5 Curiosidades do Cérebro Humano que Você sempre quis saber

0
18

O que você sabe sobre o cérebro? Será verdade que ele cria memórias falsas e pode tomar decisões importantes sem que você perceba? E a ciência, o que diz do cérebro e sua importância para a vida humana? Dizem que ele é a estrutura mais complexa do universo…

Separamos algumas dúvidas e curiosidades sobre o cérebro, saiba aquilo que você sempre perguntou e quase ninguém conseguiu responder!

1 – A formação do que vemos

Para pesquisadores, o cérebro inventa o que você vê. Você duvida? Conforme estudos, se você ficar cego por 4 horas em um dia, o cérebro vai criar imagens para preencher tudo isso – mesmo aquilo que ainda não aconteceu ainda.

Outro estudo, da Universidade de Washington, revelou outro dado: se seus olhos fossem uma câmera, eles teriam 341 megapixels de resolução e isso foi obtido a partir do número médio de células fotorreceptoras do olho humano.

Na prática, isso quer dizer que conseguimos distinguir mais de 154 unidades mínimas e cada grau da visão e, como sabemos, enxergamos 120 graus – logo, 154 vezes 120 dá os 341 megapixels.

Bônus no Final do Artigo – Como Melhorar a Memória

Depois disso, é preciso entender que o olho registra imagens com nitidez em uma área pequena, chamada fóvea.

Com uma visão panorâmica e pouca nitidez, o cérebro consegue fazer a mágica de uma forma bastante simplificada – o cérebro nos engana.

A fóvea capta vários pedaços do cenário e costura tudo em uma imagem só. Mas o processo toma tempo. É por isso que os estudiosos chegaram ao número de 4 horas por dia.

Para tentar descomplicar o assunto, basta imaginar uma partida de futebol.

A trajetória de uma bola, por exemplo, já está previamente mapeada pelo cérebro de um jogador de futebol – por isso, ele consegue dominar um passe muito rápido, que acontece em frações de segundos.

Além de inventar essas 4 horas, o cérebro também antecipa o futuro – produzindo apenas um instantâneo.

Dessa forma, as imagens reais e criadas viram um movimento perfeito – no caso da bola, o cérebro não cria a imagem da bola, mas faz uma previsão de onde a bola estará frações de segundos depois.

Não é mágica, é evolução – se nossos ancestrais do mundo animal não tivessem desenvolvido essa capacidade de prever o futuro, teríamos sido todos comidos pelos predadores.

2 – Por que Dormimos?

O cérebro funciona muito bem enquanto você dorme – essa é uma verdade. Se você está “sonhando”, abraçado ao travesseiro, o cérebro está trabalhando duro, absorvendo informações que você vai usar na manhã seguinte.

No início dos anos 1990, a tecnologia de vídeo era feita em fita cassete e tinha até mesmo cursos que ensinavam inglês durante o sono, para isso, bastaria escutar aquilo para acordar falando.

Algum tempo depois, um estudo da Universidade Northwestern afirmou que o cérebro é capaz de memorizar informações enquanto dormimos. O fato não comprovo a teoria de 1990, porém, trouxe uma nova discussão.

“Isso mostra que receber estímulos externos durante o sono pode influenciar uma habilidade complexa”, afirmou o psicólogo Ken Paller, líder do estudo atual.

Paller monitorou a atividade cerebral dos voluntários e descobriu que o efeito funciona se a pessoa for exposta aos barulhos enquanto estiver no que é chamado de ondas lentas, o famoso “sono profundo”.

É nessa fase que o cérebro organiza as memórias – ele elimina aquelas menos importantes e reforça as mais importantes, em um processo oposto.

Isso ajuda a explicar a pergunta inquietante – por que dormimos?

Mesmo porque se ficarmos sem dormir podemos ter vários problemas, como delírios, convulsões e até mesmo a morte – obviamente, o sono tem alguma função.

Em 2013, na Universidade de Rochester, EUA, foi descoberto que o cérebro elimina toxinas e detritos das conexões dos neurônios durante o sono.

Reprodução: Google

3 – O Cérebro cria Falsas Memórias

O cérebro distorce as lembranças e cria fatos que jamais aconteceram, ou seja, memórias falsas. Assim, você jura ser verdade, mas a situação pode ser bastante diferente do que você se lembra… Pior que é verdade.

O cérebro humano tem o hábito de agregar detalhes ou produzir lembranças que não ocorreram de fato. Isto é altamente inofensivo, porém, as falsas memórias também provocam graves injustiças.

A Innocence Project é uma ONG americana que afirma que mais de 400 pessoas foram condenadas inocentemente por causa de testemunhos que mais tarde se revelariam falsos.

Por que o cérebro faz isto, se a ação pode gerar injustiças?

Justamente para dar conta de todo excesso de informação. Ele retém tudo o que os olhos vê, o que sentimos, escutamos, tocamos também é retido. Por isso, em vez de assimilar tudo, ele guarda apenas a essência dos eventos.

Quando se torna necessário lembrar-se de algo, a pessoa começa a preencher as lacunas, mas tudo por associação – juntamente com outras memórias. O problema é que não conseguimos fazer isso e aí temos a sobreposição das lembranças.

“É comum chamarem uma testemunha para depor dois anos depois. Nesses casos, a chance de depoimentos falsos é muito maior”, afirma a psicóloga Lilian Stein. “Tratam a memória como uma máquina fotográfica, o que é um grande equívoco”.

Isso sem contar ainda com o fato de que sempre que você se lembra de algo, quando ganha uma nova memória, ela pode ser alterada e totalmente distorcida pelo cérebro.

O processo é simples: quando o ser humano se lembra de algo, a memória sai do banco de dados do cérebro, ela é acessada pela consciência e depois é armazenada no banco de dados.

Na Universidade Johns Hopkins, dos EUA, foi descoberta que há uma diferença na atividade cerebral durante a formação de memórias falsas e verdadeiras. Logo, os tipos de memória se formam do mesmo jeito, com uma diferença – as falsas não passam pelo lado lógico da mente.

4 – O Processamento de Informações – como funciona?

O cérebro gasta menos energia do que uma lâmpada – mas consegue fazer muito mais do que um computador faz.

Para se ter uma ideia, existe desde 2016 um supercomputador chamado Sunway TaihuLight, que faz cálculos de prospecção de petróleo, previsão do tempo e até mesmo com a engenharia molecular na China.

A velocidade dele é de 125 quatrilhões de cálculos por segundo, algo como 20 bilhões de vezes mais potente do que um laptop caseiro. O problema é que ele gasta mais de 15 MW para funcionar, o equivalente à quase 4 mil aparelhos de ar-condicionado ligados em potência máxima.

O seu cérebro também tem funções bastante complexas, mas usa apenas 20 watts – ou seja, menos do que uma lâmpada.

Em 2015, na Universidade de Carnegie Mellon, os estudiosos compararam a potência de um cérebro à um supercomputador. Assim, a conclusão é a de que o cérebro humano suporta uma quantidade muito menor de dados do que o supercomputador.

Para saber como o cérebro faz isso, basta entender que o cérebro é eficiente porque ele se permite errar. Na média, os neurônios falham em 71% das vezes em que disparam, segundo o Howard Hughes Medical Institute.

Isso sem contar que a sobrevivência humana não exige precisão absoluta – quando vamos expressar ideias, temos dificuldade em encontrar palavras certas e mesmo assim conseguimos nos comunicar – ainda que não seja fotográfica, nossa memória funciona.

Alguns cientistas dizem que os erros elétricos do cérebro, que alteram de forma imprevisível as informações transmitidas entre neurônios, estejam entre os responsáveis pela criatividade humana.

5 – Os neurônios criam tudo sozinhos?

O cérebro tem mais de 86 bilhões de neurônios e 85 bilhões de “outras coisas” – que geralmente são células giliais e ninguém sabe exatamente para que serve.

Em 1858 o patologista Rudolf Virchow batizou a neuroglia como “cola dos nervos”. Ele dizia que aquilo não passava de uma enorme argamassa que só servia para segurar os neurônios no lugar.

Claro que essa definição não durou muito – Camilo Golgi e Santiago Ramón y Cajal afirmaram que a tal massa era formada por células giliais e que eram divididas em tipos.

  • Os astrócitos monitoravam a entrada de nutrientes no cérebro,
  • A micróglia combatia as infecções e fazia a limpeza do sistema nervoso,
  • Os oligodendrócitos produziam a bainha de mielina.

Um pouco mais tarde, em 1960, Steven Kuffler, da Universidade de Harvard, descobriu que a forma mais abundante de célula gilial mudava de carga quando exposta ao potássio.

Desde então os cientistas começaram a acreditar que essas células são importantes para o processamento das informações exatamente como fazem os neurônios.

Como Melhorar a Memória

Visto isso é possível notar que temos muitas formas de conseguir melhorar a nossa própria memória – a escolha certa dos alimentos, por exemplo, podem ser essenciais para selecionar os benefícios da memória e da concentração.

Um ambiente adequado te ajuda a trabalhar ou estudar de forma mais eficaz, considerando a iluminação e a sonoridade.

O bom funcionamento do cérebro depende do descanso – logo, dormir menos de 8 horas ininterruptas por noite leva à lapsos de memória. Até mesmo remédios podem afetar a capacidade de memorização, dependendo do uso – a recomendação é procurar profissionais.

Álcool e Cigarro também influenciam e podem levar à atrofia cerebral e a quadros graves de esquecimentos. Exercícios físicos, uma vida social completa e técnicas de relaxamento também são boas pedidas para melhorar a memória.

Exercitar o cérebro, por fim, é um jeito bastante eficaz de conseguir, com eficiência, estimular os neurônios cerebrais. Isso pode ser feito de várias formas, como com jogos e aplicativos tecnológicos, vamos listar alguns.

Jogos e Aplicativos para Treinar a Memória e o Raciocínio Lógico

Seja para uma espera na consulta médica, para brincar com os amigos ou para treinar para o vestibular, os aplicativos de memória e raciocínio podem ser consideradas boas formas de melhorar a sua capacidade intelectual.

Normalmente, esses jogos são considerados entretenimento, ou seja, pode estar presentes como forma leve de estudar, sem aquela pressão toda de precisar encontrar a resposta.

Para se ter uma ideia, os pesquisadores do Mind Research Network, no Novo México, descobriram melhorias notáveis na função cerebral e na espessura cortical em pessoas que jogam, ao menos, 30 minutos diários de Tetris!

Conforme a pesquisa, os jovens que jogam esse game clássico demonstram ter melhor eficiência cerebral durante os testes do que aquelas outras pessoas que não jogam. As verificações revelaram também que naquelas pessoas que praticam exercícios mentais com os jogos, o córtex era, notavelmente, mais espesso.

Outro estudo clínico, da Universidade de Rochester, mostrou que o jogo Halo pode gerar benefícios psicológicos, como por exemplo, a habilidade de atenção e foco.

“Esse estudo mostra que as crianças que jogam games de ação, exibem um nível de desempenho no raciocínio lógico melhor, que só são alcançados muito tempo depois, ou nem são alcançados, comparado com as pessoas que não jogam games”, disse um dos responsáveis pela pesquisa.

Outro jogo que também foi destacado nos últimos tempos é o chamado “Papagaio”, criado pelo professor Alexandro Ferreira Leal, da Faculdade UDF, que é um jogo de ação, onde o jogador precisa sobreviver aos perigos da floresta.

“Papagaio é um game com jogabilidade simples, mas desafiadora que estimula a coordenação motora e melhora a atenção do usuário”, diz.

Encontramos alguns aplicativos que atuam nesse sentido. Confira!

1 – Lumosity: É um programa personalizado onde torna possível treinar a memória e a atenção, com diversas atividades. Ele é disponível para iOS e Android.

2 – Fit Brains: Foi desenvolvido por neurocientistas e seu principal objetivo é estimular a capacidade de memória, o foco e também a velocidade cerebral. Nele é possível ter acesso à exercícios físicos, jogos, treinamentos.

3 – Memrise: É um aplicativo que oferece cursos de idiomas em mais de 200 línguas e permite que o usuário crie os seus próprios cursos, com cartões de aprendizagem multimídia. Ele também é disponível para iOS e Android.

4 – inClass: É um programa que ajuda os alunos a se organizarem. Nele, os estudantes podem criar o seu próprio calendário e compartilhar suas anotações. A ferramenta está disponível para iOS.

5 – Amazing Alex: É um jogo dos mesmos criadores de Angry Birds. Tem uma jogabilidade com cenários divertidos, um protagonista simpático e músicas animadas. Os desafios são para fazer o seu cérebro trabalhar a todo vapor em estágios que vão até os mais avançados.

6 – Glean: No game, o objetivo é desenhar um caminho a partir de um ponto inicial para coletar todos os elementos sem retirar o dedo da tela.

7 – Flow Free – Bridges: É um jogo desafiador no qual o objetivo é conectar tubos da mesma cor. São mais de 500 puzzles diferentes disponíveis.

8 – TrainBrain: É um aplicativo que te ajuda a aprimorar o seu reflexo através de cálculos rápidos. Além de conseguir por para funcionar essa parte do seu cérebro, também te classifica entre os melhores de matemática no vestibular, pode ter certeza.

9 – The Room 2: Assim como a 1ª edição é super recomendado para quem gosta do quebra-cabeça físico. É um dispositivo que necessita de muita memória RAM, mas o visual compensa e os ambientes 3D são ótimos.

10 – Fit Brains Trainer: Está entre os aplicativos mais baixados do gênero e tem o foco na aptidão cerebral, produzido por um neuropsicologo dos Estados Unidos, ele pode trazer vários benefícios, como a melhora na memória e o aumento na concentração.

11 – Brain N-Back: Tem desafios que ajudam no aprimoramento da memória e da inteligência. Caso seja iniciante, os benefícios também serão incalculáveis.

12 – MatchUP – Exercite sua Memória: O objetivo é combinar pares de cartas com o menor número de tentativas possíveis e, para tal, suas habilidades de memorização serão colocadas à prova.

13 – Little Things Forever: É um app no qual você precisará procurar e achar objetos. A proposta é explorar mosaicos e deixar seu cérebro preparado.

14 – Apparatus: É um puzzle game com física realista e que vai colocar o seu cérebro para trabalhar. O objetivo é montar estruturas simples para conseguir mover os objetos circulares dos estágios. Você pode criar objetos, desde que eles sejam eficazes.

15 – Threes: Tem design minimalista e um visual simples. É considerado, por muitos sites, como um dos melhores puzzles game portáteis da atualidade. O objetivo é fazer pares números. Ao juntar os 2, eles viram um só e, posteriormente, deve ser juntado à outro.

16 – Logic Games: O game disponibiliza mais de 90 tipos de exercícios mentais para você colocar o seu cérebro para trabalhar. Ao todo, são mais de 5 mil níveis com uma variedade imensa de desafios e um ranking mundial.

17 – Monument Valley: É um jogo mais recente do que os outros e, por enquanto, apenas para iOS. O game indie combina a arquitetura, com um visual bem feito e diversos puzzles. O jogo é curto, mas inteligente.

18 – Elevate: São jogos feitos em parceria com pesquisadores e oferecem treinos personalizados conforme as habilidades em destaque, que o usuário queira desenvolver. Os jogos prometem melhorar a concentração, a memória, a velocidade e as habilidades matemáticas.

19 – Peak: Ao todo são 15 joguinhos oferecidos pela Peak, que podem melhorar o foco, a memória, a agilidade mental e a capacidades de linguagem e de solução de problemas dos usuários, que jogam com regularidade. Também é possível montar uma agenda de treinos.

20 – NeuroNation: São exercícios mentais específicos: memória, concentração ou raciocínio lógico. Conforme desenvolvedores bastam 10 minutos de treinos diários para que os usuários desenvolvam suas habilidades.

21 – Eidetic: O próprio programa diz que não vai desenvolver o seu cérebro, mas sim criar uma habilidade neurológica mais especifica, justamente na memória. Para isso, utiliza-se uma técnica chamada de repetição espaçada.

22 – Happify: Oferece melhoras em faculdades mentais, tornando o usuário mais feliz por meio dos jogos, o que ajuda a evitar maus pensamentos e sempre ver o lado bom das coisas. São atividades breves que tratam de temas como “agradecimento” e “cena serena”.

23 – Take a Break: A ideia é esvaziar a sua mente para permitir que ela funcione. Ou seja, esse aplicativo ajuda na meditação e tem uma versão gratuita que vai de 7 à 13 minutos.

24 – Duolingo: É um aplicativo que dá a possibilidade de você aprender espanhol, francês, alemão, italiano e outros idiomas. Assim, é possível fazer exercícios diários, como escrever uma tradução, conectar palavras ou falar no microfone.

25 – Qranio: É de uma startup brasileira e tem como slogan tornar o aprendizado divertido. Por meio de quizzes online, divididos em categorias, é possível viajar por assuntos como cinema, por exemplo.

26 – Babbel: É uma boa opção para quem quer aprender idioma, também. Ou, pelo menos, melhorar a influência. Ele tem jogos e exercícios de conversão para melhorar seus conhecimentos em inglês, francês, português e italiano.

27 – Brain Test Age: É um game onde é possível realizar atividades e obter um relatório que indica qual a sua idade mental. O foco, porém, é melhorar a memória de curto prazo, com exercícios que incrementam o seu capacidade de se lembrar de eventos recentes.

Aplicativos para treinar o raciocínio lógico de crianças

Fizemos também uma busca para encontrar os melhores aplicativos para as crianças. Todos podem ser jogados em smartphones ou tablets, conforme a idade da criança.

1 – Som Animal: É um aplicativo que mostra fotos e os sons emitidos por animais como cachorro, gato e galinha. O jogo ensina o nome dos animais também na língua inglesa.

2 – ABC do Bita: O foco desse jogo é ensinar o alfabeto de maneira fácil e divertida. Assim, cada criança pode identificar a letra, além das palavras que começam com tais letras.

3 – Jogo Educativo Crianças: É um mix de jogos que focam em cores, números, animais e formas geométricas. Os pequenos também podem optar por jogos típicos da infância, como o de memória, quebra-cabeças ou figuras para pintar.

4 – Matemática Fácil: Auxilia no aprendizado das operações matemáticas simples, como as contas de soma, subtração, multiplicação e divisão. O aplicativo considera também um histórico, com os erros e acertos.

5 – Tabuada de Multiplicar: Tem tabelas de multiplicação, onde ajuda a criança a memorizar a tabuada. É possível também selecionar níveis diferentes para os joguinhos de aprendizagem.

6 – Aprender a Ler: Acontece de duas formas, sendo que a primeira mostra uma palavra e a criança escolhe a figura correspondente e a outra também atua na escrita, fazendo o inverso.

7 – Você Consegue? – Auxilia no aprendizado sobre a tabela periódica, com 4 níveis diferentes para testar o conhecimento na matéria de química.

8 – Pense+: É um aplicativo das provas do Enem, com questões dos anos de 2009 à 2012, somando 735 questões. Ele permite gravar a evolução das notas dos usuários.

9 – Alfabeto Melado: É para crianças em fase de alfabetização, que reforça o ensino do abecedário de forma eficaz. O visual é animado e cheio de figuras, o que ajuda a criança a memorizar as letras e associá-las.

10 – Talking Tom: É um aplicativo já conhecido, que faz bastante sucesso. A sacada é gravar o que a criança fala e repetir isso de forma engraçada, o que pode ser um estimulo aos pequenos.

Com informações da Super, PortaldoHolanda e ManualdoConcurso

5 Curiosidades do Cérebro Humano que Você sempre quis saber
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA