7 Dicas Matadoras para Estudar “Direito” e passar nos Concursos do TJ e TRE

0
1066

A matéria de “Direito” é cobrada em muitos concursos públicos, tais como os policiais, INSS, administrativos, do Poder Judiciário e, inclusive, obviamente, no Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Porém, o que acontece é que a maior parte dos estudantes tem dificuldades nesse assunto, isso porque a matéria nunca foi ensinada nos ensinos fundamental e médio. O lado bom disso tudo é que é possível mandar bem…

Leia e descubra como!

Atualmente, a área jurídica é muito requerida pelos aspirantes em serem Servidores Públicos, porque, como é comum dos concursos públicos, oferecem altos salários e estabilidade profissional. Nessa área especifica, além do mais, também é uma garantia de status garantido!

Chega de ter Medo de Dar Branco na Hora de Prova! Entenda como funciona a Curva do Esquecimento!

Preparamos esse material para você conseguir ultrapassar essa barreira das disciplinas jurídicas, encarando qualquer prova que tenha os conhecimentos de direitos no seu conteúdo programático. E, sem mais delongas, a 1ª dica é buscar uma Introdução ao Estudo do Direito (IED) – Na Saraiva, o livro do autor Paulo Nader custa 80 reais na 38ª edição, de 2016!

1 – Introdução ao Estudo do Direito: É o básico, afinal, ninguém começa a estudar matemática pela matéria de Geometria Especial, por exemplo. Então, é muito simples, não perca tempo estudando algo do Direito que seja muito aprofundado sem antes estudar o básico, a introdução.

Essa essência do Direito, nas faculdades de Direito, é chamada de Introdução ao Estudo do Direito, que serve justamente para tornar os estudantes a par da disciplina.

2 – Traduza o Vocabulário Jurídico: Essa é uma das áreas que mais tem vocabulários complexos e termos técnicos, dos quais não estamos acostumados. Isso sem contar ainda com as expressões em Latim, como “Habeas Corpus”, por exemplo. E, como enfrentar isso? Exatamente como fazemos quando estamos estudando outra linguagem, como inglês, usando o dicionário!

Sabendo usar, de forma eficiente, a tecnologia, você pode baixar aplicativos que tem a função de traduzir esses termos, eles são os dicionários jurídicos. Por sinal, o próprio site do Supremo Tribunal Federal indica vários sites que disponibilizam esse serviço de maneira gratuita.

3 – Saber Leis: É preciso, mas não é tudo. Muitos navegantes do Direito sabem tudo sobre a legislação que foi descrita no edital, porém, não fazem o acompanhamento correto com livros ou professores que ensinam o sentido real e prático de tal lei. Cada uma dessas normas tem interpretações distintas e peculiares, portanto, nem tudo que parece é. É muito perigoso interpretar uma lei sem conhecimento prévio e didático, o que torna grande o risco do erro.

A dica, nesse caso, é acompanhar os doutrinadores, também chamados de interpretadores de lei, que atuam diretamente na área de Concurso Público.

4 – Código Anotado e Código Comentado: É preciso saber a diferença entre eles para não marcar bobeira! A Legislação Anotada é aquela que tem apenas notas de referencia ao próprio código, ou seja, faz referencia à um artigo mencionado. Já a Comentada, contém, além das notas de referencia, a interpretação de cada artigo, que pode, inclusive, ser compilado de entendimentos de vários autores.

Visto isso, adivinha qual código você deve escolher? Os Comentados, óbvio. Afinal, ela vai lhe entregar um formulário completo com as possíveis interpretações.

5 – Onde está a legislação: Toda a legislação está disponível na internet e, teoricamente, você não vai precisar fazer aquela pilha de livros sobre as leis e os direitos. Basta que saiba consultar com precisão acima do que foi pedido no seu edital. Selecionamos algumas indicações para facilitar a sua busca!

  • Legislação Internacional: pode ser encontrada no site do Ministério das Relações Exteriores e no site de legislação do Governo Federal,
  • Legislação Federal: Está no Portal da Legislação do Governo Federal,
  • Legislação Estadual: Pode ser encontrada em site de governos estaduais e assembleias legislativas (ou mesmo em órgãos que estão realizando o concurso),
  • Legislação Municipal: Está em sites de Câmaras de Vereadores e de Prefeituras (ou órgão que está realizando o concurso).

6 – O famoso hábito de resolver Questões Anteriores: É a lei dos estudantes e fica ainda mais acentuada quando o assunto é Direito. Afinal de contas, só a prática de questões pode lhe ajudar a se tornar hábil e especialista nesse assunto, sendo que quanto mais praticar, mais chances você tem de mandar bem.

Reprodução: PixaBay

7 – Especialistas: Ele pode ser um juiz, promotor, policial, estudante, bacharel, professor, advogado ou defensor… que exerça a função em uma das atividades do Direito. Eles, por estarem atuantes, podem lhe tirar algumas dúvidas mais facilmente, principalmente, quanto às interpretações.

Por onde começar a Estudar Direito?

Selecionamos algumas fontes de informações que podem ser ponto de partido para você iniciar seus estudos nessa área. Leia:

  • Saber Direito: É um programa Saber Direito, da TV Justiça. Possui conteúdo jurídico focado para concurseiros e se você tem que estudar sobre isso, pode encontrar aqui uma boa oportunidade já que tem especialistas que tratam do tema de formas simples e gratuitas.
  • Artigo 5º: Também é da TV Justiça, mas é direcionado ao artigo Constitucional mais sobra nas provas dos concursos, o Artigo 5º, que trata de Direitos e Garantias Fundamentais.
  • Canal STJ: O Superior Tribunal de Justiça (STJ) publica vários vídeos de muito interesse para os estudantes de Direito, principalmente no que fere à discussões atuais e modernas das leis e medidas. Todo esse material está no Canal do STJ, no Youtube.
  • Canal STF: O Supremo Tribunal Federal (STF) também está no Youtube e com conteúdo exclusivo e relevante para concurseiros.
  • Prova Final: O Prova Final é outro programa produzido pela TV Justiça em parceria com a LFG (empresa de concursos), que disponibiliza tudo, de forma gratuita, em um canal na internet.

Descubra Como Estudar as áreas de Atualidades, Raciocínio Lógico, Direito Administrativo e Informática

Escolhemos essas 4 especialidades que são de áreas diferentes, mas muito comuns na maioria das provas dos concursos nacionais. O Raciocínio Lógico e Informática, por exemplo, normalmente, envolve questões matemáticas e é considerada básica. Assim como Atualidades, que faz intertextualidades em todos os concursos. Já o Direito Administrativo é mais específico para alguns cargos. Leia na Íntegra!

Como Ser Aprovado no Tribunal de Justiça

Os Tribunais de Justiça são estruturas que foram o Judiciário Estadual e nele estão os Juízes de Primeiro Grau, que decidem sobre determinadas causas. Caso a decisão não seja satisfatória, então, é possível recorrer aos desembargadores, que também fazem parte da Justiça Estadual, mas não em segunda instância.

Os recursos também podem ser dirigidos aos Tribunais Federais: Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STJ). Sendo que os Juízes dos Tribunais de Justiça são responsáveis por processos cíveis, criminais, administrativos, da infância e juventude, meio ambiente, etc.

Nos Tribunais de Justiça existem 4 cargos, todos muitos requisitados, principalmente, devido aos salários e ao status que eles proporcionam. Veja alguns detalhes sobre eles!

Desembargador: É o nome dado a cada um dos magistrados integrantes dos Tribunais de Justiça dos Estados. Eles julgam os recursos às sentenças proferidas pelos juízes de Primeira Instância. Assim, os juízes podem ser promovidos à desembargadores por antiguidade ou merecimento. Também podem ser tornar desembargadores, os membros egressos do Ministério Público e da Classe de Advogados.

Juiz de Direito: Quando entram com um processo na Justiça Comum, os cidadãos terão suas causas julgadas pelo Juiz de Direito. Ele é quem dará a primeira decisão do processo. Assim como os desembargadores, eles atuam para a efetivação e o cumprimento das leis, seguindo a Constituição Federal.

Analista ou Técnico Judiciário: Essa é uma função muito variante e vai de acordo com o Estado do País, dos quais, inclusive, podem receber várias nomeações. De maneira geral, o profissional é responsável por desenvolver atividades como digitação, acompanhamento de andamento de feitos, elaboração de relatórios, indexação e atendimento ao público, entre outras atividades.

Qual a Melhor Técnica de Memorização para ser Aprovado em um Concurso?

Auxiliares Técnicos: São todos os profissionais que atuam nos tribunais nas mais diversas áreas para dar suporte à atuação dos juízes e ao funcionamento do Tribunal. Eles, normalmente, possuem formações em áreas como psicologia, informática, administração e outros.

O que Estudar para um Concurso TJ

Historicamente, existem histórias que mostram que alguns candidatos que começam a carreira em um cargo técnico podem chegar à juízes, fazendo sempre novos concursos. Esse é um caminho interessante para quem tem aptidão para atuar no Campo Jurídico.

E agora, você deve estar querendo saber o que costuma cair nos Concursos dos Tribunais de Justiça, não é? Bom, nos cargos de Analista e Técnico Judiciário, as disciplinas que caem em, pelo menos, 90% dos concursos são as seguintes: Língua Portuguesa, Noções de Informática, Atualidades, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional e Direito Administrativo.

Outras matérias também costumam cair, mas são mais especificas para alguns concursos: Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Civil, Direito Processual Civil e Legislação Estadual.

Sobre os últimos Concursos TJ, temos uma listagem com informações importantes, tais como a banca organizadora, além do link. Confira:

  • O Tribunal de Justiça do Distrito Federal é organizado pela Cespe/UnB e o último concurso realizado foi em outubro de 2015. Veja o edital.
  • O Tribunal de Justiça da Bahia é organizado pela FGV e o último concurso foi em Outubro de 2014. Veja o edital.
  • O Tribunal de Justiça de Goiás também é organizado pela FGV e o último concurso aconteceu em agosto de 2014. Veja o edital.
  • O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro também é da FGV e teve o último concurso em setembro de 2014. Veja o edital.
  • O Tribunal de Justiça de São Paulo é organizado pela Vunesp e teve último concurso em 2015. Veja o edital.

As 10 Melhores Dicas para Você Gabaritar as Provas do Cespe/UnB

O Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) é integrante da Fundação Universidade de Brasília (FUB) e tem a missão de promover concursos públicos em todo território nacional, com provas do Programa de Avaliação Seriada (PAS) ou mesmo provas do vestibular da prova universidade.

Mas, foi através de concursos como da AGU (Advocacia Geral da União), Banco do Brasil, Petrobras, Conselho Federal de Psicologia, Câmara dos Deputados, INSS e tantos outros que a banca ficou famosa. Ah, e ficou famosa por ser muito exigente, vamos combinar! Então, para ajudar você, que muito estuda, separamos algumas dicas super valiosas para conseguir prestar essas provas com mais segurança e habilidade. Leia na Íntegra!

Como Ser Aprovado no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo

Esse concurso é, sem dúvidas, um dos mais buscados no estado de São Paulo. Antes, é preciso entender que a Justiça Eleitoral é um órgão de jurisdição especializada do Poder Judiciário que cuida da organização o processo eleitoral, tais como alistamento eleitoral, votação, apuração de votos, etc. Assim, os profissionais que atuam nessa área são responsáveis por garantir a soberania popular e à cidadania.

Agora, vamos te manter (muito bem) informado. Porque, existem boatos de que esse concurso não vai acontecer, mas vai. Afinal, no dia 21 de julho de 2016, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado publicou um contrato com a Fundação Carlos Chagas (FCC), garantindo a realização do concurso para os cargos de Técnico Judiciário e Analisa Judiciário.

Reprodução: PixaBay

Vamos falar um pouco mais sobre essas oportunidades:

Analista Judiciário da Área Judiciária: Executa atividades privativas de bacharel em Direito relacionadas com processamento de feitos e apoio a julgamentos. O candidato precisa ter diploma de conclusão de graduação em nível superior em Direito, expedido pelo Ministério da Educação.

Analista Judiciário da Área Administrativa: Executa atividades relacionadas com as funções administrativas de recursos humanos, materiais e patrimoniais, orçamentários e financeiros, controle interno e desenvolvimento, além do suporte técnico. O candidato precisa ter diploma em qualquer área de nível superior, exceto licenciatura curta.

Analista Judiciário da Área Apoio Especializado de Análises de Sistemas: É responsável por realizar atividades de nível superior relacionadas com desenvolvimento, implantação e manutenção dos sistemas informatizados. É preciso ter diploma de graduação na área de informática ou qualquer área, desde que acrescido de uma especialização em informática.

Vale a pena estudar para concurso público? 7 Verdades sobre eles

Analista Judiciário da Área Apoio Especializado de Assistência Social: Executar atividades de nível superior relacionadas com a assistência social. O candidato precisa ter diploma de conclusão em curso superior em Assistência Social e registro profissional no Conselho Regional da categoria.

Analista Judiciário da Área Apoio Especializado em Contabilidade: O profissional executa atividades de nível superior relacionadas com a área contábil e auditoria. É preciso ter diploma em nível superior de Ciências Contábeis e registro no Conselho Regional da Categoria.

Analista Judiciário da Área Apoio Especializado de Medicina (Clínica Geral): Realiza atividades de nível superior relacionadas com a assistência médica preventiva e curativa, conforme a especialidade. É preciso diploma ou Certificado do Curso Superior de Medicina, registro profissional no Conselho Regional e 2 anos de experiência comprovada em Clínica Médica.

Analista Judiciário da Área Apoio Especializado em Psicologia: O profissional realizará atividades de nível superior em assistência psicológica, nos diversos ramos da profissão. O candidato precisa ter diploma em nível superior em Psicologia e registro profissional.

Analista Judiciário da Área Apoio Especializado em Relações Públicas: Vai realizar atividades relacionadas com a programação, organização e execução de eventos, solenidades e comemorações oficiais, bem como a comunicação institucional. É preciso comprovar escolaridade de graduação em comunicação social ou Relações Públicas e registro.

Técnico Judiciário da Área Administrativa: Vai executar tarefas de nível intermediário com as funções de administração de recursos humanos, materiais, patrimônios, orçamentos, controle, desenvolvimento e outros. É preciso ter certificado de conclusão de curso de nível médio ou curso técnico equivalente.

Técnico Judiciário da Área Apoio Especializado em Artes Gráficas: O profissional vai executar atividades de nível intermediário com produção gráfica de documentos. É preciso certificado de conclusão de ensino médio ou curso técnico equivalente, além do certificado em curso técnico em artes gráficos com no mínimo 200 horas-aulas. Também é preciso ter experiência profissional de 2 anos em impressão Off-set e impressão digital.

Técnico Judiciário da Área Apoio Especializado em Enfermagem: O profissional vai executar atividades de nível intermediário com serviços de enfermagem. É preciso ter certificado de conclusão de ensino médio ou curso técnico de enfermagem e registro profissional.

As 7 Melhores Dicas de Memorização para Ser Aprovado Ainda Esse Ano

Técnico Judiciário da Área Apoio Especializado em Operações de Computadores: Executar atividades de nível intermediário com operação e manutenção de equipamentos de informática. É preciso certificado do Ensino Médio ou curso técnico equivalente e certificado de habilitação em cursos de operação de computadores, com carga de 120 horas-aula.

Técnico Judiciário da Área Apoio Especializado em Programação de Sistemas: Será responsável por atividades de nível intermediário relacionado com a programação de sistemas informatizados. É preciso certificado do ensino médio ou curso técnico equivalente, além de certificado de programação de sistemas com carga de 120 horas-aula.

O que estudar para o Concurso do TRE

De forma geral, as provas exigem conhecimento em conhecimentos gerais, e, normalmente, tem 40 questões objetivas com peso 3; e outras 20 questões com peso 1. Além da redação, que tem peso 2.

As questões de Conhecimentos Gerais estão presentes nos temas de Gramática e interpretação de texto da Língua Portuguesa, Noções de Informática, Normas Aplicáveis aos Servidores Públicos Federais, Regimento Interno do TER-SP, Código de Ética do TER-SP.

Já quanto aos Conhecimentos Específicos, vai depender de cada cargo, mas no geral, costuma cair Direito Constitucional, Direito Eleitoral, Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Penal, Administração Pública, Administração Financeira, entre outras.

Veja o último edital, do site FCC.

Por fim, a dica é ficar muito atento à redação, que não deve ser ignorada, já que tem peso 2. Além de ser um quesito de desempate.

Agora que você já sabe como mandar bem nas provas de Direito, confira 5 verdades pouco ditas por quem passa em um Concurso Público!

5 Verdades Pouco Ditas sobre Concursos Públicos

O tempo de dedicação e o longo período de estudo costumam serem informações mais passadas adiante quando um estudante passa no famoso Concurso Público. Mas, o que será que eles não contam?

1 – Ser Multitarefa… Não é bom! A informação vale, principalmente, se você levar em consideração a interação com a internet e com os celulares, porque, na real, isso pode tirar a sua atenção. Trabalhar com várias fontes de informação ao mesmo tempo pode prejudicar seus estudos. Ansiedade e Medo são sentimentos que tem tudo a ver com o fato de você ser multitarefa, então, na hora do estudo, foque no estudo, simples assim.

2 – O propósito… É mais importante do que o planejamento! Você pode ter o melhor cronograma do mundo, mas se não tiver a motivação suficiente nada vai fazer sentido. A determinação para alcançar o objetivo é fundamental e necessário. Se o seu sonho é o Concurso Público, lute por ele. E faça acontecer. Se você sabe que precisa estudar, estude!

3 – Conhecimento… Não é tudo! Além do conhecimento teórico, é preciso trabalhar a questão emocional. E, inclusive, entender as técnicas de memorização que são importantes para a fixação de conteúdo, o que evita que você tenha o famoso branco.

Renato Alves é um senhor do assunto! Já foi requisitado pelos grandes programas da televisão brasileira, tal qual o Fantástico, da Rede Globo. Afinal, ele é campeão da memória no Brasil. O fato é que o Renato Criou um Método para Memorizar Conteúdo. Se você tem interesse em otimizar o tempo e o estudo, confira.

4 – O Dinheiro… Não é tudo, também! Isso vale para dizer que os concursos públicos, entre outros motivos, são muito requeridos pelos altos salários, porém, antes, você precisa entender que o dinheiro não é tudo. Se você quer uma melhor qualidade de vida, então, essa pode ser uma boa alternativa. Mas, se você não sabe controlar bem as finanças, pode ser que o seu problema continue persistindo mesmo após a nomeação.

5 – Por fim, é preciso entender que você é humano! Você vai sentir vontade de desistir, de chorar, sentir medo, tristeza e preguiça. Afinal, você é humano. Mas, se souber usar esses sentimentos de forma positiva, poderá ter um bom resultado. Se não sabe como fazer isso, aprenda com o filme “DIVERTIDA MENTE”.

Vai prestar uma Prova Muito Difícil? 5 Lições Fundamentais do filme Divertida Mente!

Com informações do Segredo de Concurso

7 Dicas Matadoras para Estudar “Direito” e passar nos Concursos do TJ e TRE
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.