele tem “uma escola forte, antiga e tradicional no ensino universitário”. Por isso é que muita gente quer saber como fazer faculdade na Itália. E a gente vai contar isso nas próximas linhas.

Além do mais, uma curiosidade bem legal é considerar que a universidade mais antiga da Europa fica na Itália, é a Universidade de Bologna e existe desde 1088. Mas, existem outras também, como vamos citar ao longo do conteúdo.

O fato é que a Itália também é palco para os interessados em cursas faculdades de Belas Artes, de Arquitetura e de Direito. Agora, vamos falar mais do sistema de ensino de lá e, depois, sobre o que é preciso para estudar na Itália. Acompanhe!

O sistema de ensino italiano

Antes de a gente citar os requisitos e obrigações para conseguir fazer faculdade na Itália, vamos brevemente sobre o sistema de ensino de lá. Basicamente, os estudos universitários são divididos em categorias.

O Corsi di Laurea é formado pelas graduações. Eles também podem ser chamados de Laurea Triennale e duram 3 anos. Para esse tipo de curso é preciso ter o diploma do ensino médio.

Tem o Laurea Magistrale também. É um ciclo após as graduações e equivale ao nosso mestrado. Ele pode ser o Laurea Magistrale ou o Larea Specialista. São cursos de dois anos e estudos aprofundados em determinadas áreas. É preciso ter a graduação.

Outra opção é o Master, que é o nome curto para Master Universitario di primo Livello. São cursos pós-graduações também, mas equivale às nossas MBA. Eles duram 1,5 ano e são focados no mercado profissional e de trabalho.

Por fim, temos ainda a opção do Dottorato di ricerca, que é como o doutorado aqui no Brasil. É considerado um curso de terceiro ciclo e é de pesquisa cientifica avançada. Ele dura 3 anos. E é preciso ter feito um curso de segundo ciclo antes.

Onde estudar? Para fechar esse tópico, saiba que as 5 maiores universidades italianas são: Scuola Superiore Sant’Anna, Scuola Normale Superiore di Pisa, Universidade de Bologna, Universidade de Pádua e a Universidade Vita-Salute San Raffaele.

Os requisitos para fazer faculdade na Itália

Se você nunca tinha cogitado estudar na Itália e começou a pensar nisso agora ou mesmo se estava há um bom tempo estudando essa possibilidade, saiba que existem alguns requisitos que serão obrigatórios para isso acontecer.

Aliás, esses requisitos serão como os primeiros passos que você pode dar para alcançar esse objetivo tão ousado e, ao mesmo tempo, tão incrível.

Então, vamos lá: a primeira coisa é ter concluído o ensino médio e o fundamental. Isso vai ser totalmente necessário. A dica é considerar que para os italianos, esse ciclo (fundamental e médio) dura 12 anos. Portanto, você vai ter que ter estudado por 12 anos também.

Aí, o que acontece é que no Brasil, antigamente, o ensino fundamental era de 8 anos e mais 3 do ensino médio, o que daria 11 anos no total. Então, seria necessário fazer mais 1 ano de um curso de faculdade qualquer para ter a soma dos 12 anos.

Mas, hoje em dia, o ensino fundamental vai até o 9º ano e aí com mais 3 do médio, a gente soma os 12 e isso dá certo. É preciso ficar atento a esse detalhe.

Você também vai gostar de ler esse artigo: Descubra 5 maneiras de entrar na faculdade sem vestibular

Fora os estudos…

Além dos estudos, você também vai ter que comprovar outros itens. O primeiro deles é o que é chamado de “declaração de valor”. Isso é para provar que você completou os ensinos citados acima. Só que esse documento tem que ser emitido pelo consulado italiano.

Então, anote aí: é preciso ter a declaração de valor assinada pelo consulado italiano. Nesse documento vão estar todas as informações importantes sobre o seu tempo de estudo em cada ciclo, o tipo de avaliação que você fez e a instituição de ensino que estudou.

Nem precisamos falar que essa instituição tem que estar aprovada pelo MEC, né? Que é o Ministério da Educação e da Cultura.

Após a declaração, você também terá que apresentar o seu histórico escolar e o certificado de conclusão de curso do ensino médio e do ensino fundamental. Agora o detalhe é outro: esses documentos precisam estar com a “tradução juramentada”.

E cada consulado pode optar por receber outros documentos também, sendo que isso é bem especifico de cada lugar. Uma boa ideia é consultar no site do consulado italiano os requisitos e ver como é feita a declaração de valor.

É preciso ter visto para viajar para a Itália

Se você não é um cidadão europeu deve saber que também vai precisar ter um visto para fazer faculdade na Itália. Deve ser um visto de estudante mesmo. E quem emite também é o consulado italiano, mediante a comprovação de documentos.

Entre os documentos que serão cobrados estão: formulário de solicitação de visto, fotografias, passaporte, comprovação de hospedagem e de finanças, inscrição na universidade italiana e o seguro viagem.

Sobre falar inglês ou italiano?

Para finalizar o conteúdo, a gente deve trazer uma devida atenção para o fato de que falar italiano será sim um grande diferencial para fazer faculdade na Itália. Ainda mais porque são pouquíssimos os cursos ofertas em inglês.

Por isso, os programas são, em sua maioria, ministrados na língua local e os estudantes internacionais devem ter conhecimento mínimo de italiano. Na grande maioria das situações, se exige do aluno o nível B2 ou C1.

E quem não tem certificado desse nível de conhecimento pode fazer uma prova na própria universidade para provar o conhecimento sobre o idioma local.