8 Maneiras para Memorizar Qualquer Coisa que Estudar

1
40

Segundo uma pesquisa feita pelo G1, 10% das pessoas tem dificuldade para decorar números de telefone, 15% para lembrar o nome das pessoas, 4% para guardar datas importantes, 31% para fazer contas de cabeça e 34% para lembrar aonde deixou algum objeto (como chaves). Enquanto que apenas 6% dos pesquisados disseram não ter nenhum problema de memória. Então, esquecer “das coisas” não é algo incomum.

Mas, até que ponto isso pode influenciar nos estudos? Afinal, como usar o poder da memória para sair na frente de outros concorrentes em um concurso público mega concorrido, por exemplo? Aliás, isso é possível? As técnicas de memorização realmente funcionam? É sobre isso (e muito mais) que vamos falar hoje. Acompanhe!

Uma pesquisa da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, mostrou que o cérebro humano insere fragmentos do presente em lembranças do passado. O que isso quer dizer? Que a memória se atualiza conforme vamos vivenciando novas experiências.

“Quando você pensa no momento em que conheceu seu parceiro atual, pode se lembrar de um sentimento de amor e euforia, mais isso talvez seja uma projeção de seus sentimentos atuais”, afirma Donna Jo Bridge, pesquisa de medicina da universidade e autora da pesquisa, que foi publicada, inicialmente, no Journal of Neuroscience.

3 Dicas Matadoras de Como Passar em Concursos Abertos em 2017: Com a atual crise política e econômica no Brasil, os concursos públicos foram colocados em “xeque”, ou seja, com a incerteza no ar, muitos analistas afirmaram que neste ano muitos concursos esperados seriam suspensos. Por enquanto, mesmo que ainda seja cedo para comentar, já estamos vendo que isso não está acontecendo, de fato. Leia Mais!

Reprodução: Google

A pesquisadora afirma que as memórias se adaptam à um ambiente em constante mudança para nos ajudar a lidar com o que é importante a cada momento. “Nossa memória é construída para ser atual”.

Para pensar: se a memória se atualiza com as novas experiências, como explicar os “brancos” que acontecem durante as provas? Tais brancos, muitas vezes, acontecem mesmo que tenhamos estudado o tema e, a principio, deveríamos saber a resposta.

Antes de continuar, vamos definir o que é memória e, a partir desse significado, seguiremos à diante com o texto. Segundo a Dra. Silvia Helena Cardoso, a memória “é uma faculdade cognitiva extremamente importante porque ela forma a base para a aprendizagem. Se não houvesse uma forma de armazenamento mental de representações do passado, não teríamos uma solução para tirar proveito da experiência”.

E continua: “Assim, a memória envolve um complexo mecanismo que abrange o arquivo e a recuperação de experiências, portanto, está intimamente associada à aprendizagem, que é a habilidade de mudarmos o nosso comportamento através das experiências que foram armazenadas na memória. Em outras palavras, a aprendizagem é a aquisição de novos conhecimentos e a memória é a retenção daqueles conhecimentos aprendidos”.

Bem visto, se você é estudante já notou o quão é importante saber usar a memória à seu favor, não é? Manter a memória “saudável” é fundamental para que você consiga compreender e fixar o conteúdo da informação. Ao longo do texto vamos dar dicas de como você pode “treinar”, “estimular” e “usar” a sua memória à seu favor durante o estudo. Mas, antes, vamos continuar um pouco mais na teoria!

Reprodução: Google

Tipos de Memória

Os neurocientistas definem 2 tipos de memória e cada uma é responsável por ações especificas e ficam em áreas distintas do cérebro.

  1. A Memória de Procedimentos é a das ações, aquelas corriqueiras, cotidianas. Em termos, você não sabe sobre ela, mas a utiliza o tempo todo. Alguns pesquisadores a chama de Memória dos Hábitos porque é designada aos fatos de escovar os dentes, pentear os cabelos e andar de bicicleta.
  2. A segunda é a Memória Declarativa, que é aquela que evoca ações, ou seja, é quando você “busca” no consciente algum fato ou número. É justamente essa que você vai utilizar nos estudos.

Essa memória usada nos estudos também é dividida em categorias:

A Memória de Curto Prazo é a que age quando o conhecimento está sendo adquirido, assim, ela ainda, de fato, não foi armazenada. Já a Memória de Longo Prazo é aquela que foi armazenada da de Curto Prazo. Esse processo de passagem de uma memória para outra é chamado de consolidação. E Erick Kandel, afirmou que: “Experiências repetidas convertem memória de curto prazo em memória de longo prazo”.

Com isso, você, estudante, precisa consolidar as informações que estuda para que elas sejam armazenadas na Memória de Longo Prazo. Estudar com atenção, praticar e revisar são os principais para que isso aconteça.

Leitura Dinâmica, Como Funciona?

Outros pesquisadores definem também uma 4ª memória, a Memória de Trabalho. É aquela que usamos enquanto ela nos é útil, sendo que o objetivo dela não é, de fato, a memorização, mas um armazenamento de informação ligada especificamente à realização de uma tarefa.

Estudiosos da Memória

Hermann Ebbinghaus foi um dos primeiros estudiosos a realizar pesquisas experimentais sobre a memória, isso no final do século 19. Depois, Frederic Bartlett, trabalhou com formas, fotografias, figuras e objetos para falar do processo de evocação ou reconstrução também acerca da memória. Já Sigmund Freud, estudou o fenômeno do esquecimento, como caráter inconsciente.

Desde então novas teorias foram sendo criada sobre a memória e o processamento da informação. Uma teoria moderna, inclusive, fala sobre os processos básicos da memória, tais como a codificação da informação, o armazenamento e a recuperação.

Também na era moderna, os psicólogos e especialistas agruparam algumas regras que determinam alguns elementos lógicos para a fixação do conteúdo, através da memória, são eles: organização hierárquica da informação, correlação entre os elementos,

3 Motivos dos Esquecimentos

A teoria está aí e agora, na prática, você, provavelmente, quer saber por que esquece de algumas informações que julga importante em momentos que também são importantes, não é? Bom, listamos alguns motivos, conforme os especialistas e as pesquisas, veja!

Reprodução: Google
  1. Desuso: É quase que o mesmo principio usado por Lamarck para explicar a ciência e a história do mundo. É quando você estuda o conteúdo apenas uma vez, sem continuidade. São raras as pessoas que estudam uma única vez e consegue memorizar o conteúdo todo. Dica: Revisar informações periodicamente e resolver exercícios sobre os conteúdos.
  2. Novo Aprendizado: Sim, um novo aprendizado interfere. As novas conexões podem tornar as antigas obsoletas e para evitar isso é preciso mesclar as informações, novas e antigas. Dica: Sempre revista materiais antigos, além dos novos.
  3. Interesse: Se você não gosta de estudar, já é um motivo para não ter facilidade em memorizar conteúdos. Isso se deve à fatores bioquímicos. Dica: Mude a forma como vê os estudos.

E a perda de memória, ela pode ocorrer? E como?

Para Maria Aparecida Camargos Bicalho, da Faculdade de Medicina da UFMG, a memória de curto prazo é a capacidade de reter um número limitado de informações. E isso está ligado à 3 fatores: atenção, humor e sono. Com a ajuda dela, trouxemos 4 fatores que podem alterar esses fatores e, consequentemente, contribuir com a perda da memória.

1 – O Uso de Drogas, tais como as bebidas alcoólicas e a maconha, podem fazer com que você se esqueça de coisas que estava para dizer, por exemplo. Elas causam prejuízo principalmente na memória de curto prazo, afetando, inclusive a consciência. Em casos mais sérios pode acontecer os distúrbios na neurotransmissão cerebral, o que dificulta a retenção da lembrança.

2 – Alguns cientistas já reconheceram que o Estresse é uma das principais causas da perda da memória recente. A exposição às neurotoxinas pode causar alteração no sistema nervoso, resultando em uma atrofia da estrutura onde as memórias se originam, ou seja, no hipocampo.

3 – O uso de medicamentos que agem diretamente no sistema nervoso central pode afetar as suas lembranças. São vários motivos: mudança de neurotransmissão, diminuição da consciência e liberação de neurotoxinas.

4 – Doenças Graves, como insuficiência cardíaca ou doença renal crônica, também podem causar problemas na memória de curto prazo, já que provocam redução do sensório e da circulação cerebral. A apneia obstrutiva do sono também é outra doença, só que crônica, e é caracterizada pelo bloqueio parcial das vias respiratórias, o que afeta a atenção do individuo.

O período do sono e de vigília tem um padrão, conhecido como circadiano. Algumas pessoas, porém, podem ter alterações nesse ciclo, o que causa a insônia e a sonolência. É como a apneia e também pode afetar a memória. As doenças psiquiátricas, como o transtorno de ansiedade e depressão, também podem causar perda de memória porque afetam o sistema nervoso.

O que o Estresse e a Ansiedade têm a ver com a Memorização?

Calma, vamos explicar: eles não interferem na memória propriamente dita, mas forçam os chamados “brancos”, isso porque sua atenção, que é a porta de entrada da memorização, fica fechada. Pesquisas já comprovaram que “o elevado nível de cortisol provoca um bloqueio em sua memória, impossibilitando o resgate de uma determinada informação”.

O Cortisol é uma hormona corticosteróide da família dos esteróides, produzido pela parte superior da glândula supra-renal (no córtex suprarrenal, porção fasciculada ou média) diretamente envolvido na resposta ao estresse. Sua forma sintética, chamada de hidrocortisona, é um anti-inflamatório usado principalmente no combate às alergias, a artrite reumatóide (Britannica) e alguns tipos de cancro. O nome cortisol, deriva de córtex. Saiba Mais!

O Centro Internacional de Neurociência de um hospital de Brasília revelou algumas ligações entre a ansiedade e a memória. E tudo começou quando notaram que muitos adultos se queixavam de problemas de memória. Então, através de ressonâncias magnéticas, foi comprovada uma evidencia acerca da ansiedade e da calma.

O contrário também vale! Se você teve um “branco” pode tentar “desbloquear” esse efeito controlando alguns passos.

  • Relaxe: Tente focar em algo que acalme a sua mente. Imagine, por exemplo, um lugar tranquilo e foque nisso por alguns instantes.
  • Pistas: Depois, tente verificar as pistas e, para isso, confie na sua memória.
  • Relacione: Tente linkar as pistas que chegaram ao seu pensamento com algo que vai te levar àquilo que, de fato, foi esquecido.
  • Esqueça: Se, depois disso, não surgiu efeito, pule para a próxima pergunta. Aliás, o tempo, nesses casos, é muito precioso.

Oposto à ansiedade também, está a meditação, que é considerada um santo remédio, segundo os médicos. “Cérebro descansado é cérebro econômico e mais eficiente. E uma coisa puxa a outra: a vida fica menos estressante”.

7 Maneiras para Treinar a Memorização quando for Estudar

No texto, prometemos que íamos dar algumas dicas para melhorar a sua memória, e aqui estão elas! A capacidade de armazenar conteúdo está ligado, intrinsecamente, com a saúde do cérebro. Abaixo vamos citar algumas características para ter uma boa memória, mas para antecipar, podemos exemplificar falando de uma pessoa que sofre de insônia, logo, ela tem dificuldade na concentração e, por fim, provavelmente, terá problemas de esquecimento.

Reprodução: Google
  1. Concentração: Essa é a porta de entrada para fixar conteúdos. Para isso, estude visualizando o que você lê: observe as letras, a ação e o objeto.
  2. Alimentação Adequada: Quando for comer, principalmente antes do estudo, evite alimentos pesados, eles são grandes vilões na concentração. Prefira alimentos que tenham vitaminas, como B12 e Tiamina.
  3. Sono: Não troque uma boa noite de sono, isso é fundamental. Aliás, nem estudar com sono é bom porque você perde o poder de concentração e de fixação do conteúdo. Porém, estudar antes de dormir é aconselhável. Então, a dica é tente manter uma boa noite de sono TODOS OS DIAS.
  4. Relaxamento: Relaxe! Na hora do estudo, antes e depois. Na hora da prova, antes e depois. Na hora de dormir, antes e depois. Relaxe sempre e leve isso em consideração!
  5. Mnemotecnia: É uma arma altamente benéfica. Dê cores e significados às coisas, faça anotações, acrósticos, desenhos… Quando você imagina, a memorização fica mais fácil de ser concretizada. Você pode usar a imaginação e criar o que quiser, desde que facilite para você. Uma das técnicas é ler em voz alta.
  6. Planejamento: Planeje e faça um cronograma do seu estudo. Já está mais do que comprovado que os alunos que estudam metodicamente, nos mesmos lugares e frequentemente, aprendem mais. No entanto, é preciso criar sessões regulares de pausas para que o conteúdo seja, de fato, fixado.
  7. Comece pelo mais fácil: A ordem de informação é importante também, comece pelo mais fácil e vá avançando. Conforme você compreende uma coisa, vale pular para outro assunto mais complexo, feito os degraus de uma escada.

Informação Extra: A prática de outros exercícios pode estimular, também, o bom funcionamento do cérebro e da memória. Entre esses exercícios está o Xadrez, que é considerado uma prática de raciocínio lógico.

As 7 Melhores Dicas de Memorização para Ser Aprovado Ainda Esse Ano

A questão não é a quantidade do seu estudo que vai fazer você obter êxito durante as provas, e sim a qualidade dele. É clichê, é chavão, é o que todo mundo… Mas é verdade. Para isso, é preciso entender que: é melhor estudar apenas 2 horas por dia de forma eficiente do que ficar o dia todo estudando com pouca porcentagem de absorção do conteúdo.

Por que as pessoas não conseguem ser aprovadas em Concursos Públicos?

Se no mundo dos negócios, tempo é dinheiro, aqui, podemos dizer que tempo perdido é um ponto a menos na prova. Sabendo disso e com o intuito de auxiliar os candidatos, vamos dar dicas sobre como fixar o conteúdo estudado e resolver, de vez, esse problema. Separamos o artigo em tópicos, leia!

E o sonho, o que tem a ver com a memória?

Para Anete Ferraz, do departamento de fisiologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o “excesso de informações, preocupações e responsabilidades pode exercer um efeito amnésico”. Com isso, os sonhos seriam “uma expressão de memórias, em que estas estão embaralhadas ou acessadas por mecanismos diferentes dos da vigília e formam novas composições de memórias, uma mistura das anteriores”.

Para cientistas das Universidades McGill, no Canadá, e de Berna, na Suíça, o sono é o momento em que consolidamos nossas memórias. Para eles, os sonhos são um efeito colateral dos processos de manutenção executados pelo cérebro durante a noite, entre os quais, podem estar a consolidação das memórias mais relevantes.

8 Técnicas Matadoras para Memorizar Qualquer Coisa que for Estudar

O 1º brasileiro a receber homologação oficial de Melhor Memória do Brasil pelo Guinness Book é o Renato Alves, que diz que o excesso de estímulos não é a única razão pela qual estamos ficando cada vez mais esquecidos. (Veja a biografia de Renato Alves).

Saiba quais são os 4 erros graves no estudo!

“Quem nunca teve um HD de computador queimado com todos aqueles documentos, fotos, arquivos importantes, ou um celular sem bateria quando precisava consultar urgentemente um contato”, ele diz.

Para ele, o ideal é usar o método mnemônico, ou seja, sem exigir muitas horas de treinamento ou associações acrobáticas. Abaixo, reunimos 8 técnicas que facilitam a memorização de fatos, nomes, datas e outros elementos. Confira!

  1. Construa um palácio da memória,
  2. Invente acrônimos, acrósticos e encadeamentos,
  3. Faça conexões entre informações novas e velhas,
  4. Explore o seu próprio humor,
  5. Aposte em associações visuais,
  6. Escreva o que você precisa lembrar,
  7. Reflita por 15 minutos e alimente um diário,
  8. Repita, Repita e Repita.

Leia abaixo, agora, algumas notícias interessantes sobre a memória!

Chocolate e Café: Cientistas da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, comprovaram que o cacau influencia na melhora da memória humana. Ainda não se sabe ao certo as razões, porém, o flavanol consegue melhorar as conexões do cérebro.  Já o neurocientista Michael Yassa, da Universidade da Califórnia, descobriu que a cafeína pode ajudar no processo de consolidação da memória, ou seja, melhora a memória de longo prazo.

Jabuti: Outro estudo, dessa vez da Universidade Lincoln, no Reino Unido, revelou que os Jabutis podem se lembrar por até 18 meses o local exato de uma fonte importante de comida. A memória tem informações detalhadas, como a quantidade e qualidade da comida.

Princesa Leia: Ela é famoso no filme Star Wars, mas foi com pesquisadores que recebeu uma homenagem importante. A “Princess Leia brainwaves” é a nomenclatura dada às ondas elétricas da atividade cerebral que circulam em torno do cérebro, descobertas por cientistas do The Salk Institute, na Califórnia.

Mitologia: A Mnemósine (memória) foi a deusa escolhida por Zeus para ser a mãe das musas do conhecimento: Calíope (poesia), Clio (história), Polímnia (retórica), Euterpe (música), Terpsícore (dança), Érato (lírica coral), Melpômene (tragédia), Tália (comédia) e Urânia (astronomia).

Reprodução: Google

Segundo os escritos de Paros, descobertos no século 17, o poeta grego Simônides era um especialista em memorizar sendo que, após um desmoronamento durante um banquete, ele identificou os corpos das vítimas lembrando do local onde cada uma estava sentada. Já na Idade Média, a memória era usada para fixar nomes dos reis e dos períodos.

Leitura Complementar: 7 Dicas Infalíveis para Memorizar Textos

Se você está acompanhando nosso site, está aprendendo bastante sobre como potencializar o seu estudo e memorizar tudo o que precisa saber para ser aprovado em um Concurso.

Neste texto, eu quero compartilhar com você 7 dicas infalíveis para memorizar textos, que se você colocar em prática, vão mudar completamente a forma como você retém as informações.

Vou ir direto ao assunto e colocar exemplos para que você possa praticar também. Assim, você poderá desenvolver bastante as suas habilidades.

Estas dicas podem ser usadas tanto para memorizar textos, quanto para memorizar acontecimentos do seu cotidiano.

O que eu vou dizer para você, são estratégias muito simples de Decodificação de fatos, que irão fazer com que você leve as informações que observar, da sua memória de curto prazo, para a memória de longo prazo.

Embora estas 7 dicas sejam infalíveis para memorizar textos, você muito provavelmente não conseguia memorizar antes, porque fazia isto sem estratégia.

Leia o artigo completo!

Com informações da Abril e G1

8 Maneiras para Memorizar Qualquer Coisa que Estudar
5 (100%) 1 vote