As 23 Dúvidas Mais Frequentes e Simples sobre os Concursos Públicos

0
23

Você já está cansado de ouvir falar que os Concursos Públicos proporcionam uma considerável estabilidade profissional, além de ter aquilo que é considerado um bom salário.

Logo, os Servidores Públicos também saem na frente de outros trabalhadores privados com referência à bonificações e benefícios.

Mas, você já parou para se perguntar o que, de fato, são os Concursos Públicos?

  • Quem realiza os concursos públicos?
  • Quais são as etapas de elaboração?
  • Por Que esses concursos são boas alternativas para épocas de crise, como a que estamos enfrentando?

São perguntas simples, é verdade. Mas, frequentes.

Elaboramos este artigo com esse único objetivo – de respondê-las e clarear os seus pensamentos sobre Estudar para Concurso Público, que, vamos combinar, é um trabalho árduo, doloroso e que requer muito comprometimento.

Estudar para Concursos não é simplesmente um lazer que deve ser feito entre um trabalho e outro. Muito menos uma brincadeira para ser levado à sério apenas nos feriados prolongados.

Esse tipo de estudo é uma opção de escolha, de vida e que interfere em todo cotidiano do estudante. Portanto, é bom você conhecer um pouco mais sobre eles antes de optar por essa vida baseada em livros, números e concentração.

Para darmos qualidade ao nosso texto, buscamos as explicações nas palavras de Alexandre Prado, que é especialista no assunto e faz parte da Folha Dirigida, que é totalmente voltada à área de educação para concursos e vestibulares.

1 – O que é Concurso Público

A 1º questão a ser levantada pelo especialista é a de que: “através dos concursos é possível alcançar o objetivo de receber benefícios, porém o concurso em si não garante estabilidade, estágio probatório e aposentadoria”.

Prado diz que o Concurso Público é apenas um processo seletivo para chegar ao Cargo Público e, depois, à sonhada efetividade – que é bastante diferente de estabilidade.

“A efetividade é a investidura em um cargo ou emprego mediante concurso público”. Enquanto que a estabilidade é uma garantia do regime jurídico único estatutário.

Por fim, é preciso exaltar a ideia de Prado que diz que o Concurso é apenas a seleção do candidato que ocupará um cargo ou emprego público.

2 – Quem realiza os Concursos Públicos

Existem exigências para que os órgãos realizem concursos públicos. No âmbito federal, por exemplo, existe a divisão do poder executivo, poder legislativo e do poder judiciário. Esses órgãos da administração pública direta são obrigados a cumprir a realização de concurso público para preencher vagas do quadro dos servidores públicos.

Além disso, há ainda autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades da economia mista que formam a administração indireta. Logo, todas as administrações públicas, sejam diretas ou indiretas, tem que realizar concursos públicos e abrir oportunidades.

Agora, pensemos no âmbito estadual… Ele tem a mesma regra da administração pública federal.

Porém, Alexandre diz que o Distrito Federal não se enquadra nessa questão, já que não há órgão no poder judiciário, apenas executivo e legislativo, exatamente como acontece no âmbito municipal.

Entenda que o Tribunal de Justiça do Distrito Federal pertence à União, portanto, quem realiza o concurso público nesse caso é o Servidor Federal e não o Distrital.

Conforme Prado, tudo isso está embasado no Art. 37, inc. II da Constituição Federal de 88. Este artigo diz que os cargos e empregos públicos, com exceção dos comissionados (que são livres de nomeação e exoneração) devem ser de candidatos selecionados a partir da aprovação no Concurso Público.

3 – Quais as Etapas de Elaboração

As etapas do Concurso Público começam bem cedo para um estudante dedicado, antes mesmo de sair o edital com as informações básicas e necessárias.

A fase interna, que são as etapas de elaboração, e a fase externa, que é iniciada com a divulgação do edital fazem parte do levantamento de vagas, logicamente, o cargo só pode ser provido se estiver vago.

Os motivos para tais oportunidades são os mais variados, como a aposentadoria de servidores, falecimento, exoneração, vacância devido à mudança de cargo do servidor ou criação de novos cargos.

Após esse levantamento, ocorre a solicitação de orçamento que é solicitado ao órgão responsável para prover os cargos vagos, sendo então considerada a etapa de “pedido de autorização”.

Quando a autorização é aceita, escolhe-se a banca organizadora, aí então, já na fase externa e com a publicação do edital. Essa fase é conhecida já que inclui gabaritos preliminares, apresentação de recursos e a apresentação de resultados dos candidatos.

O resultado final é feito com a homologação do concurso, onde o candidato é promovido ao cargo, fazendo a convocação e, posteriormente, a nomeação dos servidores.

Tempos de Crise: Como Ter Motivação Para o Concurso Público

4 – Qual é o Perfil das Pessoas que Mais Passam nos Concursos Públicos

Normalmente, os primeiros colocados dos concursos públicos são aqueles que têm o objetivo bem definido – tornar-se um servidor público. Eles fazem uso de métodos eficientes de estudo (como a memorização), tem disciplina e regularidade nos estudos.

Além disso, sempre começam a estudar antes da publicação do edital.

  • Sabe qual o Jeito Mais Simples de Memorizar Informações para Concursos?

A memorização tem que fazer parte do método de estudo de qualquer candidato à concurso público do país. Esse conjunto de técnicas é usado para fixar o conteúdo que foi aprendido. E o que quase ninguém sabe é que essa maneira de reter informações pode ser aprendida bem rapidamente.

Em números, praticamente 80% dos resultados das provas não são gerados pelo fato de a pessoa ser mais inteligente do que a outra, mas sim porque ela soube usar estratégias corretas durante o estudo.

Se você tem um Plano de Estudos, saiba que está no caminho certo. Se ainda não tem, está mais do que na hora de criar um. Nele será possível criar um cronograma para revisar conteúdos.

E essa revisão é um passo importante no processo de memorização. Na real, a Revisão é o Jeito Mais Simples de Memorizar Matérias para os Concursos. Logo, o papel da revisão é de manter a chama do conhecimento aceso na sua mente, sendo que quando essa chama se apaga, você esquece-se do que estudou.

Não há segredos: se você sabe fazer a revisão da forma certa, você tem grandes chances de conseguir fixar a maior parte do conteúdo que estudou durante o período de preparação.

E não importa qual a melhor maneira que você encontrou para estudar – se é durante a noite, no ônibus, pelo celular – se não tiver uma revisão qualitativa, você estará destinado ao fracasso nas provas futuras.

Aí você se pergunta:

  • Como Fazer a Revisão Correta?
  • O que uma Revisão tem que Ter?
  • Como a Revisão Pode Influenciar na Retenção de Conteúdo?
  • Aliás, quantas vezes é preciso Revisar uma mesma informação?

Acredite você: nós temos essas respostas! Continue Lendo…

5 – Como Deve ser a Preparação para um Concurso Público

O ideal, conforme unanimidade entre os especialistas do assunto, é que o candidato comece a estudar o quanto antes, de preferência bem antes da publicação do edital, no qual ele pode estudar matérias consideradas básicas como língua portuguesa e matemática.

Após o edital ser lançado, o foco passa a ser nas matérias especificas do cargo.

Para todos os casos, o mais importante é ter um planejamento inicial de como será toda a preparação estudantil, inclusive, com horários, locais e materiais disponíveis para o estudo.

6 – Como Conciliar Trabalho e Estudo

Por menos que você acredite, isso é bastante possível. Tanto é que a maior parte dos casos de sucesso dos concursos públicos envolvem pessoas que atuam em dupla jornada – entre o trabalho o estudo.

Estima-se, inclusive, que 70% dos inscritos em concursos públicos trabalham em período comercial.

Logo, largar o emprego para se preparar para um concurso público é possível, mas não necessário visto que isso aumentaria a pressão e o nervosismo do candidato.

A recomendação é conseguir se adequar à um horário específico para estudo em meio a uma rotina diária apenas para se dedicar os livros e números, sendo que isso pode ser feito ao acordar mais cedo ou durante a noite, além dos finais de semana.

Se esse cronograma for efetivo, o candidato pode garantir a classificação no concurso.

7 – Quantas Horas de Estudos por Dia

O candidato não deve se preocupar com a quantidade de horas de estudo por dia e sim com a qualidade dele. Os especialistas garantem que 1 hora de estudo concentrado vale mais do que 3 horas de estudo incorreto.

Ainda pensando nisso, é importante nunca se esquecer de maximizar o estudo regulando o seu tempo com métodos eficientes de estudos, além de praticar exercícios físicos e de relaxamento.

Quanto à essa otimização do estudo, cabe ao candidato verificar qual delas se adéqua melhor ao seu perfil e ao seu aprendizado.

8 – Tempo de Espera para Assumir o Cargo

A classificação no Concurso Púbico tem que estar entro do número de vagas oferecidas, mas isso não garante que o candidato seja convocado de forma imediata, visto que tais provas têm prazos de validades de até 2 anos, podendo ainda ser prorrogados por igual período.

O órgão contratante pode convocar os selecionados conforme a sua disponibilidade durante o período estipulado.

Reprodução: Google

9 – Etapas das Provas

A maior parte dos concursos públicos tem apenas uma etapa – que é chamada de prova objetiva e, também comumente, ela é feita por 50 questões de múltipla escolha com 5 alternativas cada.

No entanto, alguns concursos exigem etapas extras, que podem incluir provas de digitação para áreas administrativas, provas de aptidão física em concursos de segurança pública, provas orais, provas práticas, provas de títulos… Tudo que visa aumentar a pontuação no concurso.

10 – Áreas os Candidatos Costumam Não ir muito bem

Na verdade, não há uma área especifica. Ao menos, isso nunca foi divulgado de forma clara. O que se sabe é que os candidatos mal preparados é que costumam falhar. Além disso, toda preparação é importante – como conhecer o local de prova ou levar o material recomendado.

O controle emocional também é importante porque se não houver, o candidato fica totalmente vulnerável e isso reduz suas chances de conseguir uma boa pontuação.

11 – Como Manter a Motivação nos Estudos

Passar no Concurso Público, como falado aqui, não é tarefa simples. Exige muito esforço para superar a concorrência, que é cada vez maior. Para não desistir no meio do caminho, o candidato deve seguir algumas recomendações, como:

  • Definir um Objetivo Claro sobre qual Cargo ou Área vai atuar,
  • Planejar como Vai Estudar, inclusive com a definição de horários,
  • Usar Métodos Eficientes de Estudos,
  • Manter a Disciplina e a Regularidade,
  • Fazer Resumos e Usá-los para Revisar a Matéria,
  • Fazer Muitas Provas Anteriores, com simulados,
  • Reservar um tempo para lazer e descanso,
  • Pensar nos benefícios da conquista como forma de motivação,
  • Se preparar adequadamente para o dia da prova,
  • Aprender com os erros e continuar tentando até conseguir.

12 – Cadastro de Reserva

Os candidatos aprovados para Cadastro de Reserva não têm o direito de exigir a posse porque as vagas são apresentadas apenas quando surgir e não precisam ser, necessariamente, durante a validade do concurso.

Porém, em casos onde houver terceirizados ocupando a mesma vaga, a Justiça pode entender que há direito à posse para os aprovados em Cadastro de Reservas. Logo, há casos onde esses terceirizados (cargos comissionados) precisam dar lugar aos concursados.

13 – Donos de Empresa Podem Prestar Concursos Públicos

Sim. A proibição acontecerá apenas quando o sócio exerce a função de gerência. Logo, o servidor poderá ser sócio de empresa, mas não pode constar no contrato social como gerente ou administrador da mesma.

Os servidores públicos federais estão submetidos à lei 8.112/90, que estabelece que é proibido ao servidor participar da gerência ou administração de sociedade privada exceto como acionista ou cotista.

14 – Pessoas com Processos Penais podem ser Nomeadas

Mesmo que tenha passagem pela polícia ou tenha respondido por alguma ação penal, o candidato não pode ser impedido de assumir o cargo público. Mas, por outro lado, terá que provar que não foi condenado.

Há casos nos quais responder por uma ação penal não permite a investidura no cargo, como no caso de Juízes, Promotores ou Policiais.

15 – Ter o Nome Sujo pode Impedir Candidatos de Assumir o Cargo

Para se inscrever em um Concurso Público e participar da seleção de candidatos, não é verificado entre os requisitos a questão de dependências financeiras. Portanto, esse não é um motivo de impedimento.

Porém, Instituições Públicas Financeiras (Banco do Brasil) exigem que o candidato não tenha o nome inscrito em cadastros como o do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), Serasa ou CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos).

Para o banco, a decisão dessa restrição deve-se ao fato de a instituição financeira seguir a política de combate à lavagem de dinheiro do Banco Central e por se tratar de uma norma de conduta ética firmada entre empresa e empregado.

16 – Como Escolher um Concurso Público

A escolha da Carreira Pública tem que ser pautada antes mesmo de iniciar os estudos. Na opinião de estudiosos da área, há de se pensar que existem três aspectos educacionais que servem como guia de direcionamento:

  • Base Educacional que o candidato já possui,
  • O Tempo em que Deseja Alcançar o Resultado, e
  • A Aptidão para o Serviço.

Confira cada um…

Base Educacional – Se você é do tipo de candidato que estuda muito e se dedica aos livros, poderá mirar cargos mais altos e entrar em concursos com grande concorrência. Se o aluno já tem graduações e pós-graduações, também pode se encaixar nesse perfil, desse que estude muito.

Tempo para o Resultado – O tempo de preparação é importante e necessário para uma aprovação no concurso público. Ainda que não tenha um prazo certo e determinado para todos os candidatos, é possível ter uma previsão individualmente, levando em conta estudos e dedicação.

Aptidão – É importante também que a pessoa tenha interesse pela carreira que vai trilhar no cargo público. Passar em um concurso tem vários benefícios, mas não isso não quer dizer que a profissão seja feita só de pontos positivos, há sim, como toda outra, os seus incômodos.

17 – Crise e Redução no Número de Concursos Público

Estudar para Concursos Públicos tem que ser considerado um investimento de médio ou longo prazo, afinal, são muitos raros os casos de pessoas que decidem por tal objetivo e concretizam em período curto.

Sendo assim, mesmo com a redução dos concursos, as vagas existem e as oportunidades também.

Para um professor de cursinho, quem começa a estudar hoje, se levar a sério, estará preparado para provas a partir de 18 meses a contar de hoje, dependendo da vaga, esse período pode se alongar por mais alguns anos.

18 – Passei no Concurso Público, mas ainda não pegue o Diploma

O candidato pode prestar concurso público ainda cursando a faculdade, porém, no anto da posse, tem que preencher todos os requisitos que a lei exige, inclusive, sobre os diplomas e certificados.

Portanto, se até a data da posse o candidato não tiver concluído o grau de escolaridade exigido no edital, ele não poderá exercer a função ou ser nomeado para o cargo, perdendo a vaga.

Assim como o grau de escolaridade, todos os requisitos previstos no edital devem ser comprados apenas no momento da posse. É preciso ter cuidado com as informações prestadas no momento da inscrição ou você poderá ser excluído do certame.

19 – Pode prestar um novo concursos quem já se aposentou de um cargo público

O que pode acontecer é o candidato ser aposentado da indústria privada, o que, então, não impedirá de entrar no serviço público.

Por outro lado, se ele já tiver um cargo público, poderá acumular seus proventos de aposentadoria em casos de nova remuneração quando estiver dentro das exceções da Constituição.

Esses casos são para profissionais da saúde, professor, juízes, promotores, vereador.

A alternativa que sobra é renunciar aos lucros da aposentadoria.

20 – Tenho Diploma de Outro País

É preciso tomar muito cuidado porque nem todo diploma estrangeiro tem validade no Brasil e, portanto, não são aceitos em concursos públicos daqui. Para que valha, o candidato precisará passar por um processo de Revalidação do Diploma Estrangeiro em outra instituição de ensino validada pelo MEC – Ministério da Educação.

#Vídeo – Como Estudar Idiomas

Essa revalidação é feita a partir de provas sobre matérias da área de estudo do candidato. Aí sim, com esse novo diploma, ele poderá a concorrer a qualquer vaga da sua área.

21 – Investigação de Vida Pregressa

É feita apenas em alguns concursos e não em todos.

Leva em conta a investigação da vida criminal do concursando, quando há processos que só teriam efeito após a sentença judicial transitado em julgado antes que se prove a inocência do candidato.

Ela avalia a conduta do candidato em relação à moralidade, aspectos civis e criminais, assim como a compatibilidade de ser servidor público na sua função.

Se for considerado inadequado, ele perde a nomeação. Entre os casos de inadequação estão: alcoólatras, toxicômanos, antecedentes criminais, traficantes, procurados pela justiça ou com pendências militares.

22 – Candidatas Lactantes – que estão amamentando

Essas candidatas, que tem necessidade de amamentar durante a prova, deve levar um acompanhante que ficará em sala reservada para esta finalidade e será responsável pela guarda da criança.

Para tal, é preciso solicitar um Recurso Especial na inscrição do concurso público, porém, as regras é ditada pelo edital, podendo variar de concursos para outros.

23 – Atestado Médico

Atestado Médico não funciona para adiar a sua prova.

Se você se sentir mal durante a prova ou não conseguir comparecer no dia marcado, você automaticamente será desclassificado e nenhum recursos poderá ser apresentado.

Com informações do tudosobreconcursos, oglobo e ifg

As 23 Dúvidas Mais Frequentes e Simples sobre os Concursos Públicos
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA