Concurso Público Federal para 2018 – Tudo o que você precisa saber

0
8

Em outubro deste ano, o Governo Federal anunciou por meio do ministro do planejamento Dyogo Oliveira que voltará a fazer concursos públicos no próximo ano. Os certames estavam suspensos desde 2016 em razão da deficiência das contas públicas.

Nos últimos anos, o rombo foi superior a 100 bilhões de reais na receita federal.

Para Oliveira, a abertura das vagas será limitada ao número de servidores que deixarem os cargos – portanto, estima-se um número que impacte apenas 600 milhões de reais em gastos.

“Até o momento não temos a definição do que serão esses concursos. Serão muito poucos. Vai ter órgão que vai sair gente e não vai entrar ninguém. Vai ter órgão que não vai sair ninguém e vai entrar gente. Vamos distribuir melhore os servidores”, garantiu.

Dyogo também falou que as seleções vão acontecer devido ao fato de que 40% dos servidores se aposentarão até 2027, o que equivale a 216 mil novos cargos.

Alguns desses concursos terão realização urgente em razão do déficit de servidores aposentados, como no caso da Receita Federal, Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal.

Neste ano mesmo, o ministro autorizou:

Sobre o Concurso da Abin teremos um tópico ao final do artigo considerando que o edital deve sair no próximo mês e os salários podem chegar à 18 mil reais – não deixe de ler!

Os pedidos de concursos públicos federais para 2018

Até o final de agosto, todos os anos, o Governo Federal encaminha uma proposta orçamentária para o ano seguinte – com foco nos concursos públicos.

Isso aconteceu quando o Congresso Nacional recebeu o projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para o próximo ano.

O legislativo tem a tarefa de analisar, propor alterações e votar o texto até o dia 22 de dezembro. Depois, ele será votado pelo Plenário, conforma a Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO).

De todas as vagas previstas, 6.564 são para a criação e 4.404 para provimento em vários cargos. As oportunidades são para todos os poderes.

A distribuição pode ser feita da seguinte forma:

– O Legislativo com 89 chances na Câmara dos Deputados, 70 para o Senado Federal e 10 para o Tribunal de Contas da União.

– O Judiciário com 53 vagas para o Supremo Tribunal Federal (SRF), 720 para o Superior Tribunal da Justiça, mais de 3,4 mil para a Justiça Federal, 780 para a Justiça Militar da União, 987 para a Justiça do Trabalho, 58 para a Justiça do Distrito Federal e 8 para o Conselho Nacional da Justiça.

– O Executivo terá mais de 3,2 mil vagas para a substituição de terceirizados, militares e para o Fundo Constitucional do Distrito Federal.

Outras chances estarão disponíveis para o Ministério Público Federal, Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Ministério Público do Trabalho e Defensoria Pública da União.

ATENÇÃO – as vagas ainda dependem de aprovações e poderão ser preenchidas no ano que vem. Inclusive, alguns (do Poder Executivo) precisam ter autorização do Ministério do Planejamento.

Reprodução: Google

As solicitações de concursos públicos para 2018 feitas ao Ministério do Planejamento

Vários órgãos já enviaram solicitações ao Ministério do Planejamento para a abertura de concursos públicos. Ao todo, mais de 40! Eles se dividem entre os ministérios, institutos, agências reguladoras, corporações… E outros.

As oportunidades são para níveis médio e superior e os vencimentos podem ultrapassar os 20 mil reais.

No entanto, não há um prazo certo para a resposta – o que se espera é que os grandes órgãos tenham preferência devido à necessidade e a negociação dos representantes.

Um dos motivos que podem contribuir para a abertura dos cargos é Reforma Trabalhista, que tem antecipado várias aposentadorias.

Outro ponto importante é a melhora da economia.

Conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), o PIB (Produto Interno Bruto) avançou 1% nos 3 primeiros meses deste ano.

Também há a alta recessão do próprio Planejamento em relação à autorização de seleções nos últimos 2 anos, o que tem agravado a situação da arrecadação e da economia.

Alguns órgãos não conseguem mais adiar a abertura de concursos, como a Polícia Federal e Rodoviária e isso porque há um déficit de mais de 10 mil servidores.

Os principais concursos públicos para 2018 – separados por área

Conforme o Projeto da Lei Orçamentária confira as informações.

Principais concursos púbicos 2018 no Poder Legislativo

Conforme o anexo V, os destaques são as admissões de servidores… Ao todo, 169. Sendo: Câmara dos Deputados, Senado Federal e TCU.

Principais concursos púbicos 2018 no Poder Judiciário e Ministério Público

A criação de vagas deve ultrapassar o número de 5 mil. Sendo para o STF, STJ, Justiça Federal, STM e outros.

Principais concursos púbicos 2018 no Poder Executivo

Os militares terão vagas em mais de 1,5 mil enquanto que haverá também vagas de substituição de terceirizados.

Principais concursos púbicos 2018 dos Tribunais

Concurso STM

Com a rescisão do contrato com a banca Cebraspe, o Concurso do Superior Tribunal Militar terá nova licitação e novo cronograma a ser publicado.

O órgão já divulgou as vagas e áreas de conhecimento que serão ofertadas no próximo certame para os cargos de técnico e analista judiciário.

Conforme o site do STM, serão ofertadas 41 vagas para os cargos e o edital ainda não tem data para publicação.

A remuneração inicial é de R$ 12 mil para Oficial de Justiça, de R$ 10 mil para Analistas, e de R$ 6 mil para Técnicos.

Concurso STJ

No último concurso do Superior Tribunal de Justiça o cargo de Analista Judiciário da Área Judiciária não foi contemplado. Assim, deve ser lançado ainda em 2017 um concurso para este cargo.

Já foi criada a comissão do concurso STJ 2017/2018. Salário inicial varia entre R$ 5.365,92 e R$ 8.803,97. A última banca foi o Cebraspe com 71.418 inscritos.

Concurso TRF 3

O concurso está previsto no Orçamento para 2018. O último concurso foi em 2013 quando ofertou vagas para os cargos de Analista Judiciário- Área Judiciária e Técnico Judiciário – Área Administrativa vagas. O concurso tem validade em junho de 2018.

Principais concursos púbicos 2018 dos Tribunais

Concurso TJ SP (Escrevente – interior)

A Fundação Vunesp será a banca organizadora do certame. O último concurso para as Regiões Administrativas Judiciárias do Tribunal de Justiça no interior do estado de São Paulo aconteceu em 2015, e vence em 7 de dezembro de 2017.

Foram ofertadas 335 vagas para Escrevente Técnico Judiciário, com vencimentos iniciais em R$ 3.878,07.

Concurso TJ PR (Técnico)

O órgão confirmou que o certame ficará para 2018. A Comissão explicou o atraso na realização do certame, dizendo que o cronograma divulgado originalmente (que previa provas no terceiro trimestre de 2017) foi apenas uma estimativa e que novas datas para execução do concurso devem ser divulgadas.

São 100 vagas e salário inicial de R$ 5.516,51.

Concurso TJ SC

Presidente do órgão autorizou realização de certame para o órgão. Serão ofertadas vagas para os cargos de Analista Administrativo, Analista Jurídico, Oficial de Justiça e Avaliador, Oficial da Infância e Juventude, Arquiteto, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Civil, Enfermeiro e Técnico Judiciário Auxiliar.

Os últimos concursos foram realizados em 2014 e 2011, e o mais atual vence em 2018.

Concurso TJ RR

Desde outubro de 2016 uma Comissão trabalha para a realização de um concurso para o órgão.

O último certame aconteceu em 2012, organizado pelo Cebraspe. Foram ofertadas vagas para nível fundamental, médio e superior. Na época, as remunerações variavam entre R$ 1.521,45 e R$ 5.313,01. O último concurso venceu em 2016.

Concurso TJ AL

O Tribunal de Justiça do estado de Alagoas definiu a banca organizadora do concurso do órgão e o número de vagas que serão ofertadas no edital (concurso TJ AL). A Fundação Getúlio Vargas, FGV, será a instituição responsável pelo certame que ofertará 131 vagas para os cargos de Analista, Técnico e Oficial de Justiça.

A remuneração dos cargos varia entre R$2.496,55 e R$5.789,19 conforme o último edital do concurso de 2012.

A remuneração deve ser ajustada, pois, ao logos dos anos, as duas carreiras tiveram ganhos e benefícios salariais.

Concurso TJ RS (Oficial de Justiça)

Atualmente, o concurso para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul está autorizado com a oferta de 10 vagas.

O último concurso aconteceu em 2014, quando foram ofertadas 116 vagas para Oficial de Justiça. A banca organizadora na época foi a FAURGS.

Concurso TJ RJ (Técnico)

O último concurso aconteceu em 2014 quando foram ofertadas 90 vagas para o carto. A banca organizadora foi a Fundação Getúlio Vargas, a FGV.

Este concurso venceu em dezembro de 2016, mas sua validade foi suspensa por conta da crise no estado do Rio de Janeiro.

O prazo pode voltar a correr em 2018

Concurso TJ RJ (Analista)

O último concurso para o cargo aconteceu em 2014 organizado pela FGV. Foram ofertadas 34 vagas para Execução de Mandados, 23 vagas para Comissário da Infância, da Juventude de do Idoso, 15 vagas para Psicólogo e 46 vagas para Assistente Social.

O concurso venceu em fevereiro de 2016 e foi prorrogado para 2018.

Concurso TJ ES

O concurso venceu em 2015 e ainda não tem previsão de acontecer em breve, uma vez que o órgão estuda a possibilidade de realizar concurso.

A banca organizadora do concurso anterior foi o Cespe/Cebraspe no edital publicado em 2010. O certame foi para os cargos de Analista e Técnico com salários até R$ 4 mil.

Concurso TJ MG (2º Grau)

A Coordenação de Concursos Públicos do Tribunal de Justiça do estado de Minas Gerais informou que o órgão planeja a realização de um novo concurso, mas ainda não foram definidos os cargos e o quantitativo de vagas que devem ser ofertados.

Espera-se então que o concurso contemple vagas para os cargos de Técnico Judiciário (classe C) – nível superior em diversas especialidades e Oficial Judiciário (classe D) – nível médio.

O último concurso venceu em 2016 e foram ofertadas vagas em Cadastro de Reserva para Técnico Judiciário e Oficial com salários acima dos R$ 3 mil. Na ocasião a banca foi a Fundação Mariana Resende Costa – FUMARC.

Concurso TJ DF

O último concurso só vence em abril de 2018. A banca organizadora foi o Cespe/Cebraspe. Foram ofertadas 80 vagas para os cargos de Analista e Técnico Judiciário com salários entre R$ 6 mil e R$ 9 mil.

Concurso TJ GO

O último concurso realizado em 2014 vence apenas em 2019, por isso não há previsão ainda de realizar concurso.

A banca organizadora do último concurso foi a FGV. Foram ofertadas 474 vagas imediatas e formação de Cadastro de Reserva para os cargos de Analista Judiciário. Salário inicial foi de R$ 4 mil.

Concurso TJ MT

O último concurso realizado para o TJ MT foi em 2015, quando o edital ofertou vagas para os cargos de Analista e Técnico.

A banca organizadora na época foi a Universidade Federal do Mato Grosso. Na época, os salários variavam de R$ 3 mil a R$ 6 mil.

Concurso TJ AC

O concurso venceu em março de 2017. O edital ofertou vagas pra os cargos de Analista e Técnico com salários entre R$ 2 mil e R$ 4 mil.

A banca organizadora na época foi o Cespe/Cebraspe.

Concurso TJ AM

Concurso tem vencimento em outubro de 2017. A banca organizadora do último concurso foi a FGC, quando o edital ofertou vagas para os cargos de Analista e Técnico.

A remuneração variou de R$ 2 mil a R$ 4 mil.

Concurso TJ PA

O último concurso só vence em 2019. Foram ofertadas vagas para Analista, Oficial e Auxiliar Judiciário do órgão.

A banca organizadora da época foi a Fundação Vunesp. Os salários ofertados variavam de R$ 3 mil a R$ 6 mil.

Concurso TJ TO

O último concurso venceu em 2013, e ainda não há nenhuma movimentação para realizar um novo certame.

A banca organizadora da época foi a Universa. Foram 186 vagas e salários que chegavam até R$ 5 mil.

Concurso TJ AP

O último concurso aconteceu em 2014 e vence apenas em maio de 2019. A Fundação Carlos Chagas foi a banca organizadora do concurso.

Foram ofertadas vagas para Analista e Técnico e salários que variavam entre R$ 4.619,00 e R$ 6.009,16.

Reprodução: Google

Concurso Abin – Salários de até 18 mil reais

A agência já tem a Cebraspe (antigo Cespe/UnB) como organizador do seu concurso público e tem prazo até o próximo dia 17 de janeiro para publicar o edital. O próximo passo é assinar o contrato com o órgão.

O concurso público da Abin 2017/2018 foi autorizado pelo Ministério do Planejamento (MPDG) em julho deste ano, com prazo de seis meses para publicação.

A oportunidade oferece 300 chances para as carreiras de oficial de inteligência (220), oficial técnico de inteligência (60) e agentes de inteligência (20).

O que se sabe é que a demanda é grande por profissionais da Abin porque as pessoas estão se aposentando e o trabalho no órgão só aumenta – o governo diz que já passou da hora de reforçar a agência.

Sem pessoal, não há trabalho.

Conforme a Aofi, a falta de pessoas implica na redução da eficiência das atividades realizadas pela Abin, inclusive, com a redução de atividades nas superintendências das diversas unidades da federação, por falta de pessoal.

Pedido não atendido na íntegra

O pedido, porém, não foi atendido na íntegra – que contava com 650 vagas, sendo 110 a mais do que os 470 do último pedido. A previsão é a de que as nomeações devem acontecer até 2020.

A atividade de inteligência é discutida cada vez mais sendo que teve início com o presidente Washington Luís, que instituiu o Conselho de Defesa Nacional.

Os cargos da Abin

Em 2008, foi realizado o último concurso público da Abin para oficial de técnico de inteligência e agente técnico de inteligência, cargos que comportam a estrutura administrativa da agência.

Dois anos depois, foi a vez das funções de oficial de inteligência e agente de inteligência.

Os estudantes precisam ter em mente qual cargo tem a ver com o seu perfil.

Na carreira de Oficial de Inteligência, conforme artigo 10 da Lei 10.667 de 2003 houve mais de 1,6 mil vagas para o posto e a lei previa o provimento gradual dos cargos, de modo que não ultrapassasse os 10% do total de cargos.

Em 2016, a agência encontra com menos de 40% do seu quadro de oficiais de inteligência.

Oficial de Inteligência

Atribuições

Planejar, executar, coordenar, supervisionar e controlar a produção de conhecimentos de inteligência; as ações de salvaguarda de assuntos sensíveis; as operações de inteligência; as atividades de pesquisa e desenvolvimento científico ou tecnológico direcionadas à obtenção e análise de dados e à segurança da informação; o desenvolvimento de recursos humanos para a atividade de inteligência; além de desenvolver e operar máquinas, veículos, aparelhos, dispositivos, instrumentos, equipamentos e sistemas necessários à atividade de inteligência.

Requisitos

Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de ensino superior em qualquer área de formação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), além de carteira nacional de habilitação, categoria “B”, no mínimo.

Oficial Técnico de Inteligência

Atribuições

I – planejar, executar, coordenar, supervisionar e controlar as atividades de gestão técnico-administrativas, suporte e apoio logístico: a) produção de conhecimentos de inteligência; b) ações de salvaguarda de assuntos sensíveis; c) operações de inteligência; d) atividades de pesquisa e desenvolvimento científico ou tecnológico, direcionadas à obtenção e análise de dados e à segurança da informação; e) atividades de construção e manutenção de prédios e outras instalações;

II – desenvolver recursos humanos para a gestão técnico-administrativa e apoio logístico da atividade de inteligência; e III – desenvolver e operar máquinas, veículos, aparelhos, dispositivos, instrumentos, equipamentos e sistemas necessários às atividades técnico-administrativas e de apoio logístico da atividade de inteligência.

Requisito e áreas

O cargo de nível superior exige formação em administração; administração ou economia; arquitetura; arquivologia; ciências contábeis; comunicação social – jornalismo; comunicação social – publicidade e propaganda; estatística; tecnologia da informação; direito; educação física; engenharia civil; engenharia elétrica; pedagogia; psicologia e serviço social.

Agente de Inteligência

Atribuições

Oferecer suporte especializado às atividades decorrentes das atribuições do Oficial de Inteligência.

Requisito

Certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo segundo grau) ou de curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e possuir carteira nacional de habilitação, categoria “B”, no mínimo.

Bônus – Defina o seu tipo de Concurseiro

Os especialistas definiram alguns tipos de perfis de pessoas que prestam concursos públicos.

Considere-se um deles…

Concurseiro Sonhador é aquele que acredita que ao passar em um concurso público estará com a vida garantida – sem precisar trabalhar duro ou se empenhar no cargo. Para ele, a aprovação é apenas uma solução para a vida.

Concurseiro Financista baseia-se apenas na remuneração da escolha do concurso e do cargo, não considerando as funções que vai desempenhar no dia a dia. Geralmente, o financista continua prestando concursos com cargos maiores, mesmo após a aprovação ou posse.

Concurseiro Desesperado é aquele que mesmo tendo nível superior decide prestar concurso de nível médio acreditando que as chances de aprovação serão melhores. Grande parte dos desesperados não passou em um concurso após várias tentativas.

Concurseiro Indeterminado foi demitido do trabalho ou sofreu uma desilusão profissional e resolveu ser funcionário público para “não ter mais patrão”. Eles têm dois destinos – estudam até passar ou recebem uma boa proposta de trabalho.

Concurseiro Idealista quer assumir o cargo, fazendo a diferença no mundo. Eles seguem à risca as funções do cargo, e para isso estudam, assumem a responsabilidade.

O Concurseiro Aventureiro não estuda nada até sair o edital e mesmo quando saí, não leva ele a sério o suficiente. Ele protela os estudos e acredita que pode tirar o atraso em pouco tempo, o que, geralmente, não acontece.

Concurseiro Atirador Profissional faz a inscrição em vários concursos sempre se motivando pelos salários, mas não estuda nada para isso. Ele busca formas de chutar certo e fórmulas que vão trazer resultados rápidos e surreais.

Concurseiro Ideal é aquele que tem nos concursos públicos uma forma de assumir um cargo que serve para dar segurança financeira ao mesmo que tempo que dá oportunidade de continuar estudando para outros certames – na procura de cargos melhores.

Com informações da GazetaOnline e Granconcursos

Concurso Público Federal para 2018 – Tudo o que você precisa saber
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA