3 Maneiras Infalíveis para ser Aprovado no Concurso do Banco do Brasil em 2017

0
49

O Salário Base de um funcionário do Banco do Brasil é de 2,5 mil reais, com auxílio alimentação de 650 reais e auxílio cultura no valor de 50 reais. Assim, o salário médio de 3,6 mil reais. Os funcionários têm a possibilidade de ascensão profissional, participação nos lucros e resultados, vale-transporte e auxílios (creche, planos de saúde, entre outros). Ao todo são trabalhos que envolvem apenas 30 horas semanais. Esses são alguns dos motivos que faz com que o Concurso do Banco do Brasil seja tão disputado no país.

Segundo uma pesquisa da Universum Communcations, consultora sueca, o banco está entre os 3 órgãos mais disputados do país para se trabalhar.

Por isso, produzimos esse artigo com tanto carinho. É sério, vale a pena ler: pesquisamos todos os números e todas as melhores dicas para você conseguir o sucesso que poucos conseguem que é o de ser concursado no Banco do Brasil. Separamos tudo em tópicos: vamos contar um pouco da história, dar um exemplo que é de emocionar, mostrar quais as perspectivas para 2017 e dar o passo a passo para você mandar bem.

Não perca mais tempo, leia agora!

Breve Histórico sobre a procura por Concursos Bancários

Desde quando éramos pequenos, já ouvíamos (muito) as pessoas mais velhas comentarem sobre os Concursos. Um deles que sempre foi alvo de muito entusiasmo era os referentes aos Bancos ou então, como eram chamados, Instituições Financeiras. Mesmo em obras literárias de décadas passadas é possível encontrar alguns dizeres que são mais ou menos assim: “Ele era um homem de sucesso, inclusive, trabalhava no banco”.

3 Dicas Matadoras de Como Passar em Concursos Abertos em 2017

Mas, por que será que essa fama dos profissionais dos bancos sempre foi tão positiva?

A primeira e mais simples resposta é que os bancos sempre foram instituições financeiras ricas, afinal, sempre trabalharam com dinheiro e dinheiro faz dinheiro. Sendo assim, a cada ano novo, elas se tornam companhias em crescentes evoluções, tanto em termos monetários quanto em importância humana. Os bancos, a principio, eram organizadores do dinheiro e tinham a missão de “guardar” a sua riqueza.

O Banco do Brasil, por exemplo, foi criado em 1808 por alvará do príncipe-regente Dom João de Bragança (que se tornaria o Rei Dom João VI) e foi a 1ª Instituição Financeira a operar no Brasil e em todo Império Português. Na época, o papel do banco era de fomentar a criação de indústrias manufatureiras.

Até 1964, com a criação do Banco Central, o BB era uma instituição supra importante, responsável, entre outras coisas, pela emissão da moeda nacional.

Atualmente, a realidade vai muito além e os bancos tornaram empresas altamente lucrativas. Ok. Chega de falar dos bancos e vamos falar dos profissionais de lá. Por que as pessoas querem tanto passar nos concursos dos bancos? As vantagens são inúmeras, a começar pelo fato justo de ser um Concurso, que sugere, logo de cara, uma estabilidade profissional, um bom salário e uma flexibilidade de horas trabalhadas.

Depois que, esses profissionais, têm diversos benefícios além daqueles igualitários aos servidores concursados, como, por exemplo, o aprovado terá direito à aproveitar uma AABB na mais variadas regiões do país para aproveitar o final de semana ou as férias. AABB é uma grande Associação do Banco do Brasil destinada aos funcionários, que dispõe de áreas de lazer, eventos, clubes, entre outros itens.

Outro ponto benéfico para aqueles que conseguem uma vaga nos bancos é o fato de ter flexibilidade de áreas para o trabalho. Ou seja, não é porque o banco funciona como um administrador do dinheiro que apenas contadores e contabilistas poderão trabalhar lá. As áreas jurídicas e administrativas, inclusive, são as mais concorridas nos concursos.

Outro fator interessante disponibilizado pelos bancos à seus funcionários são os “descontos” em aplicações e previdências privadas. Sendo que, em alguns casos, os servidores podem sair da instituição com a soma de 3 aposentadorias: Previdência Social, Previdência Privada e um investimento que terá uma taxa de administração muito baixa.

Reprodução: Google

Entre tantos outros itens, vamos terminar com 2: a participação nos lucros do banco, chamado de PLR, que acontece, inclusive, duas vezes ao ano; e o auxílio à participação em cursos e faculdades.

Bom, a introdução não foi tão modesta assim, porém, fez-se necessária para explicar o fato de que o Concurso Público do Banco do Brasil é uma das provas mais concorridas do país nos dias atuais. Agora, que já está mais do que provado o porquê de ser tão concorrido, vamos mostrar como é possível Passar no Concurso do Banco do Brasil. E, para além, como contra provas não há argumentos, vamos citar uma história relatada pela Rede Globo em 2013, que conta a história de um morador de rua que passou nesse concurso, o qual estamos falando nesse texto. Acompanhe!

Ubirajara Gomes, ex-morador de rua, atinge o sucesso e é aprovado em Concurso Público do Banco do Brasil. Descubra como isso foi possível…

“Tem gente que estudo anos a fio. Tem gente com diploma. O Ubirajara fez uma façanha e foi o primeiro. Vamos ter, com certeza, outras histórias de superação e de força de vontade, que, afinal, é um quesito importante para os concurseiros”, afirmou Marcela Alves, coordenadora pedagógica de cursos preparatórios.

Essa é a justificativa principal para o êxito do ex-morador de rua que foi aprovado em um Concurso Nacional muito disputado: o do Banco do Brasil. Naquele ano, mais de 240 mil candidatos foram inscritos e no dia da posse, o destaque do Banco emocionou muita gente: “Para mim, eu nasci agora, com 27 anos de idade. Minha vida é de agora em diante”, afirmou Bira, como é chamado carinhosamente.

Como ele conseguiu isto? Bem, é simples! Ele acertou muitas questões, como é necessário fazer: “Tinha 150 questões, eu acertei 116”. Mas, como? “Eu sempre tive fé e mesmo morando na rua durante 12 anos, eu ia para a biblioteca pública todos os dias e lá ficava, das 9 horas até ás 17 horas e 30 minutos”, ele mostra o caminho das pedras.

E continua: “Eu ia estudar e ficava tomando cafezinho e água para passar a fome. Passei muita fome. Eu tentava não pensar nisso. Tomava água para não desidratar e café para enganar o estômago. Eu não gostava de pedir porque as pessoas não entendiam, pensavam que eu pedia porque não queria trabalhar. Mas, eu não tinha trabalho”.

Vale a pena estudar para concurso público? 7 Verdades sobre eles

Você não está acreditando nessa história? Alguns moradores de Recife podem comprovar e um deles é Carlos Eduardo Monteiro: “Eu via a situação dele. Ele era muito magro. Às vezes, quando nos encontrávamos, eu sempre o chamava para almoçar. Sempre que me via, ele ficava feliz porque sabia que comeria alguma coisa”.

Outro Bira é o Ubirajara Cavalero, gerente-geral do Banco do Brasil naquela época. “Ele traz uma grande responsabilidade consigo. A vida que ele levou e esse conhecimento que ele traz na bagagem vão incentivar todo funcionalismo”.

Vamos finalizar esse tópico antes que as lágrimas comecem a escorrer, afinal, esse texto é para te incentivar e mostrar COMO ter o mesmo feito de Bira e obter sucesso no Concurso do Banco do Brasil. Para isso, vamos terminar com uma fala e um ensinamento do ex-morador de rua:

“Eu sempre gostei de ler, desde criança. Eu queria uma coisa melhor. E se eu queria uma coisa melhor, tinha que estudar. Você tem que brincar. Sempre fui sonhador. Então, acreditava nos meus sonhos. Não achava que seria longe demais para mim. Ainda não cheguei aonde queria. Quero fazer uma faculdade, ter uma família, montar o meu negócio. Quero um diploma de administração, ciências contábeis ou economia. Gostaria de transmitir à todos que nada está perdido. Lute pelo que você acredita que um dia você chega lá. Pode demorar um pouco, mas chega”.

Números atualizados sobre o Concurso do Banco do Brasil em 2017

Para 2017 é previsto concursos do Banco do Brasil em 15 estados brasileiros: Rio de janeiro, Amazonas, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, São Paulo, Goiás, Distrito Federal, Tocantins, Minas Gerais, Mato Groso do Sul e Pará. No entanto, conforme opinião dos especialistas é provável que o banco faça um concurso único para todos os estados de uma só vez, em uma única data.

Reprodução: Google

“MAS, e a recente reestruturação do banco, que teve um plano enorme de demissão voluntária, incentivos de aposentadoria por parte dos funcionários e, inclusive, o fechamento de agências”?, você pode estar se perguntando, e com toda razão. Para acalmar os seus ânimos, a resposta é positivo, vai haver concurso do Banco do Brasil, conforme comunicado do presidente da instituição.

Carlos Rogério Caffarelli não descarta a realização de concursos, mesmo porque, segundo ele, o banco tem uma saída média de 2 mil funcionários por ano, o que garante a necessidade de novos profissionais para os cargos em aberto.

Isso sem contar ainda com o fato de que, em 2015, um processo judicial da 20ª Vara do Trabalho em Brasília decretou que os concursos do Banco do Brasil devessem sempre indicar um número de vagas á serem preenchidas durante a vigência do mesmo, impedindo os processos com a finalidade apenas de Cadastro Reserva.

Ainda não sabe o que é o “Cadastro Reserva”? Leia:

40 Curiosidades sobre os Concursos Públicos que farão você obter melhores resultados e ser aprovado!

Agora, se você quer falar em termos de grandiosidade, saiba que o Banco do Brasil, mesmo com fechamentos, tem mais de 5 mil agências em todo território nacional, sendo mais de 100 mil funcionários e um faturamento básico de 200 bilhões de reais por ano, com valor de mercado de 80 bilhões de reais.

Últimos Concursos do Banco do Brasil

O último concurso aconteceu em setembro de 2015 e ofertou 860 vagas, sendo 95 para início imediato e 765 como Cadastro Reserva para escriturários, com foco nos estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Na época, mais de 153,2 mil pessoas foram inscritas, gerando uma demanda de 178 candidatos por vaga.

No mesmo ano, em março, também aconteceu um concurso com 2,5 mil vagas e uma relação de candidato por vaga de 214 pessoas, sendo que o total de inscritos foi de 535 mil pessoas, que tinha, além do mais, idade média de 25 anos. Vale lembrar que o cargo de escriturário é um dos mais concorridos e exige o nível médio completo e oferece um salário de 2,5 mil reais.

Agora, vamos falar sobre o cargo de Escriturário, que tem várias funções importantes, tais como comercializar os serviços e produtos da instituição, atender ao público e atuar no caixa quando necessário, fazer contato com clientes, prestar informações aos usuários, conferir relatórios e documentos, atualizar dados no sistema e executar conteúdos de ocupação do cargo.

Normalmente, um escriturário ingressa como atendente ou nos caixas, e com o tempo, acaba conhecendo as outras funções para implementar o bom funcionamento do órgão. Esse é, normalmente, o primeiro passo para se tornar o gerente de um banco.

Antes de Continuar falando sobre o Banco do Brasil, vamos abrir uma aspa para falar do Concurso da Caixa Econômica Federal!

A Caixa Econômica Federal foi criada em 1861 pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), através do Programa de Integração Social (PIS), pelo Seguro Desemprego. O banco, hoje, exerce papel no desenvolvimento urbano e na justiça social, tendo como objetivo os programas de habitação, infraestrutura e prestação de serviços.

Possui, ao todo, mais de 97 mil empregados públicos em todo país e, para o presidente da Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apecef), é preciso uma demanda de 2 mil funcionários para suprir a demanda do atendimento, apenas no Rio de Janeiro.

Para 2017 há uma GRANDE expectativa de abertura de edital do concurso, isso porque, após o anúncio de um plano de demissão voluntário com o objetivo de enxugar o quadro de funcionários, foi visto que a contratação de novos profissionais é uma reivindicação dos servidores e dos sindicatos da categoria, visto, principalmente, que, nos últimos anos, houve um baixo número de contratados.

Reprodução: Google

Último Concurso da Caixa: O último aconteceu em 2014 para os cargos de técnico bancário, engenheiro e técnico do trabalho. Na época foram mais de 1,1 milhão de inscritos no país e o a prova foi organizada pelo Cespe/UnB. A vaga de técnico bancário exige apenas o ensino médio completo e supõe um salário de quase 3 mil reais, sendo 900 reais de benefícios.

As 10 Melhores Dicas para Você Gabaritar as Provas do Cespe/UnB

O Centro de Seleção e Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) é integrante da Fundação Universidade de Brasília (FUB) e tem a missão de promover concursos públicos em todo território nacional, com provas do Programa de Avaliação Seriada (PAS) ou mesmo provas do vestibular da prova universidade.

Mas, foi através de concursos como da AGU (Advocacia Geral da União), Banco do Brasil, Petrobras, Conselho Federal de Psicologia, Câmara dos Deputados, INSS e tantos outros que a banca ficou famosa. Ah, e ficou famosa por ser muito exigente, vamos combinar! Então, para ajudar você, que muito estuda, separamos algumas dicas super valiosas para conseguir prestar essas provas com mais segurança e habilidade.

VALE A PENA ESTUDAR PARA CONCURSO PÚBLICO? 7 VERDADES SOBRE ELES

“São provas muito bem elaboradas, geralmente bem contextualizadas quando se trata, por exemplo, de língua portuguesa – questões sempre muito bem ancoradas no texto. E, é preciso ter muito cuidado porque a banca cria, muitas vezes, uma argumentação lógica para fundamentar um item que está errado”, diz o professor Rodrigo Bezerra.

Leia na Íntegra!

De volta ao Concurso do Banco do Brasil: O que costuma cair para a Prova do Banco do Brasil

A última prova foi em 2015 e foi organizada pela Cesgranrio, então, vamos usar ela como base para responder aos próximos questionamentos que aqui serão tratados. Na época, foram 70 questões objetivas, sendo 25 de conhecimentos básicos e 45 de perguntas especificas, das quais, 10 eram de português, 10 de raciocínio lógico e 5 do mercado financeiro, além de 5 questões da cultura organizacional, 10 de vendas, 10 de atendimento, 5 de informática, 10 de conhecimentos bancários e 5 de língua inglesa.

Quem fosse aprovado nessa parte objetiva, que foi de caráter eliminatório e classificatório, iria para a 2ª fase, que era uma redação. Depois disso, havia ainda uma 3ª etapa, que compreendia exames médicos e procedimentos admissionais do próprio banco.

O cargo de escriturário, como falado no outro texto, é uma das mais concorridas e foi dividida da seguinte forma:

  • Língua Portuguesa (5 questões de peso 1, que valiam, no total, 5 pontos): matérias de ortografia oficial, pontuação, colocação das classes das palavras, pronomes, concordância verbal e nominal, regência nominal e verbal, crase, compreensão de textos e outros.
  • Raciocínio Lógico (10 questões de peso 1,5, que valiam, no total, 15 pontos): números inteiros e racionais, expressões numéricas, problemas, frações, números proporcionais, regra de três, porcentagem, juros simples e composto, estatística, cálculo financeiro e outros.
  • Atualidade do Mercado financeiro (5 questões de peso 1, que valiam, no total, 5 pontos): sistema financeira nacional, dinâmica do mercado, mercado bancário, entre outros.
  • Cultura Organizacional (5 questões de peso 1,5, que valiam, no total, 7,5 pontos): conceitos, vantagens e desvantagens, cultura empresarial, ética, código de ética, código de conduta, sustentabilidade e outros.
  • Técnicas de Vendas (10 questões, sendo 5 de peso 1,5 e outras 5 de peso 2, que valiam, no total, 17,5 pontos): serviços bancários, produtos, preços, promoções, vantagens, concorrência, imaterialidade, manejo de carteira de pessoa física e jurídica, noções de marketing, defesa do consumidor e outros.
  • Atendimento (10 questões, sendo 5 de peso 1,5 e 5 de peso 2, que valiam, no total, 17,5 pontos): valor e satisfação do ciente, telemarketing, etiqueta empresarial, interação entre vendedor e cliente, qualidade de atendimento.
  • Domínio da Informática (5 questões de peso 1,5 que valiam, no total, 7,5 pontos): Windows 7, atendimentos, divulgação, conceitos de proteção e segurança, conceitos de organização, redes sociais.
  • Conhecimentos Bancários (10 questões de peso 1,5 pontos, que valiam, no total, 15 pontos): estrutura, COPOM, Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários, produtos bancários, garantias do sistema financeiro, FGC.
  • Língua Inglesa (5 questões de peso 1, que valiam, no total, 5 pontos): vocabulário fundamental, gramática e interpretação de textos.

Os Melhores Caminhos para Ser Aprovado no Concurso do Banco do Brasil

Antes de tudo, é preciso ler, atentamente, o edital. Também é importante que se tenha um bom plano de estudos e muito treino de concentração e memorização. Aliás, como visto, raciocínio lógico e português, como de praxe, é fundamental para mandar bem nesse concurso. Porém, como os pesos de assuntos específicos são maiores, então, é preciso muita atenção nesses itens. Listamos os melhores caminhos, confira!

Saiba como ganhar tempo e memorizar qualquer conteúdo!

1 – Banca Organizadora: CESGRANRIO

Ela é muito diferente da CESPE/UnB, da qual já falamos aqui no blog. Com a Cesgranrio o jogo é limpo: são 5 alternativas para cada questão, sendo que apenas 1 confere com a resposta correta. Isso na prova objetiva porque na Redação as regras são outras. Sendo assim, aqui, o candidato é obrigado à chutar alguma questão, mesmo que não saiba a resposta, afinal, antes ter a chance de acertar sem perder nada do que anular a questão e ter a certeza do não acerto.

Porém, não é porque a prova parece ser mais flexível que as questões vai ser fáceis. A Cesgranrio é respeita no mercado dos concursos e, inclusive, promove as provas do IBGE, Petrobrás, BNDES, entre outros. Em geral, o que pode ser observado é que são tirados trechos de livros, revistas e jornais, dos quais tornam-se base para a disseminação do assunto na questão em destaque.

8 Maneiras para Memorizar Qualquer Coisa que Estudar

Outra análise que pode ser feita dos concursos da Cesgranrio é que o aluno precisa ter uma gama ampla de conhecimentos e assuntos, já que os assuntos são os mais variados.

2 – Dicas de Língua Portuguesa

Esse é um programa curto e geralmente as provas tem 50% das questões destinadas à interpretação de textos e outros 50% focadas em gramática.

Leia Também: Os 5 erros de português que mais acontecem nos concursos! A língua portuguesa é o 5º idioma mais falado do mundo e está presente como língua oficial de países como Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. E, mesmo que seja considerada difícil quando comparada ao idioma mais falado do mundo (inglês), ela cai com muita frequência nos vestibulares, concursos e quase todos os outros tipos de provas. Além do mais que, se comparadas com países como Arábia, Japão e Coréia, a língua portuguesa não é tão complicada assim. Descubra por que!

3 – Dicas de Conhecimentos Bancários

É super importante já que tem pesos maiores e, no total, costuma representar mais de 70% da prova toda. Sem contar que esse é o 2º critério de desempate, atrás apenas da idade. A dificuldade aqui se encontra principalmente no fato de que a matéria não é ensina nas escolas de ensino médio, ou seja, quem quer mandar bem vai precisar ir além.

Geralmente, as questões envolvem Conselho Monetário Nacional, Estrutura do Sistema Financeiro e Organização do Banco Central. E é aqui que, normalmente, ficam as pegadinhas. Ações, Debêntures e Commerciais Papers também costumam cair no exame e ficam dentro do tema “Mercado Financeiro”.

Em breve vamos ter uma matéria falando exclusivamente das questões sobre conhecimentos bancários, aguardem!!!

Com informações do Tudosobreconcursos

3 Maneiras Infalíveis para ser Aprovado no Concurso do Banco do Brasil em 2017
5 (100%) 1 vote

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

DEIXE UMA RESPOSTA