10 razões especiais para fazer concurso público em 2018

0
203

No Brasil, todos os anos milhões de pessoas prestam provas para conseguir uma vaga nas empresas e instituições públicas. Agora, será que há motivos especiais para fazer isso no próximo ano?

Com certeza, sim. Além de o salário continuar sendo um ponto positivo, também podemos comemorar o fato de que no próximo ano mais vagas serão abertas.

Isso ainda sem contar o fator “estabilidade” que, segundo o Artigo 41 da Constituição Federal, garante ao funcionário a demissão apenas em casos extremos de falha, após ele cumprir o estágio probatório, que é de exercer as atividades do cargo durante 3 anos.

E o vale-alimentação, vale-refeição, vale-transporte… Também contam.

Em números, isso significa uma alta taxa de inscritos nos 5 concursos mais concorridos nos últimos anos.

Segundo o Guia de Carreira, ao todo foram mais de 1,2 milhões de inscrições nos concursos:

  • Senado Federal (642 candidatos por vaga),
  • Receita Federal (138 candidatos por vaga),
  • Tribunal de Contas da União (158 candidatos por vaga),
  • Ministério Público da União (mais de 1,2 mil candidatos por vaga) e
  • Polícia Federal (200 candidatos por vaga).

José Roberto Afonso é do Ibre/FGV e publicou uma pesquisa que mostrou que o serviço público é um ótimo negócio. Os dados mostraram que a elite estatal, por exemplo, ocupa 6 a cada 10 profissões mais bem-remuneradas em todo país.

Separamos os principais pontos para se cogitar a chance de se tornar um servidor público em 2018. Confira!

1 – Mais Vagas em 2018

O governo já anunciou que novas vagas serão abertas, inclusive, alguns editais serão lançados no começo do ano.

O número de aposentados também é alto nesse mercado de trabalho e, ao que tudo indica, muitos trabalhadores devem finalizar suas contribuições em breve!

Estima que nos próximos anos, 48% dos servidores (praticamente metade) terão direito a pedir a aposentadoria. Logo, em números, são mais de 1,8 milhão de servidores com esse direito.

O levantamento é de Nelson Marconi, da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Ainda que o governo não queira fazer novos concursos públicos, ele não terá muita opção de escolha.

2 – Salários acima da Média

Conforme pesquisa do Banco Mundial, o Brasil é um dos países que tem maior diferença de salários entre as empresas privadas e as públicas.

Logo, se você é servidor público, é muito provável que tenha salário mais alto – ainda que sejam cargos semelhantes e com funções parecidas.

Bônus ao final do artigo: os concursos mais concorridos do Brasil (e, obviamente, com melhores salários).

3 – Carreira Ascendente

Apesar de ser o maior atrativo, algumas pessoas têm dificuldade em se adequar aos parâmetros e cotidiano da vida pública.

Isso acontece principalmente com aquelas pessoas que são empreendedoras e não toleram às ordens de chefes.

“Agora, se a pessoa é regrada e extremamente preocupada com o futuro, geralmente ela se dá bem nesses cargos”, comenta Lílian.

4 – Burocracias

No longo prazo, estamos falando em projetos profissionais e garantias de serviço prestado, como a aposentadoria do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social.

Ainda que não seja regra, em muitas empresas privadas, os trabalhadores e colaboradores precisam acompanhar os depósitos feitos pela empresa ao governo, sendo que algumas não cumprem tal exigência.

Em um órgão público, essa falha é muito rara de acontecer.

Para os especialistas, o trabalho público é menos exigente, em termos de documentação e leis, quanto à serviço de empresas privadas.

Isso vale para benefícios como Aposentadoria, Licenças, Férias e mesmo referente ao Ritmo do Trabalho.

“Embora não gostem de ouvir isso, as empresas privadas tem maior grau de exigência do que o emprego público”, comenta Lílian Graziano, coordenadora de MBA Gestão de Pessoas da Trevisan Escola de Negócios.

5 – Benefícios em Programas Sociais

Existem muitos benefícios que os servidores públicos tem, como o programa para adquirir o primeiro imóvel: Minha Casa Minha Vida.

O programa dá um benefício ainda maior para quem trabalha para o governo e é concursado.

Além disso, os créditos têm juros menores, como os consignados e os empréstimos pessoais, emitidos pelas instituições financeiras.

6 – Ajudar outras pessoas

Essa é uma questão totalmente pessoal, mas que tem que ser levada em conta. Quando fazemos bem a outra pessoa, isso nos enriquece de várias formas, inclusive, como pessoas.

Os concursados podem ter esse sentimento e ainda ganhar para isso. Imagina a sensação de você poder solucionar problemas de outras pessoas, isso não é maravilhoso?

7 – Qualidade de Vida

A maioria das pessoas que estudam para os concursos deixa de ter uma boa qualidade de vida. Essa é uma notícia verdadeira, no entanto, não deveria ser.

Com as técnicas de memorização, entre outras, o candidato passar a ter mais tempo hábil para outras atividades, como a física, o lazer e a cultura.

Então, estudar para concursos e deixar de sair com os amigos ou praticar esportes não precisam se relacionar dessa forma. É possível fazer ambos.

8 – Status

Ainda que não devemos levar isso muito a sério (já que status pode não significar nada se a pessoa fizer mau uso dele), o status de ser um policial federal, por exemplo, pode ser importante para a vida pessoal de alguma pessoa.

A questão vai muito além de “querer se impor sobre a sociedade”. Mas, tem a ver com o orgulho de ser um agente de defesa das pessoas.

Além do fato de que todo concursado é dito como pessoas, no mínimo, bastante esforçadas, tamanha é a concorrência pelo mesmo objetivo.

9 – Não precisa ter experiência profissional

Alguns concursos de alto escalão exige essa experiência, sim. Mas, para início de conversa, se estamos falando de um emprego, então, não há problemas para o candidato, mesmo que ele nunca tenha trabalhado antes.

A exigência para prestar a prova é ter ensinos escolares, a partir do fundamental.

Essa flexibilidade já não é tão acessível na maior parte dos empregos privados, onde “ter experiência profissional” é um dos tópicos mais exigidos em todo país.

Além disso, a sua idade também não será um problema para o mercado de trabalho – desde que você tenha mais de 18 anos.

10 – Meritocracia

A questão da meritocracia é polêmica… Mas, temos que dizer que se você estudou muito e conseguiu passar no concurso público tem um sentimento quase que inexplicável.

É exatamente a sensação de justiça, de meritocracia.

Você não fica dependente de indicações, de networking ou algo assim para conseguir uma vaga. Isso porque toda adesão é feita através de processos seletivos e o único requisito é ser aprovado no concurso.

O fato é que as carreiras públicos não impõem como requisitos para ingresso e posse nos cargos, nem experiência, nem boa aparência, nem títulos específicos, nem mesmo que o candidato more perto do local de trabalho.

Por que nem todo mundo presta concursos públicos?

O lado ruim dos concursos públicos, que é criticado por muitas pessoas é o fato de exigir muito tempo para a preparação.

São raros os casos de candidatos que conseguem chegar ao êxito logo nos primeiros meses de estudos, mesmo que isso esteja interligado com cursos preparatórios e uma rotina de estudo muito rígida.

Afinal, quanto mais concorrentes, mais estudo é preciso ter, e apenas como informação, no último ano foram mais de 12 milhões de pessoas que participaram de algum concurso público no Brasil.

Normalmente, os concursos públicos são processos de seleção realizados para preencherem vagas em cargos públicos. A prova é de seleção impessoal e baseada nos resultados obtidos nas provas ou em outras avaliações previstas em edital.

Por que as pessoas não conseguem ser aprovadas em concursos públicos no Brasil?

Então, se é de caráter classificatório, será mesmo que é preciso escolher pelo caminho que inibe o candidato de ter uma boa vida pessoal, sem lazer e cultura, focando apenas nos estudos e na preparação da prova final?

A maior reclamação, sem dúvidas, é essa: “É um caminho longo, árduo e, muitas vezes, sem bons resultados”.

Mentiras sobre Passar em Concursos Públicos

Você acha difícil passar em um concurso público?

Esse é um sentimento comum para a maioria dos participantes, por que, mesmo para os bons alunos, as dificuldades das provas podem estar relacionadas à fatores fora do conteúdo programático.

Essa parte do texto é para todos, mas, principalmente, para você que está começando a estudar agora e ainda não prestou nenhuma prova.

Fórmula Mágica

Não existe fórmula mágica, o que você pode aprender são estratégias e técnicas de como estudar melhor e mais rapidamente, tendo, assim, um melhor aproveitamento das aulas. Mas, tudo vai depender da sua dedicação e empenho.

Só Inteligentes

Não são só os inteligentes que passam em concursos. As pessoas batalhadoras têm uma representação muito grande, o que prova que sucesso tem mais a ver com resiliência, disciplina, fé e foco!

Cartas Marcadas

Há quem diga que os concursos públicos fazem parte de um jogo de Cartas Marcadas, tais quais as Fraudes! E, de fato, isso pode até acontecer, mas os especialistas afirmam sem exceções e não regras.

A exemplo disso está as recentes operações policiais, que tem “amedrontado” os organizadores.

Sorte

Algumas pessoas afirmam que para passar em concursos é preciso sorte. E pode até ser, ao menos, em uma pequena quantidade, mas a maior parte da trajetória, com certeza, é traçada com tentativas, erros, fracassos e, por fim, sucesso.

De fato, cada nomeação esconde uma história de dedicação e coragem. É muito geral e simplista dizer que uma pessoa passou apenas por sorte.

Corrida

Muitos dizem que estudar para concurso é como participar de uma corrida, mas, nem sempre quem larga na frente tem mais chances do que você. É importante a qualidade e não a agilidade.

Por isso, talvez seja mais modesto comparar o concurso com uma montanha, na qual a escalada precisa ter um passo a passo, e o candidato só consegue chegar ao topo se não parar de caminhar, mesmo que seja em um ritmo mais lento.

A orientação, assim pensando, é: estabelecer uma estratégia para chegar ao topo e manter-se caminhando e não deixar se abater pelas pedras que encontrar no caminho.

Concorrentes

O fato é que a maioria não estuda da forma adequada ou desistem da prova. Se você não quer fazer parte desse grupo, conhece o Curso de Memorização, que também ensina como traçar um bom planejamento de estudos.

Aliás, você precisa se concentrar em superar os seus próprios medos e suas angústias, manter-se focado e não perder tempo.

Trabalhar ou Estudar

Quem trabalha tem menos tempo para estudar. Mas, o importante é que, se esse tempo for bem consumido, as possibilidades de nomeação em um concurso vão se tornar exponenciais.

É por isso que tanto falamos das técnicas de memorização e da comparação com a montanha. Você não precisa ficar 24 horas por dia estudando, se conseguir otimizar o seu tempo de estudo de forma adequada.

Se você duvida disso, vá até um órgão público e pergunte quantos servidores só estudavam e quantos estudavam e trabalhavam enquanto se preparavam para o concurso…

Você vai se surpreender, já que o segundo grupo será bem maior.

Anos

O tempo que você vai precisar estudar vai depender única, e exclusivamente, de você. Alguns concurseiros passam de primeira, outros precisam de alguns anos e não existe regra para conseguir ser aprovado em concursos.

O que sabemos é que uma estratégia bem feita torna o estudo mais eficiente e, consequentemente, sua aprovação pode ser mais rápida.

Sofrimento

Aquela imagem de alguma pessoa sofrendo durante os estudos, com a finalidade de passar no concurso, é uma imagem, simplesmente. Se você encarar esse estudo/objetivo como sacrifício, com certeza, ele será.

E, então, dificilmente você vai resistir às pressões e aos desafios que a preparação exige.

Já se você entender que dizer não faz parte do processo, então, isso não será um sacrifício, mas uma escolha. Escolha de Prioridades.

Escolha de Vida. Aliás, isso não vale apenas para os concursos, mas para quase tudo na vida. A sua realidade deve estar atrelado à sua meta para o futuro, o concurso pode ser apenas um desses objetivos.

A Dica? Encontre um ponto de equilíbrio.

Resiliência

Você vai precisar aprender algo novo todos os dias, literalmente. Aprenda, então, com os erros e busco novos trilhos, novos atalhos, novas fórmulas. Persista em encontrar as soluções da apostila e da falta de tempo.

Mude a orientação, se assim for necessário. Pois, independente do seu resultado final, você sempre vai poder ficar com a consciência tranquila que deu o seu melhor.

Por sinal, se você der mesmo o seu melhor, suas chances de ser nomeado vão ao topo! A conclusão é que: realmente, estudar para concurso não é fácil, mas também, vamos combinar, não é tão impossível como as pessoas dizem ser.

Ou seja, não deixe que as mentiras sejam desculpas para você não fazer bem feito e realizar o seu sonho de ser concursado.

Curiosidade – Concursos mais Difíceis do Brasil 

A lista pode se estender a cada dia, mês ou ano, mas para hoje, sem dúvidas, esses são os mais difíceis. Veja!

Magistratura Federal

Esse concurso é muito conhecido pela sobra de vagas! E isto não é uma resultante da falta de preparo de candidatos, mas sim da dificuldade das provas, além das fases, que são muitas.

Para ser um Juiz Federal, o candidato tem que passar por testes objetivos, prova de sentença, prova oral e prova de títulos. Ao menos da área federal, esse concurso é o mais difícil.

Porém, não a toa, os interessados também são muitos, a começar pelo salário inicial, que é de mais de 30 mil reais!

Procurar da República

O salário inicial é o mesmo do Juiz Federal e também por isso é considerado um dos cargos mais atraídos pelos candidatos que tem graduação em direito. O nível da prova é complicado e muito alto e possui as mesmas fases da prova para Juiz Federal.

A diferença é que o reconhecimento é um pouco mais plausível do que o de Juiz, no entanto, também sobram vagas como na Magistratura. Existem candidatos que miram o Concurso de Juiz e acabam por ser aprovados no de Procurador.

Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados e do Senado Federal

A dificuldade da prova e o número de testes é que levou esse cargo ao topo da lista. A concorrência dos candidatos é muito grande porque a maioria deles são altamente qualificados, além disso, tem o diminuto número de vagas (as vezes com 1 ou 2), além de ter uma pequena falta de regularidade em certos certames.

O salário atrai os candidatos: 28 mil reais.

Prático de Navios

Tem um salário tão bom que você pode ficar milionário facilmente em um único ano de trabalho. E aí entram algumas curiosidades: é um concurso altamente desconhecido no Brasil e, além do mais, as provas tem uma dificuldade gigantesca, que envolvem provas orais e práticas, inclusive, em língua estrangeira.

Por ser um concurso público não tão constante, a dificuldade é ainda mais aumentada.

Normalmente, os candidatos que miram esse cargo já estão empregados em outros de nível alto, mesmo porque ele exige uma especificidade grande com matérias e pré-requisitos de cursos voltados à área naval.

O trabalho é dividido em plantão e cada um desses plantões rendem até 10 mil reais, já o salário inicial é de 100 mil reais, aproximadamente.

Cartórios

É um concurso exclusivo para os formados em direito, com matérias bastante específicas. Quem estuda para esse tipo de concurso acaba por não aproveitar as demais matérias, o que faz com que os candidatos sejam altamente qualificados, inclusive, com já atuações como juízes, procuradores ou consultores legislativos.

O salário inicial é muito variável, conforme a função, mas alguns podem chegar à 200 mil reais.

Diplomata

Se formos falar do Poder Executivo Federal, então o Diplomata é o cargo mais difícil de alcançar. O número de vagas é super limitado e tem uma grande cobrança de conteúdos, com diversas fases, o que exige muita preparação dos candidatos.

Com as matérias restritas, os candidatos costumam focar muito nesse cargo, o que dificulta outras aprovações. Mas, para quem conseguir êxito, o salário agrada: 16 mil reais.

Analista de Processo Legislativo da Câmara e do Senado

Os especialistas dizem que metade de Brasília estuda para esses cargos, já a outra metade queria estudar também. Essa ironia deve-se ao fato de o número de candidatos que disputam o concurso ser um dos mais altos e, como consequente, as notas também costumam ser altíssimas.

A maior dificuldade não é acerca do conteúdo em si, mas sim na quantidade de matéria que precisa ser estudada. Se pensarmos nas fases, também veremos que não é tão fácil assim. Existem candidatos que estudam por 5 anos apenas para esse cargo. Afinal, um salário de 22 mil reais parece agradar!

Auditor Federal de Controle Externo do TCU

O concurso é um dos mais disputados da área de controle e fiscalização. Tem muitos candidatos e a maioria de alto nível, sendo que já ocupam cargos como CGU, Tesouro, MPOG, Bacen e outros.

O número de matérias também é alto, assim como o status do órgão, que foi eleito como a Melhor Administração Pública para se trabalhar, em 2014, conforme a Revista Exame.

O salário inicial é de 18 mil reais.

Auditor-Fiscal da Receita Federal

É a menina dos olhos dos concurseiros, ou seja, com muitos candidatos, é muito concorrido e fica entre os mais difíceis do país. As matérias são bem especificas na área de exatas e, por isso, atrai muitos engenheiros, contadores, administradores e economistas.

O nível dos candidatos é alto, assim como a concorrência e o salário inicial também aumenta o interesse, sendo de 17 mil reais.

Com informações do cem, alfa, infomoney

10 razões especiais para fazer concurso público em 2018
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.