Aprender mais Fácil e Mais Rápido – Apenas para quem Está na Reta Final

1
105

A Etapa Final dos Estudos para uma Prova Difícil sempre gera dúvidas nos estudantes – o melhor é fazer a revisão, resumos, aprender assuntos novos?

A questão central gira em torno do: o que fazer para passar no concurso público? Fizemos uma lista com as verdadeiras chances reais de passar em qualquer prova, confira.

Ao que se sabe, a maior parte dos concurseiros que têm sucesso, estudam na média de 6 meses à 1 ano antes de prestar o tal concurso público.

Esse dado é importante, mas é apenas uma média. Obviamente, se você estudar faltando apenas 1 mês para a prova, fica mais difícil conseguir a tão sonhada vaga.

Além disso, há de se considerar também que para além da conta acima, o aluno também precisa averiguar seu histórico: se já prestou concursos públicos antes, se já estudou esses temas relacionados, se tem um conhecimento de alto nível, se gosta de ler muito, etc.

Essas são perguntas importantes, já que pode selecionar um pouco mais os candidatos. Mas, na real, também podem criar exceções nas regras e não é difícil encontrar histórias de sucessos por quem nunca prestou concursos anteriormente.

Para se ter uma ideia, vale também analisar até mesmo a forma de estudo – se é em um cursinho preparatório, sozinho, com vídeo aulas, apostilas, audiobook…?

Cada pessoa tem o seu perfil próprio para estudo e umas tem mais facilidade do que outras. Isso também é importante, mas não é tudo.

Bom, o que queremos dizer, com essa breve introdução, é que muitas fatores podem e sim influenciam no resultado final do estudante.

Mas, isoladamente, eles não representam números positivos. A grande dica deste artigo é selecionar pontos importantes que te levarão ao sucesso, mas não sem antes analisar o todo.

Você não deve estudar 10 horas por dia, se não tirar uma parte desse tempo para fazer exercícios, com questões de provas anteriores, e por em prática aquilo que aprendeu na teoria. Esse seria um erro fatal.

Assim como não deve estudar 10 horas por dia e não praticar exercícios físicos, que aumentam a potencialização do cérebro, deixando o estudo mais otimizado, mais plausível e mais eficaz.

Entenda que o concurseiro preparado é aquele que consegue “fazer um pouco de tudo”, mas fazer bem feito.

Ele faz exercícios físicos, tem sessões de terapias ou relaxamento, faz exercícios de provas anteriores, aposta em mapas mentais, resumos, resenhas, dorme bem, alimenta-se bem e por aí.

O candidato preparado é aquele que sabe o que quer e tem certeza que o estilo de vida influenciará no resultado final.

Técnicas Aprender mais Fácil e Mais Rápido

Como fazer isso? Acompanhe o restante do artigo!

Em cada tópico teremos uma frase de motivação. Elas são citadas por figuras célebres e ilustres e foram compartilhadas, inicialmente, no site estudareaprender.com. Confira.

Reprodução: Google

Tenha Objetivos Definidos de Estudo

“Comprometa-se com suas metas e encare os obstáculos como etapas para atingir o objetivo final”, Lair Ribeiro.

É mais ou menos assim: se você quer ficar milionário daqui a 10 anos, o que você precisa fazer? Existem várias possibilidades: jogar na loteria, participar de reality shows, poupar dinheiro, investir dinheiro, abrir um comércio, trabalhar muito… Existem várias possibilidades, mesmo.

Se o seu objetivo é passar no concurso público, então, o que você tem feito?

Mas, antes de responder a essa questão, voltaremos um pouco mais: Aliás, para que você está estudando mesmo? Sem metas definidas e verdadeiramente claras, você dificilmente saberá para que rumo está seguindo e quantos passos ainda faltam para chegar ao ápice.

Você precisa mensurar seus resultados – por isso, o objetivo é tão importante.

Qual é o seu objetivo? “Passar em Concurso Público”.

Essa resposta, no entanto, é ampla demais e está, no mínimo, incompleta. Você pode passar em um concurso público em um estado bem distante do seu ou por um salário bastante baixo – isso não deixaria de responder ao seu objetivo… Mas, não era isso que você queria, era?

Vamos tentar de novo: “Qual o seu objetivo”?

Calma, antes de responder de forma definitiva, analise alguns aspectos importantes, que tem que ter na sua resposta, para que ela seja completa:

Específico – quanto mais específico for um objetivo, melhor será. Defina, nesse caso, o cargo público que você quer ocupar, assumindo as funções e os salários.

Mensurável – meça o seu sonho. Você quer ser aprovado e começar a trabalhar daqui a tempo? Isso é importante, afinal de contas.

Qual o seu objetivo? “Atuar como agente da Polícia Federal no concurso que será aberto até o final deste ano, com prazo para nomeação em 2018”.

Ok, agora você venceu, resposta correta!

Ficou claro que definir com exatidão o objetivo é o primeiro passo para conseguir uma aprovação em qualquer prova que seja? – o mesmo vale para vestibulandos que vão prestar provas no final do ano, como o Enem – Exame Nacional do Ensino Médio.

Agora, se você não acredita, procure na internet – pesquisas comprovam que ter um objetivo definido faz com que o cérebro trabalhe de forma mais acentuada e mais exata, evitando gastar energia de forma desnecessária.

Quando você estuda dessa forma, o seu cérebro compreende que a atividade é útil. Basicamente isso. No caso, o gasto de energia é totalmente recompensado.

O objetivo também te faz ter mais foco nos seus estudos, aumentando as chances do sucesso.

Tenha Motivação para Nunca Parar de Estudar

“O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder entusiasmo”, Winston Churchill.

Você já tem um objetivo e isso é fundamentalmente importante. Ótimo. Mas, diga-me: para que você quer passar no concurso público da Polícia Federal neste ano? Definir os motivos que te leva a estudar é um peso que precisa ser somado positivamente.

A pergunta é muito importante no que diz respeito à motivação. Quer ver só?

“Quero passar no concurso público para conseguir dar uma vida melhor e mais segura aos meus filhos, que atualmente estão em fase de desenvolvimento, partindo para a adolescência”.

Isso é bastante convincente, não é? Afinal, quem não quer dar uma vida melhor aos filhos?

E agora, vendo os filhos passaram dificuldades e sabendo que o concurso público poderia gerar resultados diferentes à ele, será que um pai de família não tem motivos suficientes para levar o estudo à sério?

Isso é motivação!

Ou seja, motivação nada mais é do que ter motivos suficientes para conseguir fazer algo ou alcançar um objetivo.

.Ah, você sabe, né, tudo na vida tem um preço. Estudar não é tarefa fácil, não mesmo. Mas, se feito com dedicação e motivação, o resultado logo aparece.

O importante, neste tópico, é observar o quanto é preciso ter motivação para continuar nos estudos, porque ele é cíclico.

O estudante não vai lidar com os números e as letras apenas algumas semanas, alguns dias, algumas horas.

É ao contrário – o estudo é contínuo.

Quando mais estudar, mais o aluno tem que lidar com o estudo. E não estamos falando apenas em disciplinas de editais porque a “atualidade” é inconstante.

Se você acha que melhorar a vida dos filhos não é motivo suficiente, encontre outros que seja. Porque isso é realmente importante para o seu sucesso, que passa, obviamente, pela facilidade em lidar com o estudo.

Estude fácil, estude simples e motive-se a cada dia.

Antes de terminar esse tópico, vale também um adendo: segurança e estabilidade são ótimos motivos para se prestar um concurso público, mas existem muitos outros por trás desse desejo implantado na nossa sociedade.

Se você ainda não conseguiu encontrar sua motivação, veja o vídeo abaixo:

Tenha Bons Hábitos de Estudos

“O que sustenta e equilibra o homem são suas pequenas manias e hábitos”, Clarice Lispector.

Vamos fazer um teste, encontre os 5 últimos concursos públicos do Brasil. Agora, selecione os melhores colocados em cada um deles. Agora, pergunte a eles o que fizeram para conseguir passar no concurso público…

A resposta, na grande maioria das vezes, estará em algo mais ou menos assim: “Estudei todos os dias”.

Essa constância em estudar faz parte do que os especialistas gostam de chamar de “hábitos de estudo”, obviamente, você precisa ter um se quiser chegar aonde eles chegaram.

Falamos um pouco disso no tópico anterior, mas vale reforçar – para ser aprovado em uma prova difícil, como é a de concurso público, você tem que estudar sempre, em um ciclo, rotineiro, constante, habitual. Ou se não, corre o risco de ficar sempre para trás.

Hábitos de Estudos…

O que dizer sobre ele? É bastante complexo para explicar, mas muito fácil e entender: o conhecimento é construído aos poucos, como uma casa. Cada dia de estudo e um tijolo a ser colocado nessa construção. No fim, vence aquela casa que está mais bem estruturada e não a mais bonita.

Nos estudos, você tem que dar um passo de cada vez. Estudar aos poucos. Conhecer os assuntos. Interdiscipliná-los. Entender, verdadeiramente, o que está estudando. Porque é assim. Porque aconteceu assim. O que ocorre.

Na matemática isso é ainda mais comum – se você não sabe a matéria 1, nem adiante ir para a matéria 2. São degraus para uma subida.

A melhor forma de conseguir seguir esse padrão de estudo é estudando diariamente.

A cada novo aprendizado, os neurônios fazem ligações nervosas, que se transformam, que se excitam, que são exercícios cerebrais. Você, de verdade, abre a sua mente, basicamente.

Com o estudo corriqueiro, em poucas palavras, os neurônios se conectam mais rapidamente.

O estudo, assim sendo, fica otimizado. Preste atenção, ele fica otimizado e não automático. Otimizar é o mesmo que conseguir aprender mais fácil, mais rápido, mais brevemente. Já o que fazemos automaticamente, é aquilo que fazemos sem perceber, meio que no instinto. São expressões distintas.

A Mielina é uma substância que facilita o transporte eletro-químico de um neurônio a outro. Para que ela seja ativa, você precisa exercitar o cérebro todos os dias, esse é o grande segredo – ter um hábito de estudos.

Se você tem objetivo, motivos e um hábito de estudos… Já tem grande chance de passar no vestibular ou em qualquer concurso público.

Mas, se quer ter ainda mais condições de conseguir isso, vai precisa otimizar o estudo, memorizar mais os conteúdos, fixar mais as ideias. E isso é possível a partir dos pontos que vamos ditar a seguir.

Tenha um Local de Estudos Organizado

“Com organização e tempo, acha-se o segredo de fazer tudo e bem feito”, Pitágoras.

Quem leva o estudo a sério sabe (ou deveria saber) que o local de estudo funciona exatamente como um ginásio de treinamentos (ou como chamam: Centro de Treinamento) para atletas profissionais.

O que tem lá? Bola, redes, traves, cones, barreiras e todo suporte necessário para que o atleta tenha boas condições de “entrar em campo” no final e semana.

Logo, para o estudante, ter um bom “centro de treinamento” é essencial para tornar o estudo mais simples e mais eficaz. O local de estudo é onde vai ocorrer a preparação para o grande dia.

Assim sendo, “qualquer canto serve” não é a melhor definição para escolher o local de estudo. Claro que ele pode ser simples (muito simples mesmo), mas que seja propicio aos bons aspectos necessários para o aprendizado.

Você já parou para pensar nessa pergunta tão inquietante: “Qual o local de estudos onde eu aprendo mais e mais rápido”?

Para muitas pessoas, na verdade a maioria delas, esse local é aquele que tem a ver com características como: silencioso, escuro e confortável. Nada mais.

Esse ponto, no entanto, é muito pessoal de cada aluno. Mas, dizer que prefere estudar deitado não é uma boa resposta.

Conforme pesquisas e especialistas, o fato de ficar deitado leva à todo tipo de distração, além de propiciar a ideia do “sono”. Sim, na maior parte das vezes, estudar deitado dá sono.

Independente de como seja o seu local de estudo, queremos que neste tópico você entenda a importância de como isso vai influenciar no seu dia a dia.

O cérebro, como você já sabe, capta tudo que está ao seu redor – pelos sentidos. Se o seu local de estudos é bem definido, ele já saber quando é hora de focar nos livros.

Claramente percebe-se que lugares que não são indicados ou adequados ao aprendizado podem prejudicar a concentração e a memorização.

Conforme estudos, a “queda de produção” é de 20% no desempenho dos estudos. Essa porcentagem é suficiente para você ser selecionada para uma das vagas, sabia?

Saiba quanto Tempo Estudar por Dia

“Perder tempo em aprender coisas que não interessem, priva-nos de descobrir coisas interessantes”, Carlos Drummond de Andrade.

Falamos bastante sobre estudar neste artigo, inclusive sobre o local de estudos.

Também falamos que estudar 10 horas por dia, ainda que seja um volume representativo, não é o ideal se você não souber fazer isso da forma certa – com um tempo determinado para a execução de exercícios.

Aí, fica uma grande dúvida: qual o tempo certo para estudar? 2 horas? 4 horas? 6 horas? 8 horas?

A resposta é individual de cada estudante. Portanto, nunca se deve ficar preocupado com quem está estudando quanto. Pedrinho pode levar 2 horas, enquanto Zequinha levará 6 horas para aprender o mesmo assunto.

No final das contas, literalmente, o que vale mais é otimizar o seu tempo de estudo focando sempre na qualidade do aprendizado. Se você demora 5 horas para ler um texto, pode aprender a fazer isso, SEM PERDER A QUALIDADE, lendo em apenas 3.

Há pesquisas que comprovam isso – tal como a Técnica da Leitura Dinâmica.

Já o Joãozinho, chegou na sala de aula avisando que estudou mais de 12 horas nesse fim de semana. Isso prova que ele teve um bom aproveitamento dos estudos? Claro que não.

Porque, pode ser que desse tempo total, a maior parte ele ficou distraído com o Facebook e a cabeça nas nuvens.

Ser inteligente, nesse caso, seria estudar 3 horas bem estudadas, focado com concentração no que estava fazendo. E ocupar as outras 9 horas para outros fins, como viajar na internet, brincar com o cachorro, jogar palavras cruzadas, caminhar.

Isso tudo faria com que o aproveitamento fosse bem maior – é a otimização de tempo.

Evite se perguntar: quantas horas eu estudei hoje e tente focar no: quanto eu aprendi hoje?

O contrário também vale, não é? Estudar apenas 3 horas, mas ficar a maior parte desse tempo focado em outros problemas, como os pessoais, só vai te distanciar do seu objetivo.

Aprender mais facilmente só é possível quando existe foco, concentração, motivação.

Existem várias técnicas que pode te ajudar nesses casos. Por exemplo, se você tem problema de concentração, pode fazer testes para descobrir o que te tira esse foco? Seria o cachorro latindo? O Facebook aberto? A ansiedade para a prova final?

Todas as questões tem um “tratamento específico”, que é feito com técnicas naturais, pessoais, sistemáticas e que resolvem o problema.

Para a ansiedade por exemplo, recomenda-se 3 doses semanais de exercícios de relaxamento, como acupuntura, ioga e outros. Para o cachorro latindo, o ideal é tentar mudar o local de estudo. E assim por diante.

Tenha um Cronograma de Estudos Real

“Se você falha em planejar, está planejando falhar”, Benjamin Franklin.

Um cronograma de estudos é aquela planilha de disciplinas e matérias que precisa ser seguido. Esse planejamento nada mais é do que uma forma de organizar o estudo e traz benefícios para além do conhecimento, apostando em itens como a qualidade de vida.

Esse cronograma permite, por exemplo, evitar o estresse. Porque, veja bem, quando o aluno tem um cronograma bem feito e o segue, então, não tem que ficar pensando, posteriormente, coisas do tipo: “eu deveria ter estudo mais”, “deveria ter ficado estudando no feriado”, etc.

Esse mesmo planejamento vai permitir também criar um tempo para cada atividade, cada disciplina, separando-as por ordem de importância.

O ideal, assim sendo, é anotar tudo que for possível, inclusive, fórmulas, matérias e datas. Se você já tem consciência disso, resta seguir o seu estudo conforme seu perfil.

Como você vai estudar também é importante, levando em conta que não existe um método perfeito ou infalível, ao passo que o foco deve sempre ser a otimização, que aumenta a eficiência do estudo.

Estudar menos e aprender mais – essa é a grande questão a ser pensada.

Não vamos citar todos porque não teríamos espaço suficiente, mas há de se pensar que a revisão é um dos melhores métodos de estudo e que deve ser seguido diariamente.

Se você ainda não notou, com ela conseguimos otimizar o tempo e “relembrar” assuntos já estudos, o que é uma “mão na roda” para a memorização de conteúdos.

Como fazer a revisão já é outro questionamento a ser levado em conta. Existem várias fórmulas para chegar nesse consenso, mas vamos citar aqui apenas um, do psicólogo Tony Buzan, que diz que o correto é fazer a revisão de forma periódica, da seguinte maneira:

  • No dia, após 10 minutos de ter estudado,
  • 24 horas após estudar,
  • 1 semana após estudar,
  • Após 1 mês de ter estudado,
  • Após 6 meses do estudo.

Dessa forma é possível aumentar a memorização das matérias, o que é importante na otimização do estudo, que, por sua vez, é importante para o sucesso na hora da prova.

Leve em conta que quanto mais você estuda, mais você aprende. Seguindo esses passos aqui citados, com certeza, o sucesso virá com o tempo – o final é a aprovação em qualquer concurso público.

Com informações do estudareaprender e lfg

Aprender mais Fácil e Mais Rápido – Apenas para quem Está na Reta Final
5 (100%) 1 vote

1 COMENTÁRIO

  1. Quando comecei a estudar não sabia quais eram meus objetivos, por isso não conseguia ir bem nas provas. Depois de um tempo comecei a pegar “macetes” e criar objetivos. Esse foi um passo importante para minha aprovação. E o concurseiro bem preparado realmente é aquele que faz um pouco de tudo, mas faz bem feito.

DEIXE UMA RESPOSTA

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.