5 Técnicas Infalíveis para Estudar Inglês para as Provas de Concursos Públicos

0
172

“O mundo está cada vez mais globalizado e as pessoas têm que dominar os idiomas”, afirma a professora de inglês e francês, Mariana Lima, que comenta que a cobrança costumava aparecer em editas apenas para os cargos de diplomatas e hoje marca presença em quase todos os certames. “Essa é uma tendência, é irreversível, veio para ficar”.

Uma dúvida muito comum dos estudantes é quanto à forma correta de estudar inglês! E, nesse artigo, vamos focar sobre como Estudar Inglês para Concursos, que tem algumas variações quanto ao Estudo Convencional da Língua Estrangeira. Por exemplo, no caso dos Concursos Públicos, não há a exigência de aperfeiçoamento com o Listening (escuta) e nem com o Speaking (fala). No entanto, existe uma cobrança muito rígida como a compreensão de textos e com o vocabulário escrito, que muitas vezes é técnico e formal.

Bom, essas exigências, apesar de serem comuns, variam de acordo com as provas. Por sinal, o mesmo estudo pode ser feito pelos estudantes do ENEM (Ensino Nacional do Ensino Médio), já que as provas mantém o mesmo padrão.

Então, prestem atenção, o foco hoje é estudar Inglês para Concurso, o que, em alguns casos, pode ser diferente do estudo gramatical que você tem feito nos cursinhos de línguas. O propósito é outro porque para os Concursos Públicos o que você precisa aprender é Interpretar os Textos!

Mas, você já parou para se perguntar qual é a importância de estudar inglês?

Vamos responder de forma muito franca. Alguns Concursos Públicos, como o de Auditor-Fiscal da Receita Federal, por exemplo, exige uma nota mínima para cada disciplina, logo, se você mandar muito mal no inglês, estará fora de todo o processo mesmo que tenha gabaritado todas as outras disciplinas. Ah, e antes que você duvide, isso costuma acontecer com frequência.

“Os candidatos que não dominam inglês, ainda que não sejam eliminados, ficam em desvantagem em relação aos demais candidatos que têm conhecimento de língua estrangeira”, diz Simoni Aparecida Oliveira, do Recursos Humanos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento).

Como já falamos, mesmo que aluno tenha o conhecimento básico do inglês, aquele aprendido na escola, ele precisa reforçar tais ensinamentos porque o inglês exigido em Concursos Públicos é diferente do acadêmico ou escolar. Claro que você não precisará ter um conhecimento profundo da língua estrangeira, porém, vai precisar saber o mínimo dos tópicos gramaticais relevantes da língua inglesa.

Como Interpretar um Texto em Inglês

A 1ª Dica para Interpretar um texto da forma correta é entendê-lo, ou seja, isso será possível se você compreender os vocabulários. Então, mais importante do que estar em constante aprendizado de novas palavras é conseguir memorizar aquelas que você já sabe. Saiba que é possível fazer isso usando algumas técnicas super poderosas que vão te facilitar, e muito, a compreensão do texto. Listamos algumas!

Reprodução: Google

1 – True Friends ou Cognatos Verdadeiros

Os Cognatos Verdadeiros são palavras da língua inglesa que tem significados similares com as palavras da língua portuguesa. Ou seja, elas realmente são o que parecem ser. Veja um exemplo!

Original: “Is there anyone out there who thinks that we are confused about who the enemies are”? Obama continues. “If the implication is that those o fus up here… aren’t taking the fight seriously, that’d come as a surprise to those who’ve spent the last 7.5 yers” fighting Isis. (The Guardian).

Tradução: “Existe alguém lá fora que pensa que estamos confusos sobre quem são os inimigos”? continua Obama. “Se a implicação é que aqueles de nós aqui em cima… não estão levando a luta seriamente, isso tem sido como uma surpresa para aqueles que têm passado os últimos 7 anos e meio lutando” contra o Isis.

Logo, é notável que as palavras se assemelham, assim, destacamos as principais no texto acima:

  • Confused (Confuso),
  • Enemies (Inimigos),
  • Continues (Continua),
  • Implication (Implicação),
  • Seriously (Seriamente),
  • Surprise (Surpresa),
  • Isis (Isis).

2 – Falsos Cognatos

O lado ruim dessa conversa é que os Cognatos Verdadeiros são minoria quando comparado aos Falsos Cognatos, que são exatamente o contrário: palavras que parecem aquilo que não são, de fato. Os Falses Friends, como também são chamados, são ótimos para cair em Provas de Concursos Públicos e são reconhecidos nacionalmente como “Pegadinhas”.

É aqui, vale ressaltar, que muitos candidatos tropeçam. Então, trouxemos também alguns exemplos:

  • He pretends to be a doctor.
  • Ele finge que é médico.

Logo, Pretend não significa pretender e sim fingir. Pretender, no inglês, é Intend!

  • A library is not a luxury but one of the necessities of life.
  • Uma biblioteca não é um luxo, mas sim uma das necessidades da vida.

Logo, Library não significa livraria e sim biblioteca. Livraria, no inglês, é bookstore.

Atenção: Falsos e Verdadeiros Cognatos

Algumas palavras podem ser verdadeiras em alguns contextos, mas falsas em outro. Para exemplificar isso vamos usar a palavra Officer, que pode significar Oficial, Funcionário, Fiscal, Policial, Presidente ou Diretor. Então, veja como ela ficaria nos seguintes contextos:

Fiscal

  • A customs officer had been tipped off regarding his activity.
  • Um fiscal alfandegário foi alertado a respeito da atividade dele.

Policial

  • I stopped and asked the two officers if there was a problem.
  • Parei e perguntei aos dois policiais se havia algum problema.

Oficial

  • He was an army officer.
  • Ele era um oficial do exército.

Diretor

  • Everyone believes that CEOs (Chief Executive Officer) can do whatever they want.
  • Todos pensam que os Diretores-Presidentes podem fazer tudo que querem.
Reprodução: Google

3 – Palavras Conhecidas

Aqui é possível observar a influência entre as línguas, com o uso de palavras conhecidas e que vemos em vários lugares. Na verdade, os mais teóricos gostam de chama de estrangeirismo. E embora não sejam cognatos, essa é uma técnica que pode ser usada no auxílio da interpretação do texto, afinal, a maior parte dessas palavras são conhecidas e dita no colégio, na televisão, em músicas ou em jogos.

Fizemos uma pequena listagem, confira:

  • Office-boy (rapaz de recados),
  • Shopping-Center (Centro de Compras),
  • Marketing (Compra e Venda),
  • Break (Pausa),
  • Travel (Viagem),
  • Ice-Cream (Sorvete),
  • Lady (Senhora),
  • Outdoor (Cartaz de Rua),
  • Work (Trabalho),
  • Drink (Bebida),
  • Coffee (Café),
  • UpGrade (Melhora),
  • GreenCard (Passe Livre).

Memorização Ajuda (e muito)

Bem, visto os cognatos e as palavras conhecidas, ainda ficarão muitas outras que você ainda não conhece o significado, não é? Então, a dica é ler e escrever com frequência. Quando mais você fizer isso, mas fácil ficará de memorizar essas palavras e os seus significados. Agora, se, mesmo assim, você não consegue memorizar nada do que estuda, então, tem uma super dica para você:

Curso de Memorização do Renato Alves

Sobre o uso das técnicas de memorização em provas, é importante saber que ter o significado das palavras é fundamental, mas não é tudo. O lado bom é que, normalmente, termos se repetem e quanto mais você ler e fazer as provas anteriores, maior vocabulário terá, no entanto, isso acontecerá gradativamente e não de uma hora para outra.

Na hora de fazer a prova também há uma série de dicas que podem facilitar a sua vida. Separamos algumas que valem a pena ser analisadas.

  • Skimming – é uma leitura rápida do texto apenas para ter uma noção geral do tema.
  • Scanning – é a ação de voltar os olhos rapidamente para o texto buscando algumas palavras chaves, como, por exemplo, nomes, datas ou fatos.
  • Questões – ler 1º as questões pode ser uma boa opção para encontrar mais facilmente a resposta.
  • Parágrafos – a ideia todo o contexto apareça logo nos primeiros parágrafos. Lembrando ainda que algumas palavras-chaves poderão ser encontradas, tornando-se verdadeiras pistas, tais como the most (o mais), worst (o pior), because (porque), but (mas), entre outros.

Ah, mas não se preocupe também tem outras técnicas de conhecer palavras novas e mandar bem no inglês naquela sua prova que é tão importante. Vamos continuar com as técnicas, continue lendo.

4 – Contexto e Intuição

Quando surgir uma palavra que não está enquadrada em nenhum dos tópicos acima, e que, obviamente, você não saiba a tradução, vale a tentativa de tentar deduzir o significado dela através do contexto ou da intuição. Isso, claro, tem que estar alinhado com o seu conhecimento já acumulado durante os estudos.

Para isso, vale algumas receitas! Saiba que, normalmente, as orações em inglês são formadas da seguinte forma: sujeito + verbo + complemento. Logo, você pode identificar cada elemento da oração, principalmente esses, que são ditos essenciais. Com a prática, essa técnica se tornará indispensável.

5 – Banca Examinadora

Além de estudar com especificidade essa matéria, o estudante tem que estar atento também ao perfil da banca examinadora, que vai, no decorrer do estudo, proporcionar confiança ao aluno. Essa é uma técnica muito eficiente que vai alavancar o aprendizado do estudante e colaborar na fixação do conteúdo.

Os motivos que comprovam isso são vários, entre eles, o fato de que quando o aluno estuda a teoria e logo após resolve as questões das provas anteriores, ele verifica o que errou e tem mais facilidade para sanar as dificuldades, revendo, assim, pontos específicos. Além disso, a resolução das questões é uma maneira de fazer a revisão do conteúdo, lembrando ainda que os concursos costumam ser muito extenso.

Focado na matéria de inglês, os textos das provas anteriores costumam apresentar conteúdos relacionados, que geralmente são retirados de publicações internacionais. Por isso, é importante se acostumar com essas questões.

“O candidato deve ter em mente que o inglês de concurso é diferente. O objetivo das instituições é selecionar candidatos que saibam ler uma revista especializada, por exemplo. O nível exigido é altíssimo, mesmo para nível técnico. Podemos dizer que a Esaf (organizadora) gosta de textos do jornal Washington Post e a Cespe, do Economy. O conselho é estudar provas antigas”, afirma a jornalista Rebeca Kramer.

As 10 Melhores Dicas para Você Gabaritar as Provas do Cespe/UnB. (Bônus: Entenda também a PEC 241)

“São compreensões de textos densas. Não adianta ler apenas por ler. É preciso identificar o que tem em cada parágrafo, ter o mínimo de conhecimento em figura de linguagem, sinônimos, antônimos e expressões”, diz.

Inglês em Concursos Públicos

“O inglês de conversa e de viagem não adianta para quem vai prestar uma prova de concurso. Ver filme sem a legenda também não é se preparar para um concurso, apesar de muitos acharem que isso basta”, diz Mariana Lima, do Instituto de Desenvolvimento e Estudos do Governo (Ideg).

A especialista afirmou isso ao comentar sobre a inclusão do idioma em vários concursos públicos nacionais. Aliás, atualmente, quase todas as provas contém a língua estrangeira, assim como Enem. Para se ter uma ideia, o Concurso do Ministério e Comércio do Exterior (Mdic) desde 2012 exige não apenas a língua inglesa, como também a espanhola e a francesa.

Já o Concurso do BNDES tem aumentado, gradativamente, o peso da língua estrangeira, sendo que em 2001 os pontos dessas questões valem apenas 5 no total e hoje valem mais do que 10.

Como dito, até mesmo para os Concursos do Governo e não apenas particular, a exigência tem crescido. “Já que a exigência do nível de inglês aumentou para todos os outros funcionários, é razoável que a cobrança seja maior na área da diplomacia”.

Opinião que é compartilhada pele Alexandre Lopes, do Curso Maxx, que diz que “há mais concursos sendo feitos por agências reguladoras também, que têm cargos técnicos que exigem domínio de idiomas, assim como mais incidência de seleções para estatais”.

“O domínio da língua inglesa, mais do que um diferencial, é uma exigência no mercado de trabalho, principalmente quando nós consideramos cargos mais altos dentro da hierarquia da empresa”, afirma Sérgio Monteiro, gerente da escola de inglês CNA.

Em 2014, o Banco do Brasil também voltou a cobrar a língua inglesa, que não era exigida desde 2003. A mudança passou a fazer parte de uma nova configuração e a prova passou a ter conhecimentos básicos, língua portuguesa, matemática, raciocínio lógico, além dos conhecimentos específicos, com as questões de inglês e conhecimentos bancários, entre outros.

3 Maneiras Infalíveis para ser Aprovado no Concurso do Banco do Brasil em 2017

“Independente se o funcionário for atuar no Brasil ou no Exterior, o conhecimento de inglês é necessário dado a atuação global do Banco do Brasil”, afirmou, na época, Carlos Netto, diretor de gestão de pessoas. Para o executivo, a cobrança do idioma é uma forma de o banco sinalizar o que espera dos candidatos.

Cronograma de Estudo voltado para o Inglês

Quando for prestar um Concurso Público, dias antes da prova, o candidato terá acesso ao edital, lá estarão todas as informações condizentes com os temas e as pontuações da prova. Nessa hora o candidato precisa estar muito atento à leitura e observar, entre outras coisas, a exigência de um segundo idioma, por exemplo. Em alguns casos há também a exigência da fluência oral, mas isso é muito especifico.

O importante é entender que a memorização ajuda no entendimento e na compreensão dos textos em inglês, mas isso não significa que você tenha que decorar as palavras e as frases. Então, supondo que você vá fazer apenas a prova teórica escrita, segue um pequeno cronograma que vai te ajudar a estudar com mais eficácia.

O seu cronograma de estudo para um idioma especifico requer um período exclusivo. Isso porque ele é como todas as outras matérias e necessita de uma tempo de, no mínimo, 2 vezes por semana, com revisões periódicas, o que vai estimular, inclusive, a memória e o aprimoramento do vocabulário.

Saiba quais são os Concursos Públicos Previstos para 2017 e os que já estão com inscrições abertas

Depois, é preciso muito exercício e isso pode ser feito de maneiras menos sérias. Na sua caminhada pela manhã, copie músicas estrangeiras e tente entender o enredo, a história e a narração. Mais do que isso, salve no seu aparelho discursos ou mesmo áudio-aulas para entender o significado das palavras. Hoje isso é possível e muito fácil de ser feito. Existem aplicativos que fazem esse processo gratuitamente.

Quando você insere o inglês no seu dia a dia, você se acostuma com ele. Interiorizá-lo é ótimo para o seu aprendizado e ajuda a ampliar o horizonte do conhecimento. Lógico, você aumenta o vocabulário e melhora a pronúncia.

Ainda sobre esse tópico, vale falar também dos filmes. Todo estudante que se preze sabe que é necessário um tempo para o lazer, seja aos domingos, ou seja, em dias mais específicos. Dentro desse lazer, em muitos casos, está o cinema. E, quando assim for, precisa os filmes legendados, o que vai te ajudar e muito na sua fluência. Esse tópico é essencialmente importante porque pode ser feito de acordo com outra atividade, é o que os especialistas chama de otimização de tempo.

Por fim, faça testes e simulados! Isso é essencialmente importante e vai gerar muito resultado positivo! Para que esses testes sejam realmente efetivos, tenha um material de estudo adequado, procure em fontes oficiais e coloque tudo no seu cronograma. Verifique a banca examinadora, a instituição que abriu o Concurso e a estrutura de avaliação, tudo é importante!

Como Aprender Inglês mais Rápido

Se você é um daqueles que candidatos que “comeu bronha” e não estudou tudo e como deveria durante o período que podia e agora está prestes a prestar a prova final, saiba que existem alguns métodos que podem te ajudar a aprender Inglês mais Rápido. As dicas são recomendadas pela Rosangela Souza, que é sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto.

Ela comenta que independente do método utilizado, da escola ou do professor que estão a frente do tema, é possível acelerar o aprendizado com alguns métodos. Um desses conceitos implica sobre aprender fazendo perguntas. “Exercitar a capacidade de fazer perguntas é uma ótima técnica para aprender, pois você sai da posição de ouvinte e interage com o conteúdo”.

Então, pensando nisso, o ideal é que, mesmo em estudos à distância, o candidato interrogue sobre aquilo que tem dúvidas. Essa dúvida pode ser compartilhada na internet ou com um amigo que “manja” muito da língua estrangeira.

Outro ponto é que aprendemos quando enxergamos significado. “O seu cérebro precisa encontrar um porquê para dar comandos à memória e criar o hábito de aprender. Então, responda para você mesmo, com sinceridade: por que você estuda inglês”?

Segundo a especialista, é fácil encontrar desculpas para não investir em inglês, tais como a falta de tempo e dinheiro. Porém, “se a sua empresa disser que você precisa aprender inglês em 6 meses para tornar-se um líder da companhia”, então, você arrumará tempo. “Estabeleça metas, identifique como, onde e porquês”, ela diz.

Reprodução: Google

O aprofundamento também é essencial para a retenção do conteúdo porque vai além do que é superficial e, logo, a informação não passará esquecida ao final do dia. “Quando aprender uma nova palavra, crie uma pequena história, integre o aprendizado com outros contextos. Aplique a informação. Uma ideia é ensinar outra pessoa sobre o que acabou de aprender”, recomenda Rosangela.

Na Prática, o que todo aluno iniciante de inglês deve saber?

As informações desse tópico estão no livro “Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulário” a começar pelos principais modal verbs (can, could, may, must, will, should). Os delexicalized verbs também são essenciais e primordiais. Ah, esse nome é uma definição para aqueles verbos que tem vários significados, como falamos acima, com o exemplo de “Officer”.

Pesquisas as palavras mais buscadas e usadas nos concursos públicos e de acordo com a língua inglesa. Se você vai prestar alguma prova que tenha a disciplina de Inglês no edital, então, precisa saber o significado e o uso de cada uma delas. Confira:

Just, Whatever, Bit, Actually, Really, Quite, Slightly, Basically, Pretty, Clearly, Honesly,m Unfortunately. Expressões como You Know, I Mean e palavras como Right, Well, So, Good e Anyway são usadas como discourse markers com a finalidade organizar a fala.

Substantivos básicos também são importantes, além de palavras como That, This, Now, Then, Ago, Away, Front, Side, Back, Opposite Of, Here, There, Away, Back, Go, Bring. E adjetivos como Hot, Cold, Good, Bad, Tall, Short, Beautiful, Ugly, Nice, Sad, Happy, Great, Fine, Lovely, entre outras como Terrible, Awful, Horrible, Brilliant, Excelent. Todos usados como Collocations.

Da parte dos advérbios, atente-se à Today, Yesterday, Normally, Basically, Never, Rarely, Seldom, Suddenly, Basically e finalmente, os verbos: run, walk, give, leave, stop, help, feel, enjoy, accept, say, read, catch, entre outros.

“Um estudo do vocabulário específico da área, como as expressões idiomáticas e os jargões, seria uma boa dica”, afirma Richard Betts, do Plan Idiomas.

Com informações do Estrategia Concursos e Exame

5 Técnicas Infalíveis para Estudar Inglês para as Provas de Concursos Públicos
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA