As 5 etapas do concurso público da Polícia Federal

0
2404

O concurso, que não é aberto anualmente – mas em períodos que podem ser longos, de 5 anos, por exemplo – é divido em 5 etapas: a prova objetiva, a prova discursiva, o exame de aptidão física, exame médico e o exame psicológico. Vamos detalhar cada uma dessas etapas!

1 – Prova Objetiva

Quase sempre, a prova objetiva é formada por 120 questões que possuem o mesmo peso, ou seja, a mesma pontuação.

Quanto aos temas, também se mantém na maioria das vezes, sendo que os exigidos são:

  • Língua Portuguesa,
  • Informática,
  • Atualidades,
  • Raciocínio Lógico,
  • Administração,
  • Economia,
  • Contabilidade,
  • Direito Penal,
  • Direito Processual Penal,
  • Direito Administrativo,
  • Direito Constitucional e
  • Legislação.

Outro ponto importante é que há mais de 15 anos a banca examinadora das provas públicas da Polícia Federal é a Cespe/UnB, também chamado de Centro de Seleção e Promoção de Eventos, órgão integrante da Universidade de Brasília.

Essa instituição que faz a organização e seleção das provas é muito temida pelos candidatos, já que tem a fama de causar complexidade nas questões e provocar um alto nível de aprendizagem na área de português.

Por sinal, o português tem sido, nos últimos anos, a disciplina que tem mais questões, sendo 15 em 2004, 23 em 2009 e 16 em 2012. E dentro dessa área, o assunto mais cobrado é a compreensão e a interpretação dos textos.

2 – Prova Discursiva

É a famosa redação de textos, que deve ser muita praticada pelos concurseiros, já que, historicamente, é aqui que muitos candidatos dizem adeus ao objetivo.

Adriana Figueiredo é professora do Centro de Estudo Guerra de Moraes e sobre essa prova, ela comenta: “Claro que o aluno não pode esquecer que precisa da pontuação mínima nas outras matérias. Mas, o quanto antes ele começar a redigir, ficará melhor preparado”.

Assim como no Enem, um dos erros mais comuns na redação é o famoso “Fugir do Tema”.

“Isso acontece mais comumente entre as pessoas que estudaram o formato de construção do texto, mas têm pouco conhecimento sobre o assunto exigido”, afirma Marcelo Portella, professor do Curso Maxx.

E, caso isso acontece, a redação é zerada e o candidato estará eliminado.

Nos editais anteriores, foram cobrados os seguintes itens: Redigir um texto narrativo, dissertativo ou descritivo; com, no máximo, 30 linhas; com base em um tema formulado pela banca examinadora. O texto, como de praxe, deve ser feito com caneta de tinta preta.

Os critérios de avaliação são:

  • Apresentação Textual,
  • Desenvolvimento do Tema e
  • Domínio da Modalidade escrita da Língua Portuguesa.

Parece fácil, mas é preciso atentar-se ao tempo, também. A dica da Adriana é utilizar apenas 50 minutos da prova para finalizar a parte discursiva.

3 – Exame de Aptidão Física

Todos os exames posteriores às provas são de caráter eliminatório e devem seguir à risca o que está previsto no edital. E, então, essa é a dica: pegar o edital e ir até uma academia ou um orientador e treinar muito.

De fato, é uma prova difícil, com exercícios de barra fixa, impulsão horizontal, natação e corrida. O objetivo é avaliar se o candidato suporta as exigências que ele será submetido no futuro, caso seja aprovado.

Cada teste citado acima possui pontuação que varia de 0 a 6, mas para ser aprovado o candidato deve obter, pelo menos, 2 pontos em cada teste, ou seja, 12 pontos na soma de todos eles.

O TAF (Teste de Aptidão Física) é feito somente após a aprovação nas provas objetivas e discursivas, mas nem por isso os candidatos devem deixar para treinar depois disso. É preciso começar bem cedo, já que, na maioria das vezes, o tempo será curto demais.

4 – Exame Médico

Em nível Federal, a etapa do exame médico é tratada como Instrução Normativa, que consiste em ato administrativo expresso por ordem escrita pelo Ministro do Estado, dispondo as normas que deverão ser adotadas no funcionamento do serviço público.

É importante frisar que a maioria dos problemas com resultados dos exames médicos podem ser resolvidos com a emissão de laudos médicos. O ideal é que você vá ao médico com frequência e veja se há anormalidades.

O que é comum é que sejam exigido os exames laboratoriais, tais como os de sangue e urina. Isso é praxe em todos os concursos, diga-se de passagem.

No caso da Polícia Federal, a exigência é um pouco maior, e, além do exame clínico geral (altura, peso, índice de massa corpórea), também pode ser cobra exames odontológicos, oftalmológicos, otorrinolaringologológico e a verificação de tatuagens.

Calma! Se você tem tatuagem, não se preocupe! Você poderá ingressar na carreira de policial, desde que ela não se atente contra a moral e os bons costumes.

Nos últimos concursos, a tatuagens de grandes dimensões que ficam amostra mesmo após a utilização do uniforme, também não tem sido aceita.

Há uma série de ações e notícias sobre a expulsão ou não contratação de pessoas tatuadas.

A dica é: se você ainda não fez alguma e pretende fazer, mas também pretende exercer o cargo da Polícia Federal, faça uma de menor tamanho e que facilmente seja “escondida” pela farda.

Os concursos não podem eliminar candidatos que possuam tatuagens escondidas pela farda, segundo especialistas.

“Houve época, de fato, em que essa espécie de adornos era empregada quase que exclusivamente por presidiários, gangues de arruaceiros ou, na melhor das hipóteses, por marinheiros que as faziam-nos vários portos em que atracavam”.

“Hoje em dia, principalmente nos grandes centro urbanos, as tatuagens são usadas como adornos”.

“Diante disso, pensamos ser verdadeiramente inaceitável qualquer espécie de discriminação de candidatos que possuam tatuagens, reservados alguns casos, que apesar das ponderações acima, ainda se apresentam como chocantes ao senso estético comum, como ocorre em pessoas que se tatuam por todo o corpo, inclusive nas mãos e no rosto”, afirma em nota, a Advocacia Objetiva, um escritório jurídico fundado há mais de 10 anos.

Veja como Ler mais Rápido, com Compreensão e Foco:

Quanto aos outros exames citados, basta que tudo esteja dentro da normalidade. O odontológico, por exemplo, é ter 20 dentes naturais ou artificiais, no mínimo.

Sendo que 4 devem ser caninos. Também precisa haver o não porte de cáries, periodontopatias, raízes residuais, fístulas ou lesões dos tecidos moles.

No oftalmológico, será considerado apto o candidato que tiver visão mínima de 1,0 grau em cada olho ou apresentar visão de 1,0 em um olho e 1,5 no outro.

5 – Exame Psicológico

Esse tópico, apesar de ser o último e parecer simples, chega a reter 20% dos candidatos de um concurso público. Esse número não foi feito por pesquisas oficiais, mas é uma média que os especialistas dizem ter.

E, embora esse envolvimento psicológico seja criticado por conselhos, tal como o Conselho Federal de Psicologia, existem uma séries de fatores que podem te ajudar a buscar o posto do serviço público.

Entre eles está o de agir com naturalidade.

“O conselho básico é não tentar mascarar a personalidade. Não existe pessoa perfeita. A orientação é ser autêntico”, diz o delegado Luis Henrique Gasparetto, diretor da divisão de recrutamento e seleção da Academia de Polícia Civil (Acadepol).

Essa é uma opinião parecida com a da Júlia Cecconello, psicóloga e consultora da CPC Concursos:

“Testes que mostram como burlar podem ser fraudes e só atrapalham o candidato. Muitas vezes, as pessoas chegam treinadas demais. É para ser espontâneo. Não se faz preparação especifica”.

Da Redação

As 5 etapas do concurso público da Polícia Federal
5 (100%) 2 votes

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.